Percepções de Tutores e Cursistas da Polícia Militar sobre o Desenvolvimento da Autonomia e da Colaboração na Aprendizagem a Distância

Autores

  • André Tenório IFRJ
  • Valeria Pontes da Costa Reis UFF
  • Thaís Tenório UFF

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v6i3.384

Resumo

A autonomia e a colaboração são características necessárias ao aluno da Educação a Distância contemporânea. Foram sondadas, por questionário on line, percepções sobre o desenvolvimento desses atributos na aprendizagem. Participaram da pesquisa sete tutores e sessenta e quatro alunos do Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos da Escola Virtual de Qualificação Profissional da Polícia Militar de um estado brasileiro. Segundo os sujeitos da pesquisa, incentivar à participação ativa e o debate, ajudar prontamente em dificuldades de aprendizagem e respeitar o ritmo e o perfil de estudo foram ressaltadas como importantes ações do tutor capazes de ajudar o aluno a desenvolver a autonomia e a capacidade de colaboração. Embora a maioria dos alunos percebesse o potencial das atividades colaborativas, a quase totalidade apontou como essencial estudar sozinho o material didático disponibilizado no ambiente virtual. Os pesquisados reputaram fundamentais as ações afetivas do tutor para o desenvolvimento tanto da autonomia quanto da colaboração entre cursistas. No âmbito da amostra pesquisada houve indícios de que as características do militarismo seriam percebidas como indiferentes à aprendizagem e que a afetividade do tutor não influenciaria o desempenho profissional.


Palavras-chave: Tutor, Autonomia, Colaboração, Afetividade.

 


Perceptions of Tutors and Students on Development of Autonomy and Collaboration in e Learning

Abstract
Autonomy and collaboration capacity are necessary characteristics for e learning students. Perceptions on aspects associated to the development of these traits in learning were collected through an on-line questionnaire. Seven tutors and sixty-four students of a sergeant training of a virtual school of professional qualification of the military police of a Brazilian state participated of the research. According to the subjects, encourage active participation and dialogue, assist in learning disabilities and respect the study profile were highlighted as important tutors actions able to help the student to develop autonomy and collaboration capacity. Although great part of students mentioned the potential of collaborative activities, almost all of them considered essential studying alone with the course material available in the virtual environment. Both groups consider tutors affective actions important for development of autonomy and collaboration capacity between students. In general, militarism characteristics were perceived as indifferent for learning and tutors affectivity had not effect in the professional performance.


Keywords: Tutor, Autonomy, Collaboration, Affectivity.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Tenório, IFRJ

Pesquisador, Laboratório de Novas Tecnologias/Universidade Federal Fluminense. Professor/Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Professor/Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Rua Senador Furtado, 121-125, Maracanã: Rio de Janeiro: RJ: Brasil.

Valeria Pontes da Costa Reis, UFF

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão em EaD, Laboratório de Novas Tecnologias/Universidade Federal Fluminense. Rua Mário dos Santos Braga, s/n, Valonguinho - Niterói - RJ - Brasil.

Thaís Tenório, UFF

Pesquisadora, Laboratório de Novas Tecnologias/ Universidade Federal Fluminense. Rua Mário Santos Braga, s/n, Campus Valonguinho: Niterói - RJ - Brasil.

Referências

Alves, N.C., Mantilla, S.P.S., Perdigão, L.T., Campos, M.L.G., Rolando, L.G.R. & Salvador, D.F. (2015). Influência da tutoria na participação dos alunos em um fórum de discussão on-line. Revista EaD em Foco, 5(1), 170-182. Disponível em http://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/viewFile/287/100

Belloni, M.L. (2009). Educação a distância. Campinas: Autores Associados.

Costa, A.C.C. (2015). Elecciones y rechazos entre pares en situaciones de trabajo grupal mediado tecnologicamente. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, 18(1), 213-229. Disponível em http://ried.utpl.edu.ec/sites/default/files/files/pdf/v%2018-1/art10_elecciones.pdf

Dorjó, D.S. (2011). Relações afetivas: reais possibilidades na educação a distância. Texto livre: linguagem e tecnologia, 4(2), 28-37. Disponível em http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/104/7268

Dillenbourg, P. (1999). Collaborative-learning: cognitive and computational approaches. Oxford: Elsevier.

