A Importância do Ambiente Virtual de Aprendizagem em um Curso de Graduação com Base nas Percepções de Alunos a Distância

Thaís Tenório, Marilda Adlong Laudelino, André Tenório

Resumo


Foi investigada a dinâmica de utilização do ambiente virtual de aprendizagem (AVA) de um curso a distância de graduação em Engenharia de uma instituição pública de São Paulo. Cinquenta alunos do primeiro semestre participaram da pesquisa. Quase todos acessavam o AVA, baseado no sistema Canvas, semanalmente. As percepções dos alunos foram conhecidas por meio de questionário. Dúvidas e dificuldades manifestadas em encontros presenciais e virtuais também foram registradas. As dificuldades iniciais de manipulação do AVA puderam ser dirimidas ou mitigadas no decorrer do semestre. Os calouros tinham à disposição diversos recursos. Os preferidos para trabalhar conteúdos eram textos complementares e videoaulas, e para comunicação, videoconferência e e-mail. Não obstante, foi sugerido que houvesse listas de questões com respostas on-line e retorno das correções de exercícios. Para os participantes da pesquisa, o AVA facilitava o acesso à informação e fornecia flexibilidade, mas carecia da possibilidade de comunicação imediata com tutores nos momentos desejados.

Palavras-chave: Educação a distância; Ambiente Virtual de Aprendizagem; Aluno.

The View of E-Learning Undergraduate Students on the Virtual Learning Environment

Abstract
The utilization dynamics of the virtual learning environment (VLE) employed of graduation engineering course of a public institution in São Paulo State was investigated. Fifty students on the first semester of the course have participated on the research. Almost all of them accessed weekly VLE based on Canvas learning management system. Doubts and difficulties expressed by the students during face to face and virtual meetings were also recorded. Initial difficulties related to the VLE use could be solved or mitigated during the semester. Many learning resources were made available to students in the VLE. According to the students’ opinion, complementary literature, video lessons and e-mail were the preferred type studying material. Yet, it was suggested the use of worksheets with answers available online and feedbacks to the correction. To them, the VLE facilitates access to information and provides flexible studying schedules. However, the lack of on-demand live communication with tutors was considered a drawback.

Keywords: Distance learning; Virtual Learning Environment; Student.


Texto completo:

PDF

Referências


Barbosa, S. D. J., & Silva, B. S. (2011). Interação humano-computador. Rio de Janeiro: Sindicato nacional de editores de livros.

Bardin, L. (1998). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Belloni, M. L. (2002). Ensaio sobre a educação a distância no Brasil. Educação & Sociedade, Campinas, XXIII(78), 131-148.

Belloni, M. L. (2005). O que é mídia-educação? A mediação escolar indispensável para a cidadania (2ª ed.). Campinas: Autores Associados.

Belloni, M. L. (2009). Educação a distância (5ª ed.). Campinas: Autores Associados.

Bernardino, H. S. (2011). A tutoria na EaD: os papéis, as competências e a relevância do tutor. Revista Paidéi@: Revista Científica de Educação a Distância da Universidade Metropolitana de Santos, 2(4). Disponível em

http://revistapaideia.unimesvirtual.com.br/index.php?journal=paideia&page=article&op=view&path[]=166&path[]=171

Bévort, E., & Belloni, M. L. (2009). Mídia-educação: conceito, histórias e perspectivas. Educação & Sociedade, 30(109), 1082-1084. Disponível em

http://www.scielo.br/pdf/es/v30n109/v30n109a08.pdf

Bezerra, J. C. C., & Brito, S. O. (2013). Portais educacionais: uma experiência do projeto e-jovem com sua metodologia voltada para o ensino em tecnologias da informação e comunicação (TICs) com o auxílio das plataformas Educandus e Moodle. In V Seminário Internacional de Educação a Distância. Belo Horizonte. Disponível em

https://www.ufmg.br/ead/seminario/anais/pdf/Eixo_3.pdf

Brasil. (2007). Referenciais para elaboração de material didático para EaD no Ensino Profissional e Tecnológico. Brasília: Ministério da Educação e Cultura.

Brito, M. S. S. B. (2003). Educação e tecnologia: trilhando caminhos. Salvador: Uneb.

Câmara, R. H. (2013). Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Revista Interinstitucional de Psicologia, 6(2), 179-191.

Campos, F. C. A., Costa, R. M., & Santos, N. (2007). Fundamentos da educação a distância, mídias e ambientes virtuais. Juiz de Fora: Editar.

