Conhecimentos Prévios sobre Meios Digitais e Desempenho no Ensino Remoto Durante a Pandemia COVID-19

Autores

Resumo

A partir do 1o trimestre de 2020 foi declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a pandemia provocada pelo vírus Sars-Cov-2, causador da COVID 19 e como medida para enfrentamento desta emergência foi proposto o distanciamento social. Assim as escolas passaram a ministrar suas aulas de forma remota. Com o intuito de saber como os professores lidaram com esta situação realizamos um levantamento através de um questionário online e solicitamos que respondessem, entre outros aspectos, sobre a sua familiaridade com os meios digitais, a sua percepção quanto a apreciação dos seus alunos e quanto dos aprendizados durante a pandemia levarão para suas salas de aula uma vez que retornarmos ao ensino presencial. Concluímos que os avanços tecnológicos disponíveis estão permitindo que professores, alunos e responsáveis realizem seus objetivos educacionais, no entanto, não garantem a equidade desejada. Entre outros aspectos o descompasso do avanço tecnológico entre docentes e discentes, entre regiões das cidades e entre poderes aquisitivos, revela a situação delicada da educação no nosso estado. Mesmo em escolas e Universidades Públicas onde diversas estratégias foram tomadas para dar mais acessibilidade aos estudantes, ainda não é possível garanti-la. Um dos entraves, além do econômico, é o preparo dos docentes que não avançaram para algumas das necessidades do século XXI.


Palavras-chave: COVID-19. Aprendizado remoto. Tecnologia digital de informação e comunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Beatriz Salvador Castro Faria, Universidade Federal Fluminense

Formada em Ciências Biológicas pela fundação Cederj Consórcio Cecierj Convenio com a Universidade Estadual Norte Fluminnse, em outras palavras realizei minha graduação a distancia. Atualmente estou terminando meu mestrado no Programa de Pós-graduação em Ciência e Biotecnologia, também sou professora de Ciências e Biologia e lecionar é uma das minhas maiores paixões

Pós Graduação em Ciências e Biotecnologia UFF

Juliana Mendes, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Ciências, Tecnologias e Inclusão pela Universidade Federal Fluminense. Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade Federal Fluminense (2015). Especialista em Neurociências Aplicadas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2018). Docente no Ensino Básico Técnico e Tecnológico e membro do NAPNE no CEFET-RJ (Maracanã), desde 2018. Qualificada na área da deficiência da visão pelo Instituto Benjamin Constant (2010). Graduada em Química (Licenciatura) pela Universidade Federal Fluminense (2009). Possui interesse nos processos de ensino e de aprendizagem, principalmente, desenvolvidos nas áreas de Ensino de Ciências, Educação Inclusiva e Educação Especial. 

Vitor Erthal, Universidade Federal Fluminense

Graduando em Ciências Biológicas da UFF, atuo junto com a equipe do Espaço UFF de Ciências (EUFFC) para aprimorar meus conhecimentos e pesquisar mais sobre metodologias ativas. No EUFFC, nós pesquisamos as bases da metodologia ativa e produzimos modelos e jogos didáticos para a utilização em sala de aula. Atualmente atuo em aulas de programas de pré-vestibular social

Adriano Theodoro, Fundação de Apoio Escola Técnica

Doutor em Ciencias e Biotecnologia - UFF (2016) , Mestre em Patologia -UFF (2001) Graduado em Ciências Biológicas - UERJ (1992). Atualmente sou professor de Imunologia Clínica do Curso Técnico em Análises Clínicas da FAETEC, desde 1998. Pesquiso e desenvolvo ambientes virtuais e outros recursos didáticos baseados nas Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) para atender à atual tendência de complementar a educação presencial com ferramentas de educação a distância. Tenho experiência na área de Imunologia, atuando principalmente  em educação tecnológica, ensino de imunologia e aprendizagem significativa. Faço parte  da equipe do Espaço UFF de Ciência, por ser um local que congrega excelência na Pesquisa de Ensino de Ciências e formação de professores

Gerlinde Teixeira, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Patologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF) (2003). Mestre em Bioquímica e Imunologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995). Graduada em Medicina pela UFF (1982). Docente da UFF desde 1982. Diretora do Espaço UFF de Ciências desde 1999. Coordenadora da graduação em Ciências Biológicas (2004-2010). Coordenadora do Programa de Pós Graduação (Doutorado) Ciência, Tecnologia e Inclusão UFF desde 2019 Coordena um grupo de pesquisa em Imunologia sobre alergia alimentar e inflamação intestinal crônica; e outro em Ensino de Ciências e Biologia, envolvendo a geração de modelos, métodos e técnicas de aprendizagem, o estímulo a criatividade e a influência da educação não-formal sobre a educação formal.

Referências

BARBOSA, A. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras. TIC Educação 2013. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2014.

BERBEL N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina. v. 32, n. 1, p. 25-40, jan/jun. 2011. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/10326. Acesso em: 22 set. 2020.

BERGMANN, J.; SAMS, A. Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. Rio de Janeiro: LTC, 2016.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituiçao.html. Acesso em: 16 Jul. 2020.

BRASIL. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, [1996]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec). Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: MEC/Semtec, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso

em: 11 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). CNE Parecer sobre “Reexame do Parecer CNE/CP nº 5/2020, que tratou da reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19”. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=147041-pcp00920&category_slug=junho-2020-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 16 jul. 2020.

