Educação Física e Ensino Remoto Emergencial: Percepções de Diferentes Sujeitos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v11i2.1580

Resumo

 A pandemia da COVID-19 impactou a sociedade brasileira, desencadeando medidas de prevenção à doença, restringindo espaços considerados de alto risco e induzindo o fechamento de escolas por tempo indeterminado. Desse modo, o Ministério da Educação através da Portaria nº 544, substituiu as aulas presenciais por remotas durante a pandemia, configurando assim o ensino remoto emergencial. Institucionalizado, este ensino fomenta questionamentos e incertezas sobre seus efeitos no processo pedagógico, principalmente relacionados à Educação Física devido seu caráter particular de aprendizado. Assim, este trabalho investigou percepções e impressões de diferentes sujeitos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem da EF escolar frente ao ensino remoto emergencial. A coleta de dados ocorreu por convite, através de questionário de caráter misto com dez questões entre abertas e fechadas, aplicadas de forma virtual. Utilizamos estatística descritiva de frequência e porcentagem e Análise de Conteúdo de Bardin (2011) para análise dos dados. Os achados mostram que há diferenças expressivas nas percepções sobre o ensino remoto emergencial e seus efeitos no processo escolar, dividindo opiniões e impressões sobre a temática. Além disso, os dados apresentam percepções mais concordantes referentes à perda nas relações entre professor/aluno no processo pedagógico, dificuldades de acesso e sobre o crescimento da inatividade física dos alunos nesse período. Por fim, apesar das dificuldades enfrentadas, os sujeitos caracterizam o ensino remoto emergencial como uma estratégia parcialmente positiva para o aprendizado do componente curricular. 

Palavras-chave: Educação física. Ensino remoto emergencial. Percepções. Sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Antonio da Silva Ferreira Júnior, Universidade Federal do Pampa

Graduado em Educação Física com Habilitação em Licenciatura pela Universidade Federal do Pampa 2017/2021 e colaborador externo do Núcleo de Pesquisa em Ensino de Fisiologia.

Letícia Corrêa Vaz, Universidade Federal do Pampa

Licenciada em Educação Física pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Atualmente é mestranda no Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas (PPGMCF - UNIPAMPA) e Integrante do Núcleo de Pesquisa em Ensino de Fisiologia.

Referências

ARRUDA, E. P. Educação remota emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. Revista Em Rede, 2020.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BEHAR, P. A. O Ensino Remoto Emergencial e a Educação a Distância. Rio Grande do Sul: UFRGS, 2020.

BETTI, I. C. R. Esporte na escola: mas é só isso, professor? Revista Motriz – Volume 1, Número 1, 25 - 31, jun., 1998.

BERGMANN, G.G. et al. Prevalence of physical inactivity and associated factors among adolescents from public schools in Uruguaiana, Rio Grande do Sul State, Brazil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

BRASIL. OMS classifica coronavírus como pandemia. Site Oficial do Governo do Brasil, Categoria Saúde e Vigilância Sanitária, 2020. Disponível em: Acesso em 05/05/2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 544, Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19, e revoga as Portarias MEC nº 343, de 17 de março de 2020, nº 345, de 19 de março de 2020, e nº 473, de 12 de maio de 2020, de 16 de junho de 2020, 2020.

BULGRAEN, V. C. O papel do professor e sua mediação nos processos de elaboração do conhecimento. Revista Conteúdo, Capivari, v.1, n.4, ago./dez. 2010.

CARVALHO, Y. M. Atividade física, saúde e comunidade. Cadernos Saúde Coletiva, 2006.

CATANANTE, F. et al. Aulas on-line durante a pandemia: condições de acesso asseguram a participação do aluno? Revista Científica de 28 Educação,2020.

COELHO, C. F; BURINI, R. C. Atividade física para prevenção e tratamento das doenças crônicas não transmissíveis e da incapacidade funcional. Revista de Nutrição. Campinas, 2009.

CUNHA, L. F. F. et al. O ensino remoto no Brasil em tempos de pandemia: diálogos acerca da qualidade e do direito e acesso à educação. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, Brasília, v. 7, n. 3, p. 27-37, ago. 2020.

DINIZ, L. T. S. et al. Percepção de professores sobre o processo de ensino e aprendizagem em tempos de pandemia. CONEDU - VII. Congresso Nacional de Educação - Educação como (re)existência: mudanças, conscientização e conhecimentos, 2020.

DUARTE, K. A; MEDEIROS, L. S. Desafios dos docentes: as dificuldades da mediação pedagógica no ensino remoto emergencial. CONEDU - VII. Congresso Nacional de Educação - Educação como (re)existência: mudanças, conscientização e conhecimentos, 2020.

FERREIRA, M. S. Aptidão física e saúde na Educação Física escolar: ampliando o enfoque. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 22, n. 2, p. 41-54, jan. 2001.

