Avaliação Automática de Acessibilidade dos Materiais Didáticos de Cursos Técnicos de Informática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v12i2.1809

Resumo

Os materiais didáticos digitais precisam ser acessíveis para permitir que alunos com deficiência tenham condições de participar de modo pleno e efetivo do ensino a distância. Este trabalho relata o estudo de um caso de avaliação automática de acessibilidade e correção dos problemas encontrados nos materiais didáticos de cursos de Informática, ofertados pelo Instituto Metrópole Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Quatro profissionais de Informática, sem conhecimento e experiência de programação web acessível, utilizaram o avaliador automático HTML Code Sniffer para avaliar os materiais didáticos digitais de 6 disciplinas. Em 899 páginas de conteúdo, foram encontrados 774 erros de acessibilidade, com média de 0,83 problema por página. Quase todos problemas de acessibilidade encontrados foram corrigidos, exceto aqueles que dependiam de alteração de conteúdo pelos professores. Entre junho e dezembro de 2021, esta iniciativa consumiu aproximadamente 386 horas ou 2,5 meses de trabalho de uma pessoa. Ficou evidente que a produção de materiais didáticos digitais precisa de cuidados específicos para acessibilidade e que um avaliador automático pode auxiliar profissionais de Informática a começarem a abordar a acessibilidade na programação web.

 

Palavras-chave: Pessoa com deficiência. Programação web. WCAG. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABASCAL, J.; ARRUE, M.; VALENCIA, X. Tools for web accessibility evaluation. Em: YESILADA, Y.; HARPER, S. (Eds.). Web Accessibility. London: Springer, 2019. p. 479–503.

BARBOSA, S.D.J.; SILVA, B.S. Interação Humano-Computador. Rio de Janeiro: RJ. Elsevier. 2010.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/

L13146.htm . Acessado em: 5 abr. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnico de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13409.htm . Acessado em: 5 abr. 2022.

CAMPOVERDE-MOLINA, M.; LUJAN-MORA, S.; GARCIA, L.V. Empirical studies on web accessibility of educational websites: A systematic literature review. IEEE Access, v. 8, p. 91676-91700, 2020.

FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. Memória Telecurso, 2022. Disponível em: https://www.telecurso.org.br/memoria-telecurso . Acesso em: 5 abr. 2022.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2022.

GONTIJO, C.R.B. Importância do material didático para a educação a distância: definições e especificidades. Em: NEVES, I.S.V.; CORRADI, W.; CASTRO, C.L.F. (Eds.). EaD: diálogos, compartilhamentos, práticas e saberes. Barbacena: EdUEMG, 2016. p. 27–34.

GRILO, A.; RODRIGUES, L.A.; SILVA, B.S. Design Inclusivo e Acessibilidade Digital para Surdos em páginas web. Design e Tecnologia, v. 9, n. 18, p. 71-83, 2019.

INEP. Sinopse Estatística da Educação Superior 2020. Brasília: Inep, 2022. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/acesso-a-informacao/dados-abertos/sinopses-estatisticas/

educacao-superior-graduacao . Acesso em: 5 abr. 2022.

Instituto Metrópole Digital (IMD). Projeto Pedagógico de Cursos Técnicos de Nível Médio. Natal, 2022. Disponível em: https://portal.imd.ufrn.br/portal/ensino/tecnico . Acessado em: 5 abr. 2022.

LEMOS, E.C.; CAVALCANTE, I.F.; ALMEIDA, R.P.B. Análise e Diagnóstico da Acessibilidade no Moodle Para Deficientes Visuais. Holos, v. 36, n. 4, p. 1–23, 2020.

MACIEL, C. (Ed.) Educação a distância: ambientes virtuais de aprendizagem. Cuiabá: EdUFMT, 2013.

MORALES-VELASCO, R.A.; DAY, E.D.M. Revisión de metodologías para diseñar Objetos de Aprendizaje OA: un apoyo para docentes. Revista Iberoamericana de Tecnología en Educación y Educación en Tecnología, n. 26, p. 35–46, 2020.

NOVELLO, T.P.; LAURINO, D.P. Educação a distância: seus cenários e autores. Revista iberoamericana de educación, v. 58, n. 4, p. 1–15, 2012.

OMODEI, J. D. et al. Acessibilidade em Objetos de Aprendizagem na EaD: uma Análise em um Curso de Especialização. EaD em Foco, v. 6, n. 1, 2016.

PADURE, M.; PRIBEANU, C. Comparing six free accessibility evaluation tools. Informatica Economica, v. 24, n. 1, p. 15–25, 2020.

PIVETTA, E.M.; SAITO, D.S.; ULBRICHT, V. R. Surdos e acessibilidade: análise de um ambiente virtual de ensino e aprendizagem. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 20, p. 147–162, 2014.

RIBEIRO, J.F. SILVA, B.S. Avaliação automática de acessibilidade do portal da UFRN. Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, v. 9, n. 1, 2020.

RIBEIRO, J.F.; SILVA, B.S. Estudo comparativo de avaliadores automáticos de acessibilidade web na avaliação formativa. e-Revista LOGO, v. 8, n. 3, pp. 43-67, 2019.

SANTOS, C.E.R. et al. Acessibilidade Digital em Ambientes Virtuais de Aprendizagem: uma Revisão Sistemática. EaD em Foco, v. 11, n. 1, e1143, 2021.

SOUZA, M.T.; MARCELINO, R.; FORTUNATO, I. O Lori Como Método de Avaliação de Objetos de Aprendizagem: Estudo de Revisão. Revista de Estudos Aplicados em Educação, v. 3, n. 5, 2018.

SOUZA, N.; CARDOSO, E.; PERRY, G.T. Limitações da Avaliação Automatizada de Acessibilidade em uma Plataforma de MOOCS: Estudo de Caso de uma Plataforma Brasileira. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 25, p. 603–616, 2019.

W3C-Brasil. Cartilha de Acessibilidade na Web - W3C Brasil. 2013. Disponível em: http://www.w3c.br/pub/Materiais/PublicacoesW3C/cartilha-w3cbr-acessibilidade-web-fasciculo-I.html . Acessado em: 5 abr. 2022.

WCAG. Web Content Accessibility Guidelines (WCAG) 2.1. 2018. Disponível em: https://www.w3.org/TR/WCAG21/ . Acessado em: 5 abr. 2022.

Publicado

2022-08-04

Como Citar

Silva, B. S. da, & Sousa, P. H. S. de. (2022). Avaliação Automática de Acessibilidade dos Materiais Didáticos de Cursos Técnicos de Informática. EaD Em Foco, 12(2). https://doi.org/10.18264/eadf.v12i2.1809

Edição

Seção

Estudos de Caso

Most read articles by the same author(s)