PERCEPÇÕES SOBRE A COMPETÊNCIA SOCIOAFETIVA DE CORDIALIDADE E A HUMANIZAÇÃO DA TUTORIA A DISTÂNCIA

Elizete Ventura de Souto, Thaís Tenório, André Tenório

Resumo


As percepções de tutores a distância sobre a cordialidade e a humanização de suas práticas pedagógicas foram perquiridas. Doze tutores de uma instituição privada de Ensino Superior do Estado do Rio de Janeiro participaram da pesquisa. Para sete (58%) deles, a cordialidade seria a principal competência socioafetiva a se exigir de um tutor a distância. Foram identificadas diversas situações nas quais seria imprescindível ser cordial, como quando um aluno manifesta desestímulo ou dificuldade de aprendizagem. Todos enfatizaram a necessidade de uma postura cortês na abertura de cada nova etapa de disciplina ou curso. Entretanto, apenas cinco (42%) reputaram-na indispensável no acolhimento de alunos. Para oito (67%) tutores, a identificação nominal dos cursistas e, para seis (50%), o uso de frases motivadoras seriam formas cotidianas de exercício da cordialidade.

 

Palavras chave: Competência socioafetiva. Cordialidade, Tutoria a distância.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v4i1.199



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidades consorciadas