CAMARGO, F.; DAROS, T. A sala de aula inovadora: estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado

ativo. Porto Alegre: Penso, 2018.

CARMO, J. R. do; PACIULLI, S. de O. D.; NASCIMENTO, D. L. do. O impacto do uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s) por docentes dos Institutos Federais localizados em Minas Gerais em um contexto de pandemia. Research, Society na Development, v. 9, n. 10, e5199108940, 2020.

DANIEL, S. J. Education and the COVID-19 pandemic. Prospects, abr 2020. Disponível em: https://doi. org/10.1007/s11125 020-09464-3. Acesso em: 11 out. 2020.

DOSEA, G. S. et al. Métodos Ativos de Aprendizagem do Ensino Online: a opinião de universitários durante a pandemia de COVID-19. Interfaces Científicas-Educação, Sergipe, v. 10, n. 1, p. 137-48, 2020.

DOWLING, N. A.; QUIRK, K. L. Screening for Internet dependence: do the proposed diagnostic criteria differentiate normal from dependent Internet use? Cyberpsychology & Behavior, v. 12, n. 1, Fev. 2009. Disponível em: https://www.liebertpub.com/doi/10.1089/cpb.2008.0162. Acesso em: 22 set. 2020

GOOBLAR D. How to Teach Information Literacy in an Era of Lies. The Chronicle of Higher Education, Jul. 2018. Disponível em: https://www.chronicle.com/article/how-to-teach-information-literacy-in-an-era-of-lies/. Acesso em: 12 out. 2020.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Resultado do IDEB 2019. Brasília. Ministério da Educação, 2020. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/guest/educacao-basica/ideb/resultados> Acesso em: 24 nov 2020.

LIBARDI, D. A. O papel do professor universitário na construção do conhecimento. Revista de Educação, v. 13, n. 15, p. 9-26, 2010.

LIKERT, R. A technique for the measurement of attitudes. Archives of Psychology, v. 22, p. 140-155, 1932.

MARQUES, R. A. Ressignificação da Educação e o Processo de Ensino e Aprendizagem no Contexto de Pandemia da COVID 19. Boletim de Conjuntura (BOCA), v. 3, n. 7, p. 31-46, 2020.

MAZUR, E. Peer Instruction: a revolução da Aprendizagem Ativa. Porto Alegre: Penso, 2015.

NOVAK, G. M. et al. Justin-in-Time Teaching: Blending Active Learning with Web Technology, Upper Saddle River: Prentice Hall, 1999.

PEREIRA, A. T.; SASS, S. D.; GALLIAN, D. M. C. Percepções de Docentes sobre as Tecnologias no Ensino em Saúde. EAD em Foco, v. 10, n. 2, e1091, 2020.

PRINCE, M. Does active learning work? A review of the research. Journal of Engineering Education. v. 93, n. 3, p. 223-231, 2004. Disponível em: https://www.engr.ncsu.edu/wp-content/uploads/ drive/1smSpn4AiHSh8z7a0MHDBwhb_JhcoLQmI/2004-Prince_AL.pdf. Acesso em: 22 set. 2020.

SANZ, I.; GONZÁLEZ, J. S.; CAPILLA, A. Efectos de la crisis del coronavirus en la Educación. Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI). Madrid: OEI. Disponível em: https://www.oei.es/pt. Acesso em: 16 jul. 2020.

UFGRS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Artigo: O Ensino Remoto Emergencial e a Educação a Distância. Disponível em: https://www.ufrgs.br/coronavirus/base/artigo-o-ensino-remoto-emergencial-e-a-educacao-a-distancia/. Acesso em: 26 nov .2020.

UNESCO. A Comissão Futuros da Educação da Unesco apela ao planejamento antecipado contra o aumento das desigualdades após a COVID-19. Disponível em: https://pt.unesco.org/news/comissao-futuros-da-educacao-da-unesco apela-ao-planejamento-antecipado-o-aumento-das. Acesso em: 11 jun. 2020.

VALENTE, J. A. Inovação nos processos de ensino e de aprendizagem: o papel das tecnologias digitais. In: VALENTE, J. A.; FREIRE, F. M. P.; ARANTES, F. L. Tecnologia e educação [recurso eletrônico]: passado, presente e o que está por vir. Campinas, SP: NIED/UNICAMP, 406p, 2018.

WORLD BANK. Remote Learning and COVID-19 The use of educational technologies at scale across an education system as a result of massive school closings in response to the COVID-19 pandemic to enable distance education and online learning. Disponivel em: http://documents1.worldbank.org/curated/en/266811584657843186/pdf/Rapid-Response Briefing-Note-Remote-Learning-and-COVID-19-Outbreak.pdf. Acesso: 11 out. 2020.

Publicado

2021-02-05

Como Citar

Faria, S. B. S. C. ., Mendes da Silva, J. ., Pereira Erthal da Costa, V. T. ., Theodoro da Silva, A. ., & Teixeira, G. A. P. B. (2021). Conhecimentos Prévios sobre Meios Digitais e Desempenho no Ensino Remoto Durante a Pandemia COVID-19. EaD Em Foco, 10(3). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1229

Most read articles by the same author(s)