Os Níveis de Satisfação dos Estudantes do Ensino à Distância em um Polo de Apoio Presencial da Região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v12i1.1588

Resumo

A pesquisa procurou identificar os benefícios mais valorizados e o grau de satisfação dos estudantes de um polo de apoio presencial de uma instituição de ensino à distância. Um survey utilizando questionário foi aplicado em uma amostra de 218 estudantes. A análise possui como preceitos teóricos o estudo do Comportamento do Consumidor e a Teoria Institucional das Organizações. Conclui-se que os estudantes entrevistados estão “satisfeitos” e “muito satisfeitos” com os benefícios percebidos nos produtos e serviços do polo de apoio presencial da IES pesquisada, expressando estarem muito satisfeitos com o atendimento da secretaria; limpeza e organização, e agendamento de provas presenciais no polo. Todavia os estudantes também demonstraram graus de insatisfação com o tempo de espera para apresentações de trabalhos, mesas, cadeiras, iluminação, e a entrega do material didático. Sendo assim, pesquisas dessa natureza são fundamentais para institucionalização de alguns requisitos no EaD e nos polos de apoio presencial.

 

Palavras-chave: Ensino à distância. Polos de apoio presencial. Estudantes. Níveis de satisfação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABED - Associação Brasileira de Educação a Distância. Dados do Censo da Educação Superiora Distância 20182019.Disponível em: http://abed.org.br/arquivos/CENSO_DIGITAL_EAD_2018_PORTUGUES.pdf Acesso em 31 mar. 2020.

ALVES, L. Educação à distância: conceitos e história no Brasil e no mundo. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância – RBAAD. 2011. Disponível em http://www.abed.org.br/revistacientifica/Revista_PDF_Doc/2011/Artigo_07.pdf.Consultado em 12 mai 2020.

AMARAL FILHO, R. G.; SILVA, C. L. Estratégia e estrutura institucional: uma proposta discursiva de integração. In: Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, XXX, 2006, Salvador. Anais...Salvador: ANPAD, 2006.

ASSUMPÇÃO, G. S. et al. Análise do perfil dos alunos do primeiro curso de EAD em engenharia de produção em instituições de ensino superior pública. Revista Produção Online, Florianópolis, v. 18(2), p. 404-423, 2018.

BALTAS, G. et. al. The role of customer factors in multiple stores patronage: a cost-benefit approach. Jounal of Retailing, v. 86, n. 1, p. 37-50, 2010.

BARBOZA, S. I. S. et al. Uma análise dos condicionantes da satisfação, da dedicação e do desempenho de estudantes de cursos de Administração. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 14, n. 2, p. 323-349, Rio de Janeiro, 2014.

BARDAGI, M. P.; HUTZ, C. S. Mercado de trabalho, desempenho acadêmico e o impacto sobre a satisfação universitária. Revista de Ciências Humanas, v. 46, n. 1, p. 183-198, Florianópolis, 2012.

BARRETO, C. E. F.; MACHADO, R. Estratégias de Marketing e valor ao consumidor. Revista Administração e Dialógo, v. 1, p. 157-167, São Paulo, 1998.

BRADLEY, T. Gerenciando o valor do cliente. Pioneira. São Paulo, 1994.

CARAVANTES, G. R. et al. Administração Teorias e Processos. São Paulo: Pearson, 2005.

CARVALHO, C. A. P. et al. Contribuição da perspectiva institucional para análise das organizações. In: Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. XXII, 1999, Foz do Iguaçu. Anais...Foz do Iguaçu: ANPAD, 1999.

CERETTA, S. B. N.; FROEMMING, L. M. S. City Marketing: key dimensions of a good living city. Revista Produção e Desenvolvimento, v. 1, n. 3, p. 67-79, 2015.

CERIBELLI, H. B.; MERLO, E. M. Antecedentes mais relevantes da satisfação dos consumidores no varejo supermercadista. Revista Gestão. Org. v. 12 (2), p. 147-152, Pernambuco, 2014.

CRUBELLATE, J. M. et al. A questão institucional e suas implicações para o pensamento estratégico. Revista de Administração Contemporânea, v. 8, Edição Especial, p. 35-60, Curitiba, 2004.

