O Plano de Aula para Educação On-line na Pandemia de Covid-19

Autores

Resumo

. A Pandemia do SARS-CoV-2, que provoca a Covid-19, tem afetado os ordenamentos sociais, políticos e econômicos do país. O distanciamento social, necessário para conter o avanço do vírus, resultou no fechamento de instituições educacionais, e o ensino presencial foi transposto para ambientes virtuais de aprendizagem, onde passou a ser executado exclusivamente com mediação tecnológica. Assim, o presente artigo tem como objetivo apresentar um plano de aula para educação on-line, no componente curricular Didática, utilizado como proposta orientadora para formação de professores (as), no Curso de Licenciatura em Pedagogia de uma Universidade Pública. De acordo com a atual conjuntura educacional no país, a ação de planejar a aula não pode ser uma mera transposição do presencial, é preciso conhecer o nível de inclusão digital dos discentes, características e potencialidades do ambiente virtual de aprendizagem escolhido. Além disso, ainda apresenta as concepções sobre ensino remoto, educação à distância, educação On-line, ensino híbrido. A abordagem metodológica é qualitativa, na qual utilizou-se a revisão de literatura e pesquisa-formação, propondo uma reflexão e ação na formação inicial de professores (as). Resultados, sugere-se a utilização do Moodle (Modular Object-oriented Dynamic Learning Environment) e suas interfaces de atividades, visto que é uma plataforma educacional livre, de código aberto, com possibilidade de uso em atividades síncrona e/ou assíncrona, e, apresentação de um quadro orientador para as etapas de construção do plano de aula, seleção dos conteúdos, objetivo geral e específicos, estratégias metodológicas, definição dos objetos de aprendizagem e a avaliação da aprendizagem.

 

Palavras-chave: Covid-19. Educação on-line. Plano de aula. Moodle.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Telma Brito Rocha , Universidade Federal da Bahia

Departamento de Educação II, Faculdade de Educação

Referências

ABUTAKKA, R. V.; SILVA, L. M.; ANJOS, A. M. dos. Ensino híbrido: organização e sistematização de conceitos com base em revisão sistemática da literatura. EmRede: Revista de Educação a Distância, Porto Alegre, v. 6, n. 2, p. 204-220, 2019. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/467. Acesso em: 10 abr. 2021.

ALVES, L. Educação remota: entre ilusão e a realidade. Interfaces Científicas, Aracaju, v. 8, n. 3, p. 348-365, ago. 2020. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/index.php/educacao/article/view/9251. Acesso em: 19 mar. 2021.

AMIEL, T. Educação aberta: configurando ambientes, práticas e recursos educacionais. In: SANTANA, B.; ROSSINI, C.; PRETTO, N. De L. (org.). Recursos educacionais abertos: práticas colaborativas e políticas públicas. Salvador: EDUFBA, 2012. v. 1, p. 17-34. Disponível em: https://www.aberta.org.br/livrorea/livro/livroREA-1edicao-mai2012.pdf. Acesso em: 16 mar. 2021.

BARREIRO-PINTO, I. A.; SILVA, M. Avaliar a aprendizagem na educação online: a transposição de procedimentos presenciais e a dinâmica específica da web. 2008. Disponível em: http://31reuniao.anped.org.br/1trabalho/GT16-4700--Int.pdf. Acesso em: 07 abr. 2021.

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação: políticas e reformas da educação superior. São Paulo: Cortez, 20

FARIAS, I. M. S. et al. Didática e docência: aprendendo a profissão. Brasília, DF: Líber Livros, 2011.

HOFFMANN, J. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola: a universidade. 11. ed. Porto Alegre: Mediação, 1993.

HOFFMANN, J. O jogo do contrário em avaliação. Porto Alegre: Mediação, 2005.

LIBÂNEO, J. C. Didática. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2013.

MACEDO, R. S.; GUERRA, D. M. J. Reflexões sobre a exteriorização das experiências formativas via diários online em contextos multirreferenciais de pesquisa-formação. In: SANTOS,E.; CAPUTO, S. G. Diário de pesquisa na cibercultura: narrativas multirreferenciais com os cotidianos. 1ed. Rio de Janeiro: OMODE, 2018.

PESCE, L. M. Avaliação da aprendizagem nos programas online de formação continuada de educadores. Estudos em Avaliação Educacional, Rio de Janeiro, v. 23, n. 51, p. 190-212, 2012. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/eae/article/view/1956. Acesso em: 11 abr. 2021.

SANTOS, E. EAD, palavra proibida. Educação online, pouca gente sabe o que é. Ensino remoto, o que temos para hoje. Mas qual é mesmo a diferença? Revista Docência e Cibercultura, Notícias, Rio de Janeiro, 22 jun. 2020. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/re-doc/announcement/view/1119. Acesso em: 12 abr. 2021.

SANTOS, E. Pesquisa-formação na cibercultura. Teresina: EDUFPI, 2019. Disponível em: http://www.edmeasantos.pro.br/assets/livros/Livro%20PESQUISA-FORMA%C3%87%C3%83O%20NA%20CIBERCULTURA_E-BOOK.pdf. Acesso em: 10 jan. 2021.

SANTOS, E.; SILVA, M. Desenho didático interativo para educação online. Revista Iberoamericana de Educación, Madrid, n. 49, p. 267-287, enero-abr., 2009. Disponível em: https://rieoei.org/historico/documentos/rie49a11.pdf. Acesso em: 08 abr. 2021.

SANTOS, T. J. C. P.; ALVES, M. P. Perspetivas de avaliação das aprendizagens, no ensino básico. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, La Coruña, SP, n. 10, p. 69-74, 28 nov. 2015. Disponível em: https://revistas.udc.es/index.php/reipe/article/view/reipe.2015.0.10.437/pdf_268. Acesso em: 07 abr. 2021.

VASCONCELOS, C. Reflexões sobre o planejamento e algumas de suas interfaces com o projeto político-pedagógico e a avaliação. In: D'Ávila, C; MARIN, A. J; FRANCO, M. A. S; FERREIRA, L. G. Didática: saberes estruturantes e formação de professores. Salvador: EDUFBA, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/30772. Acesso em: 12 ago. 2021.

Publicado

2021-05-12

Como Citar

Rocha , T. B. (2021). O Plano de Aula para Educação On-line na Pandemia de Covid-19 . EaD Em Foco, 11(2). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1460