Dias, R. F. (2003). Ambientes virtuais de aprendizagem: uma metodologia para avaliação de software. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina.

Farias, E. V. (2010). O tutor na Educação a Distância: a construção de conhecimentos pela interação nos ambientes midiáticos no contexto da educação libertadora. Scientia FAER, 2(2). Disponível em

http://www.uniesp.edu.br/faer/revistafaer/artigos/edicao2/elisio.pdf

Farias, S. C. (2013). Os benefícios das tecnologias de informação e comunicação (TIC) no processo de educação a distância (EAD). Revista digital de biblioteconomia e ciência da informação, 11(3), 15-29.

Gaspar, M. (2003). A arte rupestre no Brasil (2ª ed.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social (5ª ed.). São Paulo: Atlas.

Gutierrez, O. L. B. (2006). A educação a distância, o uso de novas tecnologias e a ênfase no audiovisual. Revista Global Manager, 7(11), 77-87.

Hackmayer, M. B., & Bohadana, E. (2014). Professor ou tutor: uma linha tênue na docência em EAD. RIED: Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, 17(2), 223-240. Disponível em

http://ried.utpl.edu.ec/sites/default/files/files/file/archivo/volumen17-2/ried17-2.pdf

Kenski, V. M. (2004). Tecnologias e ensino presencial e a distância (4ª ed.). Campinas: Papirus.

Lévy, P. (2003). O que é o Virtual? (1ª ed.). Rio de Janeiro: Editora 34.

Machado, S. A. (2009). As ferramentas de comunicação em educação a distância: estudo de caso do portal educação. Dissertação de mestrado. FAE Centro Universitário.

Maia, C. (2002). Guia brasileiro de Educação a Distância. São Paulo: Esfera.

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos da metodologia científica (5ª ed.). São Paulo: Atlas.

Messa, W. C. (2010). Utilização de ambientes virtuais de aprendizagem - AVAs: a busca por uma aprendizagem significativa. Revista Brasileira Aberta e a Distância, 9, 1-49.

Nascimento, R. B., & Filho, N. T. (2002). Correio eletrônico como recurso didático no ensino superior: o caso da Universidade Federal do Ceará. Revista da Ciência da Informação, 31(2), 86-97.

Palloff, R. M., & Pratt, K. (2002). Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: estratégias eficientes para a sala de aula on-line. Porto Alegre: Artmed.

Ribeiro, E. N., Mendonça, G. A. A., & Mendonça, A. F. (2007). A importância dos ambientes virtuais de aprendizagem na busca de novos domínios da EAD. In XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Educação a Distância. Curitiba. Disponível em http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/4162007104526am.pdf

Santos, M. C. D. (2011). Importância da comunicação na EaD virtual: enfoque conceitual e dialógico. In XVII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Educação a Distância. Manaus. Disponível em http://www.abed.org.br/congresso2011/cd/67.pdf

Sousa, R. P., Moita, F. M. C. S. C., & Carvalho, A. B. G. (2011). Tecnologias digitais na educação. Campina Grande: Editora EDUEPB.

Teixeira, N., Sales, N. A., Tenório, T., & Tenório, A. (2015). As competências socioafetivas aceitação e honradez segundo a percepção de tutores a distância. RIED: Revista Iberoamericana de educación a Distancia, 18(1), 129-149. Disponível em http://ried.utpl.edu.ec/sites/default/files/files/pdf/v%2018-1/art6_ascompetencias.pdf

Tenório, A., Souto, E. V., & Tenório, T. (2014a). Percepções sobre a competência socioafetiva de cordialidade e a humanização da tutoria a distância. EAD em foco: Revista Científica em Educação a Distância, 4(1), 36-47. Disponível em http://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/199/48

Tenório, A., Ferreira, R. S. L., Almeida, M. C. R., Zucon, L. H., & Tenório, T. (2014b). Ferramentas da educação a distância: a visão do tutor. EAD em foco: Revista Científica em Educação a Distância, 4(1), 48-60. Disponível em http://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/204/49

Trabucho, I. V. (2008). Da massificação da leitura à globalização da internet. Espanha: Salamanca.

Valentini, C. B., & Soares, E. M. S. (2010). Aprendizagem em ambientes virtuais: compartilhando ideias e construindo cenários (2ª ed.). Rio Grande do Sul: Educs.

Villardi, R., & Oliveira, E. G. (2005). Tecnologia na educação: uma perspectiva sociointeracionista. Rio de Janeiro: Dunya.




DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v5i3.274



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidades consorciadas