Acessibilidade em Objetos de Aprendizagem na EaD: uma Análise em um Curso de Especialização

Juliana Dalbem Omodei, Édison Trombeta de Oliveira, Marcos Barros de Souza, Vanderlei Leite dos Santos

Resumo


Este trabalho tem como objetivo analisar os objetos de aprendizagem oferecidos em duas disciplinas do curso de especialização em Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva, sob a ótica da acessibilidade. Os objetos de aprendizagem são recursos digitais reutilizáveis e que auxiliam a aprendizagem de algum conceito. Para atingir o objetivo proposto, foi empreendida uma pesquisa bibliográfica seguida de um estudo de caso. Para a coleta de dados optou-se no estabelecimento de categorias de análise que permitiram obter uma visão global dos recursos. Os dados foram analisados qualitativamente etapa a etapa de cada jogo, e os dados coletados foram organizados em uma planilha previamente elaborada para esse fim. Os resultados evidenciaram que, embora haja esforço da universidade promotora do curso em oferecer acessibilidade em todo o ambiente virtual e materiais disponíveis, ainda são necessárias algumas adaptações nos objetos de aprendizagem para que se tornem totalmente acessíveis às pessoas com necessidades especiais em nível sensorial. Todavia, é por meio de iniciativas como essa que são possíveis o crescimento e o aprimoramento de objetos educacionais acessíveis e, dessa forma, contribuir com o acesso de permanência de todos na educação a distância.


Palavras-chave: Objetos de aprendizagem; Acessibilidade; Educação a Distância.

 

 

Accessibility in Objects Learning in EAD: an Analysis on a Course of Expertise

 

Abstract
This work aims to analyze the learning objects offered in two course subjects of specialization in Special Education from the perspective of inclusive education from the perspective of accessibility. The learning objects are reusable digital resources and that help learning some concept. To achieve this purpose a literature search followed by a case study was undertaken. To collect data it was decided to establish categories of analysis, which provided an overview of resources. Data were analyzed qualitatively, step by step each game, and collected data organized in a spreadsheet previously prepared for this purpose. The results showed that although there is a university effort to offer accessibility across the virtual environment and available materials are still needed some adjustments to the learning object to become fully accessible to people with sensory disabilities. However, it is through such initiatives that are possible growth and improvement of accessible educational materials and thus contribute to the permanence of access for all in the distance.

 

Keywords: Learning objects; Accessibility; Distance education.


Palavras-chave


Objetos de Aprendizagem, Acessibilidade, Educação a Distância

Texto completo:

PDF

Referências


Audino, Daniel Fagundes; Nascimento, Rosemy da Silva. Objetos de aprendizagem: Diálogo entre conceitos e uma nova proposição aplicada à educação. Revista Contemporânea de Educação, Santa Catarina, v. 5, n. 10, p. 128-148, jul./dez. 2010. Disponível em http://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/1620/1468

Beck, R. J. Learning objects: what?. Center for International Education. University of Wisconsin. Milwaukee. 2001.

Brasil. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: Unesco, 1994.

Leal Ferreira, S. B.; Nunes, R. R. e-Usabilidade. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

Macedo, C. M. S. Diretrizes de acessibilidade em conteúdos didáticos. Revista Brasileira de Design da Informação / Brazilian Journal of Information Design, São Paulo, v. 10, n. 2, 2013, p. 123-136. Disponível em http://www.infodesign.org.br/infodesign/article/download/193/136

Maciel, C.; Backes, E. M. Objetos de aprendizagem, objetos educacionais, repositórios e critérios para a sua avaliação. In: MACIEL, C. (org.). Ambientes virtuais de aprendizagem. Cuiabá: Editora da UFMT, 2012. p. 161-198. Disponível em http://disciplinas.stoa.usp.br/pluginfile.php/129865/mod_resource/content/1/Ambientes%20Virtuais.pdf

Motta, L. M. V. M.; Romeu Filho, P. (org.). Audiodescrição: transformando imagens em palavras. São Paulo: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2010. Disponível em http://www.vercompalavras.com.br/download/audiodescricao-transformando-imagens-em-palavras.pdf

Organização das Nações Unidas (ONU). Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, 2006.

Sabbatini, Marcelo. Reflexões críticas sobre o conceito de objeto de aprendizagem aplicado ao ensino de Ciências e Matemática. Revista de Educação Matemática e Tecnológica Ibero-americana, v. 3, n. 3, 2012. Disponível em http://www.gente.eti.br/revistas/index.php/emteia/article/view/103

Sampaio, Romilson Lopes; Almeida, Ana Rita Silva. Aprendendo Matemática com objetos de aprendizagem. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 64-75, abr. 2010. Disponível em http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/290

Scheffer, M. L. C.; Bez, M.R.; Passerino, L.M. Mídias digitais na educação dos surdos. In: Tarouco, Liane Margarida Rockenbach; Ávila, Barbara Gorziza; Santos, Edson Felix dos; Bez, Marta Rosecler; Costa, Valeria (orgs.). Objetos de aprendizagem: teoria e prática. Porto Alegre: Evangraf, 2014.

Spinelli, W. Os objetos virtuais de aprendizagem: ação, criação e conhecimento. Disponível em http://www.lapef.fe.usp.br/rived/textoscomplementares/textoImodulo5.pdf

Unesp. Tecnologias na Educação Superior: ambientes virtuais e materiais didáticos digitais acessíveis na Unesp. São Paulo: Cultura Acadêmica/Universidade Estadual Paulista/Núcleo de Educação a Distância, 2014.

Wiley, D. Connecting learning objects to instructional design theory: a definition, a metaphor and taxonomy. 2001. Disponível em www.reusability.org/read/chapters/wiley.doc




DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v6i1.374



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

UNIVERSIDADES CONSORCIADAS