Avaliando o Desempenho e Custos da Graduação das Instituições Federais de Ensino Superior

  • Carlos Eduardo Bielschowsky Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Química e Centro de Ciências e Educação a Distância do Rio de Janeiro, Cecierj

Resumo

As instituições federais de ensino superior (IFES) vêm sendo taxadas como ineficientes nas atividades de ensino de graduação, cujos principais argumentos são o alto custo médio anual por aluno, altas taxas de evasão e que boa parte de seus alunos pertencem às classes mais favorecidas. Este é o foco principal das críticas frequentemente realizadas na mídia e por agências internacionais, tais como o jornal O Globo e o Banco Mundial, posto que em suas demais atividades de ensino de pós graduação, pesquisa e extensão seu papel tem sido, de maneira geral, reconhecido: até porque respondem, juntamente com as demais universidades estaduais, por 83,8% do total de alunos pós-graduados de todas as IES e realizam a maior parte da produção científica do país. As IFES também são reconhecidas pela importância de suas atividades de extensão, tais como o atendimento à população de seus hospitais universitários, seu protagonismo na formação continuada de professores da educação básica e a importância e excelência de seu ensino técnico e de seus colégios de aplicação. No presente trabalho mostramos que essas críticas ao ensino de graduação das IFES não procedem, que o gasto anual por aluno de graduação das universidades federais é equivalente àquele das IES privadas, que sua taxa média de diplomação é 9,7% superior àquela das universidades privadas e que a maioria de seu concluintes tem renda familiar inferior a 4,5 salários mínimos, sendo que apenas 12% pertencem famílias com renda superior a 10 salários mínimos. Além disso, mostramos, com base no resultado de seus alunos nos exames Enade do ciclo 2015 a 2017, que a qualidade média dos cursos das IFES é bem superior àquela das IES privadas.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Bielschowsky, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Química e Centro de Ciências e Educação a Distância do Rio de Janeiro, Cecierj
Professor do IQ/UFRJ, pesquisador na área de Físico-Química e Educação a Distância, coordenou ao longo dos últimos 20 anos a implementação do Cederj, da Universidade Aberta do Brasil, do e-tec Brasil, do Plano Nacional de Formação de Professores, do Proinfo integrado entre outros projetos como presidente do Cecierj e Secretário de Educação à Distância do MEC

Referências

AMARAL, Nelson Cardoso. Evolução do custo do aluno das IFES: Eficiência? Avaliação, Campinas, v. 9, nº 2, p. 115-125, 2004;

BIELSCHOWSKY, C. Qualidade na educação superior a distância no Brasil: onde estamos, para onde vamos?. EaD em Foco, v. 8(1), 2018. doi: https://doi.org/10.18264/EaDf.v8i1.709.

BIELSCHOWSKY, C. Análise dos resultados do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) para Educação a Distância do ciclo 2015 a 2017. EaD em Foco, v. 8(1), 2018. doi: https://doi.org/10.18264/eadf.v8i1.758.

BIELSCHOWSKY, C. E.; MASUDA, M. O. Diplomação na Educação Superior a Distância. EmRede, Revista da Educação a Distância, v. 5, nº 1, 2017.

CHAVES, Vera L. J.; AMARAL, N. C. A educação superior no Brasil: os desafios da expansão e do financiamento e comparações com outros países. Revista Educação em Questão (UFRN. Impresso), v. 51, p. 95, 2015.

CAPES: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Microdados de Discentes da Pós-Graduação stricto sensu do Brasil em 2017. Disponível em: https://dadosabertos.capes.gov.br/dataset?groups=avaliacao-da-pos-graduacao. Acesso em: 18 maio 2019.

CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO. Portal da Transparência (s.d.). Disponível em: http://www.portaltransparencia.gov.br/download-de-dados/despesas-execucao.

DAVIDOVICH, Luis. Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil. Notícias da Academia Brasileira de Ciências, 15 de abril de 2019. Disponível em: http://www.abc.org.br/2019/04/15/universidades-publicas-respondem-por-mais-de-95-da-producao-cientifica-do-brasil/.

GUIA DO ESTUDANTE. Quanto custa fazer uma faculdade?, São Paulo, 2017. Disponível em: https://guiadoestudante.abril.com.br/universidades/quanto-custa-fazer-uma-faculdade/.

INEP: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Microdados do Censo de Educação Superior 2005-2017 e Microdados do Enade (s.d.). Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/microdados. Acesso em: 29 jan. 2018.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Metodologia de cálculo dos indicadores de fluxo da educação superior (s.d.). Disponível em: http://download.inep.gov.br/informacoes_estatisticas/indicadores_educacionais/2017/metodologia_indicadores_trajetoria_curso.pdf.

MAGALHÃES, Elizete A.; SILVEIRA, Suely F. R.; MAGALHÃES, Elenice M. Gestão de custos nas instituições federais de ensino superior: uma análise das metodologias de apuração do custo por aluno. Anais do Encontro de Administração Pública e Governança. 2016. Disponível em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/ENAPG262.pdf.

OLIVA, Patricio. Apuração do custo das universidades federais e sua relação com os respectivos quantitativos de alunos. Nota Técnica MEC/SE Nº 4/2018.

O GLOBO. Entenda quanto custa um aluno numa universidade federal brasileira. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/entenda-quanto-custa-um-aluno-numa-universidade-federal-brasileira-23666877. Acesso em: 18 maio 2019.

SANTOS, Alexandre R.; BARBOSA, Flávia L. S.; MARTINS, Daniel F. V.; MOURA, Heber J. de. Orçamento, indicadores e gestão de desempenho das universidades federais brasileiras. Administração Pública e Gestão Social, v. 9(4), p. 276-285, out./dez., 2017.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO: TCU. Orientações para o cálculo dos indicadores de gestão. Decisão plenária do TCU nº 408/02. 2002. Versão revisada em 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/indicadores.pdf. Acesso em 17 maio 2019.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO: TCU. Orientações para o cálculo dos indicadores de gestão. Publicação posteriormente regulada pela Instrução Normativa TCU nº 63/10. Disponível em: www.tcu.gov.br/Consultas/Juris/.../judoc%5CIN%5C20130614%5CINT2010-063.doc. Acesso em: 17 maio 2019.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO: TCU. Referencial para avaliação de governança em políticas públicas. 2014. Disponível em: https://portal.tcu.gov.br/governanca/home/. Acesso em: 17 maio 2019.

WORLD BANK (BANCO MUNDIAL). Um ajuste justo - análise da eficiência e equidade do gasto público no Brasil. 21 de novembro de 2017. Disponível em: http://www.worldbank.org/pt/country/brazil/publication/brazil-expenditure-review-report.

Publicado
2019-05-28
Como Citar
Bielschowsky, C. E. (2019). Avaliando o Desempenho e Custos da Graduação das Instituições Federais de Ensino Superior. EAD EM FOCO, 9(1). https://doi.org/10.18264/eadf.v9i1.828
Seção
Estudos de Caso