Avaliação da Aprendizagem no Ensino Híbrido

Autores

Resumo

O uso das tecnologias no ambiente escolar, altera a forma de aprender e ensinar, e, consequentemente a forma de se avaliar. O ensino híbrido tem conquistado cada vez mais espaço frente ao ensino tradicional, buscando a valorização do aluno e a personalização da aprendizagem, “misturando as vantagens do ensino on-line combinadas a todos os benefícios da sala de aula tradicional” (HORN e STAKER, 2015, p. 15). Assim, é necessário entender o conceito de ensino híbrido, analisar suas particularidades e investigar como se avalia nesta modalidade de ensino. Considerando a lacuna existente quando se trata de avaliação no ensino híbrido e a necessidade de aprofundar o tema, foi realizado um levantamento na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) de quais eram os materiais mais citados, partindo da pergunta de investigação: quais as características da avaliação realizada no ensino híbrido? O objetivo é entender qual (ou quais) tipo de avaliação é realizada nesta modalidade. O estudo é baseado na Análise de Conteúdo de Bardin (2011), e demostra que a avaliação nos moldes atuais não cumpre o papel de avaliar a aprendizagem dos alunos, ela é prioritariamente somativa, avaliando apenas seu rendimento e não coincide com uma prática de ensino reflexivo proposta pelo ensino híbrido. 

Palavras-chave: Avaliação. Aprendizagem. Ensino híbrido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Osmar Pedrochi Junior, Universidade Pitágoras UNOPAR

Docente do Programa de Mestrado e Doutorado em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias /Stricto Sensu, Universidade Pitágoras UNOPAR 

Rua Marselha, 591. Londrina, PR, Brasil

Josiane Aparecida Baroto Pavão, Universidade Pitágoras UNOPAR

Mestranda do Programa de Mestrado e Doutorado em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias /Stricto Sensu, Universidade Pitágoras UNOPAR 

Rua Marselha, 591. Londrina, PR, Brasil

Referências

ABED. Associação Brasileira de Educação a Distância. Censo EaD.BR: relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil. São Paulo: Pearson Education do Brasil 2013/2014. Disponível em: <http://www.abed.org.br/censoead2013/CENSO_EAD_2013. Acessado em:12/03/2020.

ABED. Associação Brasileira de Educação a Distância. Censo EAD.BR: relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil 2018 Curitiba: InterSaberes, 2019. Disponível em: http://abed.org.br/arquivos/CENSO_DIGITAL_EAD_2018_PORTUGUES.pdf. Acessado em:12/03/2020.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 1ª edição. ed. São Paulo: Edições 70, 2011.

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação.In:(Org.). Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BATES, T. Educar na era digital [livro eletrônico]: design, ensino e aprendizagem. 1. ed. São Paulo: Artesanato Educacional, 2017.

BRASIL. Decreto nº 2.494/98 de 10 de fevereiro de 1998. Disponível em: /http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/dec2494.pdf>. Acesso em: maio. 2020.

BRASIL. Portaria de n° 2253 de 18 de outubro de 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesuBRASIL. Acesso em: maio. 2020

BRASIL. Portaria 4059, de 10 de dezembro de 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesuBRASIL. Acesso em: maio. 2020.

BRASIL. Portaria de n° 1134 de 10 de outubro de 2016. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu Acesso em: maio. 2020.

BRASIL. Portaria nº 1.428 de 28 de dezembro de 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu Acesso em: mar. 2020.

BRASIL. Portaria nº 2.117 de 6 de dezembro de 2019. Disponível em http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-2.117-de-6-de-dezembro-de-2019-232670913 Acesso em: maio. 2020.

BRITO, M. S.; A Singularidade Pedagógica do Ensino Híbrido. EaD em Foco, V10, e948. 2020. DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v10i1948

HADJI, C. A Avaliação, regras do jogo. Das Intenções aos Instrumentos. 4ª edição. ed. Porto: Porto Editora, 1994.

HORN, M.B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Tradução: Maria Cristina Gularte Monteiro. Porto Alegre: Penso, 2015.

LIMA, L.H.F; MOURA, F. R. O professor no Ensino Híbrido. In BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015 (89-102).

MARTINS, L. C. B. Implicações da organização da atividade didática com uso de tecnologias digitais na formação de conceitos em uma proposta de Ensino Híbrido.317f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

MIRANDA, R.V.;MORET,A.S.; DA SILVA, J.C.; SIMÃO;B.P. Ensino Híbrido: Novas Habilidades Docentes Mediadas pelos Recursos Tecnológicos. EaD em Foco, V10, e913. 2020. DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v10i913

MORAN, J M. Educação Híbrida: um conceito-chave para a educação hoje. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. (Org.). Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015

RODRIGUES, E. F. A avaliação e a tecnologia. In BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015 (123-137).

SANTOS, G.S. Espaços de aprendizagem. In BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015 (103-120).

SILVA, R. A; CAMARGO, A. L. O impacto da aceleração tecnológica na relação professor-aluno, no currículo e na organização escolar. In BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015 (169-188).

SUNAGA, A; CARVALHO, C. S. As tecnologias digitais no ensino híbrido. In BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015 (141-154).

TORI, R. Cursos híbridos ou blended learning. In: FORMIGA, M e LITTO, F. Educação a Distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education, 2009.

VALENTE, J. A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educ. rev. no. Spe4. Curitiba 2014.

VALENTE, J.A. Prefácio. In BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

Publicado

2021-03-18

Como Citar

Pedrochi Junior, O., & Pavão, J. A. B. . (2021). Avaliação da Aprendizagem no Ensino Híbrido . EaD Em Foco, 11(1). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1104

Edição

Seção

Revisões

Most read articles by the same author(s)