EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: UMA DISCUSSÃO DO SÉCULO XXI

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v5i2.217

Resumo

No presente trabalho, apresento um debate em torno da Educação a Distância: aspectos positivos e negativos. Na introdução, trago a importância da escola na formação do sujeito, nas seções subsequentes, trato da Educação a Distância, partindo de uma revisão bibliográfica e passando por uma entrevista de caráter qualitativo. Esta pesquisa foi realizada com profissionais da área da educação, com perguntas abertas, com o objetivo de promover um debate em torno da modalidade da educação a distância. Concluo o trabalho com uma reflexão pessoal, partindo da minha experiência como docente, apoiado pela teoria de diferentes autores na linha de pensamento construtivista e sociointeracionista. 

 

 

Palavras-chave: Educação a distância; Interação; Internet; Aprendizagem.

 

Distance Education: a Discussion in the 21st Century

 

Abstract
In the present study I propose a debate on distance education, covering both its positive and negative aspects. In the introduction I refer to the importance of the school in the formation process of the individual; in the following sections I cover Distance Education theme with a bibliographical revision and I also analyze the data collected by a qualitative interview. This survey was made with professionals of the educational field, with open-ended questions; it aims at promoting a reflection on distance education. I conclude this study with a personal reflection based on my own personal experience as a teacher, supported by the theory proposed by different authors, who follow both the constructivist and the social interactionist lines of thinking.

 

Keywords: Distance education; Interaction; Internet; Learning.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Portal Brasil. (2013). Brasil fecha 2012 com menor taxa de desemprego desde 2002. Acesso em 30 de junho de 2013. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2013/01/pais-fecha-2012-com-menor-taxa-de-desemprego

Brasil. (1996). Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, Imprensa Nacional.

Associação Brasileira de Educação a Distância. Censo EAD: Relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil. Acesso em 29 de junho de 2013. Disponível em: http://www.abed.org.br/censoead/censo2012.pdf

Cury, A. (2003). Pais brilhante e professores fascinantes (p. 171). Rio de Janeiro, RJ: Sextante.

Dambrosio, U. (1997). Educação Matemática da teoria à prática (2ª Ed., p. 121). São Paulo: Papirus.

Decreto 5622 de 6094. Decreto Nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Acesso em 30 de maio de 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/dec_5622.pdf

Dias, D. Cursos a distância superam os presenciais em todos os indicadores de qualidade do e-MEC. Acesso em 17 de março de 2014, disponível em https://ead.upf.br/mod/forum/discuss.php?d=25449

Díaz Bordenave, J. E. (1987). Teleducação ou Educação a Distância: Fundamentos e métodos (p. 77). Petrópolis, RJ: Vozes.

Gil, A. C. (2009). Estudo de caso (p. 148). São Paulo: Atlas.

Gonçalves, H. de A. (2005). Manual de Metodologia da Pesquisa Científica (2º ed., p. 142). São Paulo: Avercamp.

Kramer, E. A. W. C., Miragem, R., Silva, M. S., Oliveira, M. M. G., Souza, O. S., & Daniel, P. M. (1999). Educação a distância: da teoria à prática (p.151). Porto Alegre: Alternativa.

Moran, J. M., & Valente, J. A. (2011). Educação a distância: pontos e contrapontos (p. 134). São Paulo: Sammus.

Ocaño, J. R. (2010). Teorías de Educación y Modernidad (p. 309). Montevideo: Magro.

Raslan, V. G. da S. (2009). Uma comparação entre custo-aluno no ensino superior presencial e no ensino superior à distância. Dissertação de Mestrado. PUC/Campo Grande.

Saviani, D. (2005). Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações (9º ed., p.174). Campinas: Autores Associados.

Vasconcellos, C. dos S. (2009). Currículo: a atividade humana como princípio educativo (p. 259). São Paulo: Libertad.

Publicado

2015-03-05

Como Citar

EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: UMA DISCUSSÃO DO SÉCULO XXI. (2015). EaD Em Foco, 5(2). https://doi.org/10.18264/eadf.v5i2.217

Edição

Seção

Artigos Originais