Design de Aplicativos Mobile para a Aprendizagem de Língua

Autores

  • Marilene Santana dos Santos Garcia Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - TIDD

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v6i1.371

Resumo

O presente artigo discute os desafios do design de aplicativos para a aprendizagem de línguas com foco nas demandas da vida mobile que, ao mesmo tempo que cria acessos, oportunidades e experiências, exige modelos atualizados de design aprendizagem que sejam compatíveis perfis de aprendizes, que comuniquem para aprendizagem. Assim, espera-se que o design para aplicativos voltados à aprendizagem de línguas traga dinamismo para que não cansem os seus aprendizes e que eles não desistam facilmente, inclua elementos da gamificação para prender a atenção, aproveite recursos da tecnologia sem exageros nem sobreposição de ferramentas, enfim, possa vencer barreiras naturais da aprendizagem mediada por tecnologias.

 

Palavras-chave: Design de apps para línguas; Línguas estrangeiras; Aplicativos mobile.

 


Mobile-Apps design for Foreign Language Learning



Abstract
This article discusses the applications of design challenges to language learning with a focus on contexts of mobile life, that at the same time creating access opportunities and experiences requires new modified design for learning that are compatible with new demands and learner profiles. Thus, it is expected that the design for applications dedicated to language learning should be dynamic, so that the learners do not give up easily. The design should include gamification elements to hold the attention, and also the use of leverage technology resources without exaggeration or overlapping tools. I can overcome natural barriers of learning mediated by technology.


Keywords: Design for learning with apps; Foreign languages; Mobile apps.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilene Santana dos Santos Garcia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - TIDD

Pesquisadora pela PUC-SP - TIDD - na área de mobile-learning e aprendizagens de línguas.

Referências

Anderson, T. (2015). Mixing your distance education: generations of distance education pedagogy, technology & social aggregations. Palestra no 21º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância. Bento Gonçalves, 27 out. 2015. Disponível em http://abedaovivo.unasp.edu.br/index.php. Acesso em 10 nov. 2015.

Batista, M.; Menezes, M. (2008). O design gráfico e o design instrucional na Educação a Distância. In Design, Arte e Tecnologia, v. 4.

Cordeiro, R.; Rapkelewicz, C.; Canela, M. C.; Santos, A.; Carneiro, E. (2007). Utilizando mapas conceitual, de cenário e navegacional no apoio ao processo de desenvolvimento de objetos de aprendizagem. Revista Renote: Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 5, n. 1, p. 1-14, 01 jul.

Felder, R.; Soloman, B. (2002). Learning styles and strategies. Disponível em: http://www2.ncsu.edu/unity/lockers/users/f/felder/public/ILSdir/styles. Acesso em 10 nov. 2015.

Filatro, A. (2007). Design instrucional contextualizado. Educação e tecnologia. São Paulo: Senac.

______. (2008). Design instrucional na prática. São Paulo: Pearson.

Grei, M. (2014). Fremdsprache lernen. Eine Frage des Alters. Acessado em 09 nov. 2015. Disponível em: https://www.goethe.de/de/spr/mag/20437988.html.

Knittel, T. (2014). A utilização de dispositivos móveis como ferramenta de ensino-aprendizagem em sala de aula. Dissertação de Mestrado em Tecnologias da Inteligência e do Design Digital. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

Machado, O. G.; Delmonego, L. C. (2004). A importância da Escola Bauhaus na formação do designer. Revista Univille, Joinville, v. 9, n. 2, p. 68-76, dez.

Mattar, J. A. (2014). Design educacional: educação a distância na prática. São Paulo: Artesanato Educacional.

OMalley, C.; Vavoula, G.; Glew, J. P.; Taylor, J.; Sharples, M.; Lefrere, P. (2013). Guidelines for learning/teaching/tutoring in a mobile environment. Disponível em: http://www.mobilearn.org/download/results/guidelines.pdf. Acesso em 24 out. 2015.

Porto, C.; Santos, E. (Orgs.). (2014). Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar. Campina Grande: Eduerp.

Roche, J. (2014). Erinnerungsorte und Erinnerungskulturen. Konzepte und Perspektiven für die Sprach - und Kulturvermittlung. Hohengehren: Schneider.

Rodrigues, S.; Souza, R. (2015). Desenvolvimento de aplicativo móvel para o ensino de língua inglesa: da pesquisa bibliográfica ao design pedagógico. Tecnologia Educacional, n. 211, p. 63-74.

Rogers, Y.; Sharp, H.; Preece, J. (2011). Interaction design: beyond human-computer interaction. 3rd ed. Chichester: Wiley.

Sandoval, García, R.; Ramírez, M. S. (2012) Competencias tecnológicas y de contenido necesarias para capacitar en la producción de recursos de aprendizaje móvil. Edutec, Revista Electrónica de Tecnología Educativa, n. 39.

Santaella, L. (2007). Linguagens líquidas na era da mobilidade. São Paulo: Paulus.

Sims, R. (2006). Beyond instructional design: making learning design a reality. Journal of Learning Design, v. 1, n. 2, p. 1-7.

Downloads

Publicado

2016-04-30

Como Citar

Garcia, M. S. dos S. (2016). Design de Aplicativos Mobile para a Aprendizagem de Língua. EaD Em Foco, 6(1). https://doi.org/10.18264/eadf.v6i1.371

Edição

Seção

Artigos Originais