Percepções sobre a Docência na Pandemia: Trocas entre Professoras Iniciantes e Experientes no Programa Híbrido de Mentoria

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v10i3.1278

Resumo

Em função da pandemia da COVID-19, professores das escolas brasileiras estão enfrentando diversos tipos de dificuldades que nunca haviam experienciado. A partir de tal situação, professoras experientes, que atuam como mentoras no Programa Híbrido de Mentoria, trabalham no sentido de se reinventar como docentes perante o distanciamento social e, ao mesmo tempo, auxiliar professores iniciantes (PIs) a lidar com os desafios deste período. Apresenta-se neste trabalho trocas entre três mentoras da educação infantil e suas PIs em um espaço virtual, sobre experiências, práticas pedagógicas e sentimentos referentes ao período da pandemia. Dentre as principais dificuldades citadas pelas participantes, destacam-se: manter contato com as crianças e suas famílias; desigualdade de acesso aos recursos tecnológicos; desenvolvimento de educação remota para crianças pequenas. A iniciativa das mentoras em realizar um encontro virtual com as PIs aponta a relevância de espaços para conversas entre pares, principalmente durante a pandemia, em que docentes experientes e iniciantes vivenciam sentimento de isolamento e intenso processo de aprendizagem sobre o que é ser docente nesse cenário.

Palavras-chave: Aprendizagem da docência. Mentoria. Pandemia.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Marini, Universidade Federal de São Carlos

Possui graduação em Pedagogia - Licenciatura Plena - pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestre em Educação pela UFSCar. Atualmente é doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFSCar. Realiza estudos com ênfase em formação de professores, aprendizagem e desenvolvimento profissional docente, formação inicial e continuada e formação de formadores.

Aline Maria de Medeiros Rodrigues Reali, Universidade Federal de São Carlos

Graduação em Psicologia (FFCL de Ribeirão Preto), mestrado em Educação Especial (UFSCar) e doutorado em Psicologia (Psicologia Experimental - USP). É professora titular do departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas do Centro de Educação e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Carlos, atua no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCar. Foi Secretária de Educação a Distância da UFSCar (2009-2016). Tem experiência na área de Educação com ênfase em Formação de Professores. Desenvolve pesquisas sobre as seguintes temáticas: programas de apoio a professores em início de carreira, mentoria,desenvolvimento profissional da docência, aprendizagem profissional da docência, formação continuada de professores; formação de professores via Internet, base de conhecimento. Atualmente é editora da Revista Eletrônica de Educação (REVEDUC) vinculada ao PPGE-Educação da UFSCar. Coordena a pesquisa-intervenção: Desenvolvimento profissional docente de professores experientes e iniciantes: Programa Híbrido de Mentoria (PHM), financiada pela FAPESP. 

Referências

ALMEIDA et al.. As pesquisas sobre professores iniciantes: uma revisão integrativa. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v.14, 1-23, jan./dez. 2020. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4152/1079 Acesso em: 20 out. 2020.

ANDRÉ, M. E. D. et al. O trabalho docente do professor formador no contexto atual das reformas e das mudanças no mundo contemporâneo. Rev. Bras. Est. Pedag., Brasília, v. 91, n. 227, p. 122-143, jan./abr. 2010. Disponível em: http://rbepold.inep.gov.br/index.php/rbep/article/view/606/587 Acesso em: 20 out. 2020.

ANJOS, C. I.. Tatear e desvendar: um estudo com crianças pequenas e dispositivos móveis. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Alagoas. Centro de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Maceió, 2015.

BECA, C. E.; BOERR, I. Políticas de inducción a profesores nóveles: experiencia chilena y desafíos para América Latina. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v.14, 1-23, jan./dez. 2020. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4683 Acesso em: 20 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI). Brasília, DF. 2009.

BRITO, J. M. da S. A Singularidade Pedagógica do Ensino Híbrido. EaD em Foco, V. 10, e948, 2020. Disponível em: <https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/948/537>. Acesso em: novembro de 2020.

CALGARO, Sheila. Escolas na quarentena: quando a distância desafia a educação. Lunetas, São Paulo, 30 de abril de 2020. Disponível em: <https://lunetas.com.br/escolas-na-quarentena/> Acesso em: novembro de 2020.

Comitê Científico do Núcleo Ciência Pela Infância. Edição Especial: Repercussões da Pandemia de COVID-19 no Desenvolvimento Infantil, 2020. Disponível em: https://ncpi.org.br/publicacoes/wp-pandemia/ Acesso em: 20 out 2020

FERNANDES, F. F.; SCHERER, S. Constituição de Um Ambiente Virtual de Aprendizagem: Uma Disciplina, Espaços Virtuais, Interações. EaD em Foco, V. 10, e996, 2020. Disponível em: <https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/996/523>. Acesso em: 01 nov de 2020.

KOHAN, W. O.. Tempos da escola em tempo de pandemia e necropolítica. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 15, p. 1-9, 2020. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/16212/209209213391 Acesso em: 20 out. 2020.

KRAMER, S.. Entrevista - “Precisamos estar preparados para brincar muito”. [Entrevista concedida a NASCIMENTO, A.; SALUTTO, N.; BARBOSA, S. N. F.]. Revista Interinstitucional Artes de Educar. Rio de Janeiro, V. 6, N.2, p. 775-791, 2020. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/riae/article/view/51073 Acesso em: 20 out 2020

LIMA, E. F. de. A construção do início da docência: reflexões a partir de pesquisas brasileiras. Educação, Santa Maria, v. 29, n. 2, p. 85-98, 2004.

MACEDO, N.; PESSANHA, F.; ALENCAR, C.. Escola da pequena infância e alguns paradoxos no contexto da pandemia da COVID-19. Olhar de professor, Ponta Grossa, v.23, p. 1-6, e-20, 2020. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/16035/209209213643 Acesso em: 20 out. 2020.

MASCIOLI, S. As propostas e o trabalho pedagógico com as múltiplas linguagens curriculares na Educação Infantil. In: SOMMERHALDER, A. (org). A Educação Infantil em perspectiva: fundamentos e práticas docentes. São Carlos: EDUFSCar, 2015.

MIZUKAMI, M. G. N. et al. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EdUFSCar, 2010.

AUTOR X; AUTOR Y, 2019.

REALI, A. M. M. R.; TANCREDI, R. M.; MIZUKAMI, M. G. Programa de mentoria online: espaço para o desenvolvimento profissional de professoras iniciantes e experientes. Educação e Pesquisa, v.34, n.1; p.77-95, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-97022008000100006&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 02 nov 2020

RONDINI, C. A., PEDRO, K. M.; DUARTE, C. dos S. Pandemia do COVID-19 e o ensino remoto emergencial: mudanças na práxis docente. Interfaces Científicas - Educação, 10(1), 2020, p. 41-57. Disponível em: <https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v10n1p41-57>. Acesso em: 02 nov 2020.

SILVA, A. C. Educação e tecnologia: entre o discurso e a prática. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.19, n.72, Jul/Set. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ensaio/v19n72/a05v19n72.pdf Acesso em: 02 nov 2020

VAILLANT, D.; MARCELO, C. El ABC y D de la formación docente. Madrid: Narcea, 2015.

Publicado

2020-12-17

Como Citar

Barros, B. C. de, Marini, C., & Reali, A. M. de M. R. . (2020). Percepções sobre a Docência na Pandemia: Trocas entre Professoras Iniciantes e Experientes no Programa Híbrido de Mentoria. EaD Em Foco, 10(3). https://doi.org/10.18264/eadf.v10i3.1278