Não Somos Robôs: a Afetividade como Processo Pedagógico no Ensino Fundamental II Durante as Aulas Remotas

Autores

Resumo

O fenômeno tecnológico, em especial a inovação da internet, colocou em xeque o processo tradicional de ensino-aprendizagem, uma vez que a escola passou a ser apenas uma das formas de veiculação do conhecimento. Hoje, em especial depois da pandemia de Covid-19, a necessidade de se adequar ao ensino remoto apresenta-se como imperativa. Neste artigo, temos por objetivo refletir acerca da afetividade como processo pedagógico, abordando os desdobramentos do impacto das aulas remotas na relação professor-aluno. Como metodologia, utilizamos a entrevista semiestruturada para analisar o relato de três professoras que atuam nos anos finais do ensino fundamental no contexto da rede municipal do Rio de Janeiro. Como resultados, constatamos que as dificuldades com relação ao acesso à tecnologia e também o insuficiente letramento digital dos estudantes dificultam a proximidade entre docentes e discentes nas aulas remotas e, por consequência, o processo pedagógico imbuído de afetividade.

Palavras-chave: Tecnologia. Processo pedagógico. Relação professor-aluno. Ensino remoto. Afetividade

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hosana Ramôa, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal Fluminense. Bacharel e Licenciada em História pela UFF. Bolsista CAPES. Integrante do Laboratório de Ensino de História, do Grupo de Pesquisa Currículo, Docência e Cultura (CDC) e do Núcleo de Estudos em Educação Democrática (NEED) da Faculdade de Educação da UFF. Professora orientadora de Trabalhos de Conclusão de Curso na Licenciatura em Pedagogia (EAD) na Unirio.

Liz Regina Silveira Barbosa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Formada em Geografia pela Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Especialização em Gestão Ambiental pela Universidade Católica de Petrópolis (UCP). Professora da rede privada de ensino de São Gonçalo.

Suzane Silveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em Literatura Brasileira pelo Programa de Pós-Graduação em Letras Vern´áculas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com pesquisa sobre a autora Gilka Machado. Pesquisadora associada ao NIELM (Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Mulher na Literatura). Bolsista CNPq. Professora da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro.

Referências

ANDERSON, T., KANUKA, H. e-Research, Methods, Strategies and Issues. USA: Person Education, 2003.

BAPTISTA, A.; MARTINS; V. A afetividade na educação online: percursos e possibilidades. EaD em foco, v. 8 n. 1, 2018. Disponível em: i:http://dx.doi.org/10.18264/eadf.v8i1.639. Acesso em: 12 jul. 2020.

BEHAR, P. O Ensino Remoto Emergencial e a Educação a Distância. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Jornal da Universidade, 2020. Disponível em: https://www.ufrgs.br/coronavirus/base/artigo-o-ensino-remoto-emergencial-e-a-educacao-a-distancia/ Acesso em: 19 nov. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação; Secretaria de Educação Básica; Conselho Nacional de Educação; Câmara de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC; 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 30 out. 2020.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação: Uma Introdução à Teoria e aos Métodos. Porto: Porto Editora, 2010.

CUSTÓDIO, S.G. et al. O Papel do Tutor na Humanização da Aprendizagem na Educação a Distância. EaD em Foco, v.9, e767. 2019.Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/767. Acesso em: 27 out. 2020.

DUARTE, E. Afetividade no Espaço-tempo Mediado por Tecnologias em EAD. EaD em Foco, 2019; 9(1): e796.

doi:https://doi.org/10.18264/eadf.v9i1.796. Disponível em: DUARTE, E. C. C. Afetividade no Espaço-tempo Mediado por Tecnologias em EAD. EaD em Foco, 2019; 9(1). Acesso em: 27 out. 2020.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. – 8a ed. – Rio de Janeiro: Record, 2004.

MONTEIRO, A. F et al. A afetividade na relação tutor-aluno: o ensinar e o aprender na educação online. In: Anais do XI Congresso Brasileiro de Educação a Distância, ESUD Florianópolis/SC, 05-08 de agosto de 2014, p. 3002- 3015. Disponível em: http://esud2014.nute.ufsc.br/anais-esud2014/files/pdf/128134.pdf. Acesso em: 12 jul. 2020.

Publicado

2021-03-17

Como Citar

Ramôa, H. do N. ., Barbosa, L. R. S. ., & Silveira, S. M. da V. (2021). Não Somos Robôs: a Afetividade como Processo Pedagógico no Ensino Fundamental II Durante as Aulas Remotas. EaD Em Foco, 11(2). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1306