Abre a câmera, por Favor”: Aulas Remotas no Ensino Superior, uma Abordagem Fenomenológica

Autores

Resumo

Uma das características do espírito do tempo que estamos vivendo, desde que o isolamento social foi utilizado para conter o avanço do COVID-19,é a necessidade imediata de adaptação dos docentes e discentes aos recursos disponíveis para a educação, tais como computadores e redes de internet, por exemplo, transpondo-os de imediato para o ensino remoto. O objetivo dessa pesquisa é investigar o processo de adaptação dos docentes de ensino superior das aulas presenciais para aulas remotas durante o primeiro semestre letivo de 2020. A pergunta de pesquisa que nos orientou é: como os docentes se adaptaram às aulas remotas? O método de pesquisa é de abordagem fenomenológica. Para conseguir essa resposta entrevistamos 5 docentes do ensino superior. O material foi transcrito e analisado, emergindo três categorias a partir das falas, que foram confrontadas à luz da literatura. Essas categorias foram nomeadas de: a) “abre a câmera, por favor”; b) conforto dentro de casa?” e c) autossuperação. Como conclusão apontamos os avanços que esse momento disruptivo trouxe ao ensino, bem como a necessidade de apoio institucional aos docentes.      

Palavras-chave: Covid-19. Ensino remoto. Docentes do ensino superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, L. Educação remota: entre a ilusão e a realidade. Interfaces Científicas-Educação, v.8, n. 3, p. 348-365, 2020.

ALVES, L. R. G.; MOREIRA, J. A. (Org.). Tecnologias e aprendizagens: delineando novos espaços de interação. Salvador: Editora da UFBA, 2017. v. 1. 253p.

BARBOSA, M. A. C.; PINTO, C. L. T.; CASSUNDÉ, F. R. de S. A. A Influência das Condições Institucionais de Universidades Públicas para o Desenvolvimento de Competências Eletrônicas dos Professores no Ensino Superior. EaD em Foco, v.10, e889, 2020. doi: https://doi.org/10.18264/eadf.v10i1.889.

BATISTA, J. de O.; MOCROSKY, L. F.; MONDINI, F. Modos de Ser na/da Educação a Distância. EaD em Foco, v. 10, e901, 2020. doi: https://doi.org/10.18264/eadf.v10i1.901.

BRASIL. Ministério da Educação. CORONAVÍRUS: Monitoramento nas instituições de ensino. Brasília, 2020. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/coronavírus/>. Acesso em: 12 de outubro. 2020.

BRASIL. Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Diário Oficial União, p. 01, 2017.

BRAZ, M. I., & Silva, S. C. da. (2019). O conceito de comunidade discursiva e as convergências com a Terminologia. Tradterm, 34, 81-105.

BICUDO, M. A. V. (Org.). Pesquisa Qualitativa segundo a visão fenomenológica. 1 ed.São Paulo: Cortez, 2011. p. 7-28.

CAPALBO, C. Fenomenologia e educação. Fórum da Educação. Rio de Janeiro. 14(3):41-61, jun/ago. 1990.

CARNEIRO, D. V.; MONTEIRO, P. O. Representações sociais docentes: EaD e educação presencial. Revista EaD em Foco, [S.l.], v. 8, n. 1, jun. 2018. ISSN 2177-8310. doi:https://doi.org/10.18264/eadf.v8i1.681.

FARIAS, F. R.; DIAS, M. J. Os desafios entre o ensino presencial e o ensino a distância: uma questão de cultura digital e de formação do educador. EaD em Foco-Revista Científica em Educação a Distância.v.1, n.1, 2010.

FONTANELLA, B. J. B.; RICAS J.; TURATO E. R. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad Saúde Pública 2008; 24:17-27.

GARNICA, A. V. M. Some notes on qualitative research and phenomenology. Interface — Comunicação, Saúde, Educação, v.1, n.1, 1997.

HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. Trad. Márcia de Sá Cavalcante. Petrópolis: Vozes, 1989.

HOBSBAWM, E. Tempos fraturados: cultura e sociedade no século XX. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

OLIVEIRA, F. A.; DOS SANTOS, A. M. S. Construção do Conhecimento na Educação a Distância: Descortinando as Potencialidades da EaD no Brasil. EaD em Foco, V10, e799. 2020. https://doi.org/10.18264/eadf.v10i1799.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da Percepção. Trad. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Procuradoria Geral do Trabalho. NOTA TÉCNICA – GT COVID 19 - 11/2020. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/documentos/nota-tecnica25062020.pdf. Acesso em: 11 outubro 2020.

PEREIRA, A. T.; SASS, S. D.; GALLIAN, D. M. C. Percepções de Docentes sobre as Tecnologias no Ensino em Saúde. EaD em Foco, v. 10, n. 2, e1091, 2020.

SANTOS, B, de S. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina, S/A, 2020.

SILVEIRA, S. R. et al. O Papel dos licenciados em computação no apoio ao ensino remoto em tempos de isolamento social devido à pandemia da COVID-19. 2020. Série Educar-Volume 40, Prática Docente, p. 35.

SOARES, R. de A.; SILVA, G. A. Regulamentos da EaD no Brasil e o Impacto da Portaria Nº 343/2020 no Ensino Superior. EaD em Foco, v. 10, n.3, e1043, 2020.

VIEIRA, K. M. et al. Vida de Estudante Durante a Pandemia: Isolamento Social, Ensino Remoto e Satisfação com a Vida. EaD em Foco, v. 10, n. 3, e1147, 2020.

Publicado

2021-03-11

Como Citar

Ribeiro, C. V., Cavalcanti, M. ., & Pimentel, A. . (2021). Abre a câmera, por Favor”: Aulas Remotas no Ensino Superior, uma Abordagem Fenomenológica. EaD Em Foco, 11(2). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1269