As Barreiras da Criatividade dos Egressos do Ensino Superior EAD e Presencial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v10i1.965

Resumo

A criatividade está presente em nosso dia a dia. Ela se destaca tanto nos
ambientes pessoais, assim como nos escolares e profissionais. Com este artigo, tem-
se o objetivo de verificar se há barreiras na criatividade dos egressos do ensino
superior nas modalidades de ensino EAD (Ensino a distância) e presencial,
pluricurriculares. Para isso, foi aplicado um questionário por escala likert de 7 pontos
para 283 egressos do ensino superior. Realizou-se o embasamento teórico sobre
criatividade e o indivíduo, suas barreiras elencadas em quatro construtos,
inibição/timidez; falta de tempo/oportunidade; repressão Social; falta de motivação.
Os dados foram analisados através de correlação, obtendo, como resultado das
análises dos dados, a indicação de que ambos os ensinos se correlacionam de forma
positiva quanto às barreiras do desenvolvimento da criatividade para o Ensino
Presencial e Ensino EAD. Há de se considerar que o Ensino EAD ainda se mostra com
resultados superiores, sendo possível encontrar fundamentos adicionais e explicações
mais detalhadas sobre o tema.

Palavras-chave: Criatividade. Ensino superior. Ensino a distância. Ensino presencial.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joseli Koing Ramos, Fundação Universidade Regional de Blumenau

Mestranda curso de Administração da FURB 2019/2020. MBA em Gestão de Pessoas pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade da Região de Joinville. De 2006/2018 como professora no SENAI - Departamento Regional de Santa Catarina, ministrando disciplina de Empreendedorismo para curso Superior de Tecnologia em Mecatrônica Industrial e disciplina de Gestão de Pessoas para os cursos Técnicos. De 2007/2012 e 2018 como professora no SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, ministrando disciplina de disciplina de Gestão de Pessoas para os cursos Técnicos. Professora e Coordenadora do Curso de Recursos CEDUP/SC de 2006/2009. Professional & Self Coach, atuando na área de carreira profissional, formada pelo IBC (Instituto Brasileiro de Coaching), com 25 anos de experiência na área de gestão de pessoas em grandes empresas de SC.

Jeane Caroline Boeira, Fundação Universidade Regional de Blumenau

Possui graduação em Administração com ênfase em Marketing, cursando mestrado em Administração na Universidade Regional de Blumenau - Furb. Atualmente é Coordenadora de Controladoria de Engenharia e Medicina, com experiência há mais de oito anos no ramo da Medicina Ocupacional. Professora Universitária e facilitadora em cursos e seminários na área de Gestão de MPME's, Marketing Estratégico e Perfil Comportamental. Pesquisadora na linha de Gestão Estratégica e Internacionalização de Organizações. 

Adriana Kroenke, Fundação Universidade Regional de Blumenau

Possui graduação em Matemática (2007), mestrado em Ciências Contábeis (2009) pela Universidade Regional de Blumenau e doutorado pelo Programa de Métodos Numéricos e Engenharia da Universidade Federal do Paraná (2014). Professora do Departamento de Matemática da Universidade Regional de Blumenau desde 2010. Atualmente é professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Administração e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Regional de Blumenau. Suas pesquisas concentram-se na área de Análise Multivariada de Dados, Análise Decisória Multicritério e Avaliação de Desempenho. Integrante do grupo de estudos MULTIVAR vinculado ao Grupo Español de Decisión Multicrierio (GEDM).

Maria Jose Carvalho de Souza Domingues, Fundação Universidade Regional de Blumenau

Maria José Carvalho de Souza Domingues possui graduação em Ciências da Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (1986), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (1991) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). É professora titular da Universidade Regional de Blumenau/FURB, no Departamento de Administração . Tem experiência na gestão universitária tendo atuado como Diretora do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Pró-Reitora de Ensino Médio, Graduação e Profissionalizante e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Regional de Blumenau/FURB. Nos Programas de Pós-Graduação em Administração e de Ciências Contábeis ministra disciplinas e desenvolve pesquisas relacionadas a gestão universitária e a tecnologias no ensino. 

Referências

ALENCAR, E.M.L.S. de; FLEITH, D. S. Criatividade. Brasília. DF: Edunb, 1993.

ALENCAR, E.M.L.S. de. O estímulo à criatividade no contexto universitário. Psicologia escolar e educacional, v. 1, n. 2-3, p. 29-37, 1997.

ALENCAR, E.M.L.S. de. Barreiras à criatividade pessoal: desenvolvimento de um instrumento de medida. Psicologia Escolar e Educacional, v. 3, n. 2, p. 123-132,1999.

ALENCAR, E.M.L.S. de; MARTINEZ, A. M. Barreiras à expressão da criatividade entre profissionais brasileiros, cubanos e portugueses. Psicologia escolar e Educacional, v. 2, n. 1, p. 23-32, 1998.

ALENCAR, E.M.L.S. de; DE SOUZA FLEITH, D. Criatividade pessoal: fatores facilitadores e inibidores segundo estudantes de engenharia. Magis: Revista Internacional de Investigación en Educación, v. 1, n. 1, p. 113-126, 2008.

ALENCAR, E.M.L.S. de.; DE SOUZA FLEITH, D. Criatividade. Múltiplas perspectivas. Brasília (DF): Ed. UnB, 2009.

AMABILE, T. M. Creativity in context: Update to. 1996.

AMABILE, T. M.; MUELLER, J. Assessing creativity and its antecedents: An exploration of the componential theory of creativity. 2008.

AMARAL, A. L. N.; MITJÁNS MARTINEZ, A. Aprendizagem e criatividade no contexto universitário. Psicología para América Latina, n. 8, p. 0-0, 2006.

