Avaliação da Facilidade de Aprendizagem Autônoma de Alunos que Estudam em Modelo Híbrido em uma Universidade de São Paulo

Autores

Resumo

Este artigo teve como objetivo avaliar a facilidade da aprendizagem autônoma de alunos de cursos tecnólogos que estudam através do modelo híbrido em uma Universidade de São Paulo. Trata-se de uma pesquisa exploratória com enfoque quantitativo, cujos dados foram coletados em um survey. Foram aplicados 215 questionários, contendo 15 assertivas. O levantamento dos resultados foi realizado por meio de Modelagem de Equações Estruturais por Mínimos Quadrados Ponderados, MEE-PLS. A validade discriminante teve sua verificação pelo critério de Fornell-Larcker e, segundo este critério, há validez discriminante em todos os cinco construtos propostos. O bootstrapping, processo que testa a significância do modelo, foi realizado em ambos os modelos, inicial e final e, apresentou significância nas estatísticas t, ao nível de 95% de confiança. Os resultados do modelo estatístico apresentam uma avaliação positiva da facilidade de aprendizagem de alunos que estudam em modelo híbrido.

 

Palavras-chave: AVA. Aprendizagem autônoma. Universidade. Híbrido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso Editora, 2015.

BACKES, E. M. et al. Alternativas para a construção de conhecimento na graduação de administração a distância. 14. CIAED. Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, Santos, 2008.

BIDO, D. S. et al. Mensuração com indicadores formativos nas pesquisas em administração de empresas: Como lidar com a multicolinearidade entre eles? Administração: Ensino e Pesquisa, v. 11, n. 2, p. 245-269, 2010.

BOULTON, C. A.; KENT, C.; WILLIAMS, H. T. P. Virtual learning environment engagement and learning outcomes at a “bricks-and-mortar” university. Computers & Education, v. 126, p. 129–142, 2018.

CASAGRANDE L.; KLERING L. R.; KRUEL, A. J. Estudo Comparativo de Percepções de Alunos de Especialização Lato Sensu nas Modalidades Presencial e EAD. Anais de Congresso, XXII ANPAD. Rio de Janeiro, 2008.

CHIN, W. W. Commentary: Issues and opinion on structural equation modeling. Management Information Systems Research Center, University of Minnesota, 1998.

CHRISTENSEN, C. M.; HORN, M. B.; STAKER, H. Is K-12 Blended learning disruptive? an introduction to the theory of hybrids. Clayton Christensen Institute for Disruptive Innovation, 2013.

DEPHELPS, C. et al. Using Hybrid Learning to Improve Educational Programs for Small-Acreage. Farme Journal of Extension, v. 57, n. 4, agosto de 2019.

HAIR JÚNIOR, J. F.; GABRIEL, M. L. D. S.; PATEL, V. K. Modelagem de Equações Estruturais Baseada em Covariância (CB-SEM) com o AMOS: Orientações sobre a sua aplicação como uma Ferramenta de Pesquisa de Marketing. Revista Brasileira de Marketing, v. 13, n. 2, p. 44-55, 2014.

HAIR JÚNIOR, J. F. et al. Análise Multivariada de Dados. 6. ed. Porto Alegre: Editora Bookman, 2010.

HANNUM, W, H. et al. Effectiveness of using learner-centered principles on student retention in distance education courses in rural schools. North Carolina: Distance Education, v. 29, n. 3, p. 211–229, November 2008.

HORN, M. B.; STAKER, H.; CHRISTENSEN, C. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre: Penso Editora, 2015.

KLINE, R. B. Principles and practice of structural equation modeling. Nova York: Guilford Publications, 2015.

LIKERT, R. Una técnica para la medición de actitudes. In: WAINERMAN, C. H. Escalas de medición en ciencias sociales. Buenos Aires: Ed. Nueva Visión, 1976, p. 67-83.

LIMA, L. H. F.; MOURA, F. R. O professor no ensino hibrido. Porto Alegre: Penso, 2015.

MARTINÉZ, V. et al. Propuesta para el Desarrollo de Instrumentos de Autoevaluación Para Programas Educativos a Distancia. Revista Electrónica Actualidades Investigativas en Educación, v. 11, n. 2, Costa Rica, 2011.

MORAES, R. C. Educação a distância e ensino superior. São Paulo: SENAC, 2010.

MORAN, J. Educação híbrida: um conceito-chave para a educação, hoje. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, p. 27-45, 2015.

NEVES, J. A. B. Modelo de equações estruturais: uma introdução aplicada, 2018.

NORTON, P; HATHAWAY, D. Exploring Two Teacher Education Online Learning Designs: A Classroom of One or Many? Fairfax: Journal of Research on Technology in Education. George Mason University, 2008.

PETERSON, S.; PALMER, L. Technology Confidence, Competence and Problem Solving Strategies: Differences within Online and Face-to-Face Formats. The Journal of Distance Education / Revue de l'Éducation à Distance, v. 25, n. 2, Canadá, 2011.

PICCIANO, A. G.; DZIUBAN, C. D. Blended Learning: Research Perspectives. Goldbooks, Austin, 2007.

PONTES, T. B. Planejamento de aula no ensino superior na modalidade blended learning: requisitos para rede social educativa. Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação) - Universidade Federal de Pernambuco, 2013.

PREARO, L. C. Os serviços públicos e o Bem-estar subjetivo da população: uma modelagem multigrupos baseada em mínimos quadrados parciais. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013.

REDONDO, R. et al. Network of educational investigation: Teaching innovation. World Journal on Education Technology, v. 3, n. 1, Madrid, 2011.

RITZHAUPT, A. et al. An Investigation of Distance Education in North American Research Literature Using Co-word Analysis. International Review of Research in Open and Distance Learning, v. 11, n. 1, EUA, 2011.

ROSENBLIT, S. Distance Education in the Digital Age: Common Misconceptions and Challenging Tasks. Journal of Distance Education, v. 23, n. 2, Canadá, 2009.

SALAS, E. et al. Emerging themes in distance learning research and practice: some food for thought. International Journal of Management Review, Malden, v. 4, n. 2, p.135-153, 2002.

SILVA, M. R. C. Ensino híbrido em cursos presenciais de graduação das universidades federais: uma análise da regulamentação. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2016.

VALENTE, J.; ALMEIDA, M. E. B.; GERALDINI, A. F. S. Metodologias ativas: das concepções às práticas em distintos níveis de ensino. Revista Diálogo Educacional, v. 17, n. 52, p. 455-478, 2017.

ZWICKER, R. et al. Uma revisão do Modelo do Grau de Informatização de Empresas: novas propostas de estimação e modelagem usando PLS (partial least squares). In: XXIX Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (EnANPAD), 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Anpad, 2008.

Publicado

2021-07-23

Como Citar

Da Silva, R. E. G. ., Arruda Barroso, J. ., Mantoan, A., & Campi Prearo, L. (2021). Avaliação da Facilidade de Aprendizagem Autônoma de Alunos que Estudam em Modelo Híbrido em uma Universidade de São Paulo. EaD Em Foco, 11(1). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1402

Edição

Seção

Artigos Originais

Most read articles by the same author(s)