Libras em Pílulas: Incitando o Interesse Escolar dos Alunos Surdos e Ouvintes em Tempos de Pandemia

Autores

Resumo

O presente trabalho de abordagem qualitativa e etnográfica apresenta um relato de experiências das adaptações feitas para ensinar alunos surdos dos anos iniciais do ensino fundamental de uma escola estadual no estado de Minas Gerais durante o período de isolamento social instituído pela pandemia causada pelo Corona vírus. Discute ainda, o ensino de Libras e o processo de alfabetização bilingue na perspectiva da educação a distância a partir do uso das tecnologias da informação e comunicação.  Apoia-se nos depoimentos de seus participantes e nas reflexões dos autores acerca das dificuldades e contribuições da educação a distância no processo de ensino de alunos surdos na educação básica, como corpus de análise e contextualização. Como resultado observa-se que as adaptações didáticas, a aproximação com os alunos e suas famílias e o uso das tecnologias da informação e comunicação, constituem recursos fundamentais para o estímulo contínuo do processo de ensino-aprendizagem dos alunos surdos e de seus colegas ouvintes.


Palavras-chave: Libras. Surdo. Pandemia. Educação a distância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago de Oliveira Lemes, Universidade Federal de Lavras

Mestre em educação pela Universidade Federal de Lavras (2019) , graduado em Pedagogia pela Universidade Metropolitana de Santos (2013), pós graduação em Psicopedagogia e Arteterapia pela Faculdade Paulista de Artes-FPA (2015) e pós graduação em Docência do Ensino Superior de Libras pela Universidade Cândido Mendes (2018). Graduando do curso de Letras-Libras como segunda licenciatura (FASEB 2020). Possui certificação do Prólibras emitido pela Universidade Federal de Santa Catarina para o uso e ensino de Libras (2008) e para tradução e interpretação de Libras (2010). Atualmente é Professor de Libras do Centro Universitário do Sul de Minas (UNIS) e Professor Mediador no curso de Pedagogia Bilíngue INES/ UFLA. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Inclusiva.

Cíntia Alethéia de Paiva, Universidade Federal de Juíz de Fora

Mestra em Gestão e Avaliação da Educação Pública. Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF. (2018). Pós graduada em Psicopedagogia Institucional pela Universidade Castelo Branco (2006). Graduada em Letras (Licenciatura) pelo Centro Universitário do Sul de Minas (2002). Graduada em Direito (Bacharelado) pela Faculdade de Direito de Varginha (2011). Professora efetiva de Língua Portuguesa na Rede Estadual de Ensino. Atualmente é diretora escolar no Governo do Estado Minas Gerais. 

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. 15ª Ed.Papirus. Campinas. 2008. 128 p.

BERNARDINO, E. L. A; PASSOS, R. Ensino de Libras on-line. Anais do VII Congresso Internacional da Abralin. 2011.p. 1278-1288. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/padrao_cms/documentos/profs/elidea/ElideaBernardinoRosanaPassos.pdf. Acesso em 12 de outubro de 2020.

CERNY, R. Z. Gestão pedagógica na educação a distância: análise de uma experiência na perspectiva da gestora. Tese de doutorado apresentada ao setor de Pós Graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP. São Paulo, 2009. 263 p. Disponível em: https://leto.pucsp.br/bitstream/handle/10115/1/Roseli%20Zen%20Cerny.pdf. Acesso em 13 de outubro de 2020.

DALSICO, A. M. P. A disciplina de Libras no contexto da EaD. Revista Diálogos. V. 4, N. 1, 2016. p. 78-89.

GONÇALVES, L. M.; PERRIER, G. R. F; ALMEIDA, M. E. B. Avanços, entraves e possibilidades da integração curricular das TDIC: as representações sociais de professores do ensino fundamental I. Cadernos de Educação. N.º 60. 2018. p. 50-74.

HONORA, M. Inclusão educacional de alunos com surdez: concepção e alfabetização - Ensino Fundamental, 1° ciclo. São Paulo: Cortez, 2015.

KARNOPP, L. B. e PEREIRA, M. C. C. Concepções de leitura e escrita na educação de surdos. In: LODI, Ana Claudia Balieiro; HARRISON Kathryn Marie Pacheco; CAMPOS Sandra Regina Leite (Orgs.). Leitura e escrita no contexto da diversidade. Porto Alegre, Mediação, 2015. p. 125-133.

KEZIO, G. F. L. O uso das tecnologias no processo de ensino e de aprendizagem do surdo: Libras em educação a distância. Revista Virtual de Cultura Surda. Edição N.º 20. 2017. p. 1-29.

LACERDA, C. B. F. A inclusão escolar de alunos surdos: O que dizem alunos professores e intérpretes sobre esta experiência. Educação & Sociedade, n.º 26 (69), 2006. p.163-184.

MARTINS, R. X. A covid-19 e o fim da educação a distância: um ensaio. Em Rede, v. 7, n. 1, p. 242-256, jan./jun. 2020.

MINAS GERAIS, Resolução SEE n.º 4310/2020. Dispõe sobre as normas para a oferta de Regime Especial de Atividades não presenciais e institui o Regime Especial de Teletrabalho nas Escolas Estaduais da Rede Pública de Educação Básica e de Educação Profissional, em decorrência da pandemia Coronavírus (COVID-19). 18 de abril de 2020.

MINAS GERAIS. Plano de estudos tutorados: 3º ano do ensino fundamental. V.2. 32 p.

SACKS, O. Vendo vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. Tradução: Laura Teixeira Motta.-São Paulo: Companhia das letras, 2010. p.38.

SILVA, C. M., MONTEIRO, R., SILVA, D. S., SILVA, D. N. H. Concepções dos Profissionais da Escola sobre o Surdo e a Surdez. Psicologia: Ciência e Profissão v. 38 n°3, Jul/Set. 2018. P. 465-479.

Publicado

2021-03-10

Como Citar

Lemes, . T. . de O. ., & Paiva, C. A. de. (2021). Libras em Pílulas: Incitando o Interesse Escolar dos Alunos Surdos e Ouvintes em Tempos de Pandemia. EaD Em Foco, 11(2). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1250