BARBIERI, F. F. C. M. A criatividade nas universidades: construção de um modelo para avaliar o perfil criativo das instituições de ensino superior. 2018.

BARRON, F. Creativity and psychological health. 1963.

BRASIL. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PEQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO

TEIXEIRA. Sinopse estatística da Educação Superior 2017. Brasília: Inep, 2018. Disponível em http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopese-sinopse. Acesso em: 15 ago. 2019.

CARDOSO, J.; MOREIRA, B.; BATTISTI, P.. Gestão de pessoas em Polos de Apoio Presencial: Contextos e desafios. In: Anais do VIII Congresso, 2011.

CASTANHO, M. E. L. M. A criatividade na sala de aula universitária. Pedagogia universitária. A aula em foco, p. 75-89, 2000.

CERVO, A. L; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

COSTANZI, R. N.; ANSILIERO, G. Reflexões iniciais sobre a reforma da previdência: a polêmica questão de gênero na determinação da idade mínima para aposentadoria. Informações fipe, v. 436, n. 1, p. 16-24, 2017.

CRAFT, A. Creativity in schools. Developing creativity in higher education (pp. 19-28). London: Routledge, 2007.

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto (LO Rocha, Trad.) Porto Alegre: Artmed, 2003.

CROPLEY, A. In praise of convergent thinking. Creativity research journal, v. 18, n. 3, p. 391-404, 2006.

CROPLEY, D; CROPLEY, A. A psychological taxonomy of organizational innovation: Resolving the paradoxes. Creativity Research Journal, v. 24, n. 1, p. 29-40, 2012.

DAVIS, R. D.; BRAUN, E. M. O dom da dislexia. Rio de Janeiro: Rocco, 2004.

DE ALENCAR, E. M. L. S.; DE SOUZA FLEITH, D. Barreiras à criatividade pessoal entre professores de distintos níveis de ensino. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 16, n. 1, p. 63-69, 2003.

DE ALENCAR, E. M. L. S.; DE SOUZA FLEITH, D. Inventario de Práticas Docentes que Favorecem a Criatividade no Ensino Superior. Psicologia: reflexão e crítica, v. 17, n. 1, p. 105-110, 2004.

DEWES, J. O. Amostragem em Bola de Neve e Respondent-Driven Sampling: uma descrição dos métodos. 2013.

FIGUEIREDO FILHO, D. B.; SILVA JÚNIOR, J. A. D. Desvendando os Mistérios do Coeficiente de Correlação de Pearson (r). 2009.

FORD, C. M. A theory of individual creative action in multiple social domains. Academy of Management review, v. 21, n. 4, p. 1112-1142, 1996.

GARDNER, H. Mentes que mudam: a arte e a ciência de mudar as nossas ideias e as dos outros. Penso Editora, 2016.

HAIR, Jr. et al. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005a.

KAUFMAN, J. C.; BAER, J. Sure, i'm creative—but not in mathematics!: Self-reported creativity in diverse domains. Empirical studies of the Arts, v. 22, n. 2, p. 143-155, 2004.

KUBIE, Lawrence Schlesinger. Neurotic distortion of the creative process. 1958.

LAND G.; JARMANN, B. Ponto de Ruptura e Transformação. São Paulo: Cultrix. 1990.

MORAN, J. M. Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias. Informática na educação: teoria & prática, v. 3, n. 1, 2000.

MORÁN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, v. 2, n. 1, p. 15-33, 2015.

MORAIS, M. F.; ALMEIDA, L. S. Percepções sobre criatividade: Estudo com estudantes do Ensino Superior. Revista Portuguesa de Educação, v. 29, n. 2, p. 141-162, 2016.

MOREIRA, J. A.; MONTEIRO, A. O trabalho pedagógico em cenários presenciais e virtuais no ensino superior. Educação, Formação & Tecnologias-ISSN 1646-933X, v. 3, n. 2, p. 82-94, 2010.

MOTTA FILHO, C. Ensaio sobre a timidez. Martins, 1969.

NEVES, M. et al. DESIGN EDUCACIONAL EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONCEITOS, FUNÇÃO E CRIATIVIDADE. SIED: EnPED-Simpósio Internacional de Educação a Distância e Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância, 2016.

REILLY R. D.; Charles A.; TUSHMAN, M. L. The ambidextrous organization. Harvard business review, v. 82, n. 4, p. 74, 2004.

PARK, N. K.; CHUN, M. Y.; LEE, J. Revisiting individual creativity assessment: Triangulation in subjective and objective assessment methods. Creativity Research Journal, v. 28, n. 1, p. 1-10, 2016.

PAULA, M. F. Os idosos do nosso tempo e a impossibilidade da sabedoria no capitalismo atual. Serviço Social & Sociedade, n. 126, p. 262-280, 2016.

PERRY-SMITH, J. E.; SHALLEY, C. E. The social side of creativity: A static and dynamic social network perspective. Academy of management review, v. 28, n. 1, p. 89-106, 2003.

PRIGOGINE, I. Criatividade da natureza, criatividade humana. Ponto-e-Vírgula: Revista de Ciências Sociais, n. 6, 2009.

Publicado

2020-06-13

Como Citar

Ramos, J. K. ., Boeira, J. C. ., Kroenke, A. ., & de Souza Domingues, M. J. C. . (2020). As Barreiras da Criatividade dos Egressos do Ensino Superior EAD e Presencial. EaD Em Foco, 10(1). https://doi.org/10.18264/eadf.v10i1.965

Edição

Seção

Artigos Originais

Most read articles by the same author(s)