Tutores para a Educação a Distância - Uma Avaliação de sua Formação

  • Mônica Ferreira Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Lúcia Regina Goulart Vilarinho Fundação Cesgranrio Curso de mestrado Profissional em Avaliação http://orcid.org/0000-0002-1246-6049

Resumo

O estudo avaliou o Curso de Formação de Tutores oferecido pelo Núcleo de Capacitação a Distância da Universidade Federal do Rio de Janeiro quanto à suficiência e pertinência de seus conteúdos e contribuições dadas à formação de tutores. Buscou-se a opinião de 24 egressos do curso, usando a abordagem baseada nos usuários. Um questionário composto por 35 questões fechadas com espaços para comentários e uma escala de mensuração foram utilizados. Os resultados apontaram a necessidade de revisão de alguns indicadores e sugeriram que: (a) as competências desenvolvidas no curso estão em consonância com a literatura pedagógica; (b) o curso abordou conteúdos relevantes e consistentes para a formação do tutor; e (c) o curso cumpriu seu objetivo principal: capacitar os servidores para atuarem como tutores a distância.

Palavras-chave: Avaliação. Formação de tutores. Educação a distância. Avaliação de egressos.

Biografia do Autor

Mônica Ferreira, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Graduada em Comunicação Social pelo Centro Universitário Augusto Motta, especialização em Gerência de Projetos pelo Núcleo de Computação Eletrônica (NCE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Mestrado em Avaliação pela Fundação CESGRANRIO. Atualmente é coordenadora administrativa do curso de pós-graduação em Segurança da Informação e atua na tutoria de cursos a distância do Laboratório TecnoAssist: NCE/UFRJ, Projetos de Acessibilidade e Inclusão.
Lúcia Regina Goulart Vilarinho, Fundação Cesgranrio Curso de mestrado Profissional em Avaliação
Pedagoga - PUC-RIO; Mestre e Doutora em Educação - UFRJ; Docente aposentada da Faculdade de Educação da UFRJ; Docente do PPGE - Universidade Estácio de Sá. Atualmente Professora Adjunta do Curso de Mestrado Profissional em Avalaiação da Fundação Cesgranrio

Referências

Bottentuit Junior, J. B. & Coutinho, C. P. (2008). As ferramentas da web 2.0 no apoio à tutoria na formação em e-learning. En: Colóquio da Afirse, 15. Lisboa. Trabalhos apresentados... Lisboa: Afirse, 2008. Recuperado em: 3 jul. 2016

http://www.afirse.com/archives/cd6/Textos/Ateli%C3%AAs/Ateli%C3%AA23/Bottentuit&Coutinho.pdf .

Brasil. Decreto nº 5.707, de 23 de fevereiro de 2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da Administração Pública Federal Direta, Autárquica e Fundacional, e Regulamenta Dispositivos da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 fev. 2006.

Coelho, C. U. F. & Haguenauer, C. J. (2004). As tecnologias da informação e da comunicação e sua influência na mudança do perfil e da postura do professor. Colabor@, Curitiba, v. 2, n. 6, mar. p. 1-12. Recuperado em: 10 dez. 2016.

<http://pead.ucpel.tche.br/revistas/index.php/colabora/article/viewFile/42>.

Elliot, L. G.; Hildenbrand, L. & Berenger, M. M. (2012). Questionário. En: Elliot, L. G. (Org.). Instrumentos de avaliação e pesquisa: caminhos para construção e validação. Rio de Janeiro: Wak Editora, p. 25-67.

Farah, R. (2014). Avaliação da qualidade do instrumento de avaliação de desempenho de educadores em saúde do Consórcio Brasileiro de Acreditação. 63 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Avaliação). Fundação Cesgranrio, Rio de Janeiro.

Ferreira, A. B. de H. (2012). Mini-Aurélio: o dicionário da língua portuguesa. 8. ed. Curitiba: Positivo.

Machado, L. D. & Machado, E. de C. (2004). O papel da tutoria em ambientes de EaD. En: Congresso Internacional de Educação a Distância, 11, Salvador. Trabalhos Apresentados... Bahia: ABED. Recuperado em: 8 mar. 2016. http://www.abed.org.br/congresso2004/por/htm/022-tc-a2.htm

Maia, C. (2002). Guia Brasileiro de Educação a Distância. São Paulo: Esfera.

Ministério da Educação (Brasil). Secretaria de Educação a Distância. (2007). Referenciais de qualidade para educação superior à distância. Brasília, DF: MEC. Recuperado em: 10 mar. 2016.

< http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/legislacao/refead1.pdf>

Palloff, R. M. & Pratt, K. (2002). Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: estratégias eficientes para salas de aula online. Porto Alegre: Artmed.

Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013a). Manual do instrutor/tutor de cursos da SFP. Rio de Janeiro: UFRJ.

______. Relatório de Avaliação Institucional. (2013b). Recuperado em: 5 fev. 2017. <http://pi.pr1.ufrj.br/index.php/2013-09-19-13-06-11/relatorios-de-autoavaliacao-institucional>.

Wrobel, J. S. et al. (2010). Tutoria em Educação a Distância: teoria, prática, aprendizados e desafios. Administração: Ensino e Pesquisa, Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p. 331-354.

Publicado
2019-05-15
Como Citar
Ferreira, M., & Vilarinho, L. R. G. (2019). Tutores para a Educação a Distância - Uma Avaliação de sua Formação. EaD Em Foco, 9(1). https://doi.org/10.18264/eadf.v9i1.732
Seção
Estudos de Caso