Farias, S.C. (2013). Os benefícios das tecnologias da informação e comunicação (TIC) no processo de educação a distância (EaD). Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, 11(3), 15-29. Disponível em http://www.sbu.unicamp.br/seer/ojs/index.php/rbci/article/download/3868/pdf_41

Freire, P. (1997). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários a prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Gabardo, P., Quevedo, S.R.P. & Ulbricht, V.R. (2010). Estudo comparativo das plataformas de ensino-aprendizagem. Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, 2(esp), 65-84. Disponível em http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/16888

Gil, A.C. (2010). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Haguenauer, C.J., Mussi, M.V. & Filho, F.C. (2009). Ambientes virtuais de aprendizagem: definições e singularidades. Educaonline, 3(2), 1-23. Disponível em http://www.latec.ufrj.br/revistas/index.php?journal=educaonline&page=article&op=download&path%5B%5D=112&path%5B%5D=298

Kenski, V.M. (2004). Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas: Papirus.

Longhi, M.T., Bercht, M. & Behar, P.A. (2009). O sujeito afetivo e os ambientes virtuais de aprendizagem. Renote: revista de novas tecnologias na educação, 7(3), 1-11. Disponível em http://seer.ufrgs.br/renote/article/viewFile/13567/8841

Marcondes, L.N.L. & Degásperi, A. (2014). A afetividade como instrumento no EaD. Revista Paidéi@, 6(10), 1-17. Disponível em http://periodicosunimes.unimesvirtual.com.br/index.php?journal=paideia&page=article&op=viewFile&path[]=373&path[]=375

Marques, I.Q. & Caetano, F.S.C. (2014). A utilização do Moodle em cursos presenciais em uma instituição de ensino superior. Revista EaD em foco, 4(2), 107-123. Disponível em http://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/235/65

Mendes, N.T., Santos, N.A.S., Tenório, T. & Tenório, A. (2015). As competências socioafetivas aceitação e honradez segundo a percepção de tutores a distância. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, 18(1), 129-149. Disponível em http://ried.utpl.edu.ec/sites/default/files/files/pdf/v%2018-1/art6_ascompetencias.pdf

Monteiro, A.F., Alves, T.P., Laurino, D.P., Moura, A.C.O.S. & Vaniel, B.V. (2014). A afetividade na relação tutor-aluno: o ensinar e o aprender na educação online. In IX Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância (pp. 3003?3015). Florianópolis, SC. Disponível em http://esud2014.nute.ufsc.br/anais-esud2014/files/pdf/128134.pdf

Moran, J.M., Masetto, M.T. & Behrens, M. (2007). Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus.

Oliveira, C.L.A.P. (2009). Afetividade, aprendizagem e tutoria online. Revista EDaPECI. 3(3), 1-16. Disponível em http://www.seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/565/46

Scorolini-Comin, F. (2014). Diálogo e dialogismo em Mikhail Bakhtin e Paulo Freire: contribuições para a educação a distância. Educação em Revista, 30(3), 245-266. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/edur/v30n3/v30n3a11.pdf

Simonetto, K.C.C. (2013). Afetividade na educação a distância sob o olhar de alunos de pós-graduação. Dissertação de mestrado. Universidade do Oeste Paulista.

Tenório, A., Souto, E.V. & Tenório, T. (2014a). Percepções sobre a competência socioafetiva de cordialidade e a humanização da tutoria a distância. Revista EaD em Foco, 4(1), 36-47. Disponível em http://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/viewArticle/199

Tenório, A., Carvalho, L.S.Q., Vital, I.P. & Tenório, T. (2014b). Competências pedagógicas e socioafetivas de tutores a distância na percepção de alunos. Revista EDaPECI, 14(3), 522-544. Disponível em http://www.seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/3279

Tenório, T., Laudelino, M.C. & Tenório, A. (2015). A importância do ambiente virtual de aprendizagem em um curso de graduação com base nas percepções de alunos a distância. Revista EaD em foco, 5(3), 1-36. Disponível em http://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/download/274/147

Torres, P.L. & Siqueira, L.M.M. (2012). Educação virtual nas universidades: as contribuições da aprendizagem colaborativa. Revista Historia de la Educación Latinoamericana, 14(19), 175-204. Disponível em http://www.redalyc.org/pdf/869/86926976009.pdf

Wiersema, N. (2002). How does collaborative learning actually work in a classroom and how do students react to it? A brief reflection. Disponível em http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED464510.pdf

Yin, R.K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. São Paulo: Bookman.

Publicado

2016-12-27

Como Citar

Tenório, A., Reis, V. P. da C., & Tenório, T. (2016). Percepções de Tutores e Cursistas da Polícia Militar sobre o Desenvolvimento da Autonomia e da Colaboração na Aprendizagem a Distância. EaD Em Foco, 6(3). https://doi.org/10.18264/eadf.v6i3.384

Edição

Seção

Estudos de Caso

Most read articles by the same author(s)