ENGEL, J. F. et al. Comportamento do consumidor. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

FATIMA, J. K.; RAZZAQUE, M. A. Service quality and satisfaction in the banking sector. International Journal of Quality & Reliability Management, v. 31, n. 4, p. 367-379, 2014.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HAWKINS, D. I. et al. Comportamento do consumidor: construindo a estratégia de marketing. 10. ed.. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Dados do Censo da Educação Superior. Brasília, 2018. Disponível em:http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2019/censo_da_educacao_superior_2018-notas_estatisticas.pdf

LEMOS, S.; PEDRO, N. Expectativas e satisfação dos estudantes em curso em e-learning no ensino pós-graduado. ETD, v. 5, n. 1, p. 107-126, Campinas, 2013.

LIMA FILHO, D. O. et al. Expectativas versus satisfação dos consumidores da rede hoteleira de Campo Grande – MS. Revista Turismo em Análise, v. 23, n. 1, Mato Grosso do Sul, 2012.

MALHORTA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada.Porto Alegre: Bookman, 2011.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MEC. Ministério da Educação. Decreto nº 9.057/2017, de 25 de maio de 2017. Disponívelem:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20152018/2017/decreto/d9057.htm

Acesso em 30 abr. 2020.

MONTIEL, J. M. et al. Considerações a respeito do autogerenciamento da aprendizagem em estudantes de educação a distância. Psicologia em Revista, v. 21(3). p. 1-8, 2015.

OLIVER, R. L. Satisfaction – a behavioral perspective on consumer. Vanderbilt University/McGraw – Hill, 1997.

PAIVA, R. Gestão de marketing educacional. IESDE Brasil. Curitiba, 2012.

RAMPAZZO, L. Metodologia científica: para alunos dos cursos de graduação e pósgraduação. 5. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2010.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e pesquisa. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1989.

ROAZZI, A.; DE SOUZA, B.C. Repensando a inteligência. Revista Paidéia, v. 12 (23). p. 31-55, 2002.

QUINELLO, R. A teoria institucional aplicada à administração. São Paulo: Novatec, 2007.

ROLIM, A. T.; SCARAMUZZA, B. C.; Aprendizagem significativa em ambientes virtuais de aprendizagem. Revista do Programa de Pós-graduação em Educação – Mestrado – Universidade do Sul de Santa Catarina, v. 10(especial), p. 182-195, 2016.

SANTOS NETTO, J. P. Institucionalização da gestão do conhecimento nas empresas: estudos de casos múltiplos. 248f. Tese (Doutorado em Administração). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade São Paulo, São Paulo, 2005.

SCHULTZ, G. Introdução à Gestão de Organizações. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2016.

SPRÉA, D. M. Evolução histórica do Direito do Consumidor. Rio de Janeiro. Anais do Curso de Direito do Centro Universitário Antônio Eufrásio de Toledo, p. 110-128, 2007.

SILVA, C. L. M. et al. Mudança e estratégia nas organizações: perspectivas cognitiva e institucional. São Paulo: Atlas, 1999.

SILVA JR., S.D; COSTA, F.J Mensuração e escalas de verificação: uma análise comparativa das escalas de Likert e Phrase Completion. Anais...XVII SemeAD – Seminário em Administração, p. 1-16, São Paulo, 2014.

TEIXEIRA, J. C. I.; Fatores que influenciam o comportamento do consumidor. Monografia apresentada como requisito parcial para obtenção do título de especialista em Gestão estratégica de vendas e negociação da Universidade Cândido Mendes. Rio de Janeiro, 2010.

WESTBROOK, R. A.; OLIVER, R. L. The dimensionality of consumption emotion patterns and consumer satisfaction. Journal of Consumer Research, v. 18, n. 3, p. 84-91, 1991.

Publicado

2022-04-20

Como Citar

Fagundes, M. A. B. ., Sausen, J. O., & Brizola, M. M. B. (2022). Os Níveis de Satisfação dos Estudantes do Ensino à Distância em um Polo de Apoio Presencial da Região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. EaD Em Foco, 12(1). https://doi.org/10.18264/eadf.v12i1.1588

Edição

Seção

Estudos de Caso

Most read articles by the same author(s)