FILHO, A. L. F. et al. Alguns apontamentos para uma crítica da educação à distância (EaD) na educação brasileira em tempos de pandemia. Revista Tamoios, 2020.

FORTES, M. O. et al. A Educação Física escolar na cidade de Pelotas/RS: contexto das aulas e conteúdos. Revista de Educação Física/UEM, Maringá, 2012.

FRANCISCO, D. F; ARAÚJO, R. L. S. (2014). A importância da relação professor-aluno. Revista Multidisciplinar do Nordeste Mineiro, 2014.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GHILARDI, R. Formação profissional em Educação Física: a relação teoria e prática. Revista Motriz, 1998. 29

GUEDES, D. P. Educação para a saúde mediante programas de Educação Física escolar. Revista MOTRIZ. 1999.

GUTHOLD, R. et al. Global trends in insufficient physical activity among adolescents: a pooled analysis of 298 population-based surveys with 1·6 million participants. Magazine The Lancet Child Adolesc Health. 2020.

GÜNTHER, H; JÚNIOR, J. L. Perguntas abertas versus fechadas: uma comparação empírica. Revista de Psicologia: Teoria e Pesquisa, 2012.

LUIGI, R; SENHORAS, E. M. A crise pandêmica da COVID-19 e a des(governança) global da saúde. COVID-19: Enfoques Gerenciais na Saúde. Boa Vista, 2020.

MAIA, C. Opinião dos docentes da ESALD sobre a implementação do ensino por via remota, devido à pandemia COVID-19. Revista HIGEIA, 2021.

MALTA, D. C. et al. A pandemia da COVID-19 e as mudanças no estilo de vida dos brasileiros adultos: um estudo transversal. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, 2020.

MÉDICI, M. S. et al. Percepções de estudantes do ensino médio das redes pública e privada sobre atividades remotas ofertadas em tempos de pandemia do coronavírus. Revista THEMA, 2020.

MELLO, T; RUBIO, S. A importância da afetividade na relação professor/aluno no processo de ensino/aprendizagem na educação 30 infantil. Revista Eletrônica Saberes da Educação. 2013.

MIRANDA, K. K. C. O. et al. Aulas remotas em tempo de pandemia: desafios e percepções de professores e alunos. CONEDU - VII. Congresso Nacional de Educação - Educação como (re)existência: mudanças, conscientização e conhecimentos, 2020.

MONTEIRO. L. Z. et al. Hábitos alimentares, atividade física e comportamento sedentário entre escolares brasileiros: Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar, 2015. Revista Brasileira de Epidemiologia, 2020.

OLIVEIRA, H. V; SOUZA, F. S. Do conteúdo programático ao sistema de avaliação: reflexões educacionais em tempos de pandemia (COVID-19), 2020. Boletim de Conjuntura. BOCA, 2020.

ORTEGA, F. B. et al. Physical fitness in childhood and adolescence: a powerful marker of health. Magazine International Journal of Obesity. 2007.

SANTOS, A. G. B. et al. Diagnóstico das aulas de Educação Física no Estado do Rio Grande do Sul durante a Pandemia da Covid - 19. Revista EAD EM FOCO, 2020.

SARAIVA, K. et al. A educação em tempos de COVID-19: ensino remoto e exaustão docente. Revista Práxis Educativa Ponta Grossa, 2020.

SILVA, H. C. C. et al. Satisfação de professor com ferramentas para realização das aulas remotas durante a pandemia da COVID-19. XXVII Simpósio de Engenharia de Produção, 2020.

SILVEIRA, G. C. F; PINTO J. F. Educação Física na perspectiva da cultura corporal: uma proposta pedagógica. Revista Brasileira de 31 Ciências do Esporte, 2001.

VELOSO, L. O. et al. A relação da afetividade professor/aluno no processo de ensino-aprendizagem. Revista Insignare Scientia - RIS, 2020.

TODOS PELA EDUCAÇÃO. Ensino a distância na educação básica frente à pandemia da COVID-19. Brasil, 2020.

UNESCO – United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. “COVID-19 Educational Disruption and Response”. UNESCO Website. 2020. Disponível em Acesso em: 05/05/2021.

ZHU N. et al; China Novel Coronavirus Investigating and Research Team. A novel coronavirus from patients with pneumonia in China, The New England Journal of Medicine. 2019.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Coronavirus disease 2019 (COVID-19): situation report— 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global Recommendations on Physical Activity for Health. 2011.

Publicado

2021-10-22

Como Citar

Ferreira Júnior, J. A. da S., Vaz, L. C. ., & Souza, M. A. de. (2021). Educação Física e Ensino Remoto Emergencial: Percepções de Diferentes Sujeitos. EaD Em Foco, 11(2). https://doi.org/10.18264/eadf.v11i2.1580

Most read articles by the same author(s)