Representações Sociais Docentes: EaD e Educação Presencial

Autores

  • David Vieira Carneiro Universidade de Taubaté
  • Patrícia Ortiz Monteiro Universidade de Taubaté

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v8i1.681

Resumo

A Educação a Distância cresceu nos últimos anos e hoje é parte do sistema educacional brasileiro. Nesse contexto, ela forma diversos profissionais, inclusive professores. Este artigo tem como objetivo identificar as representações sociais de docentes do curso de Pedagogia da EaD e da educação presencial sobre as diferenças entre as modalidades. O tema se justifica, pois permite analisar como se orienta a ação dos docentes das modalidades, assim como seu comportamento. A metodologia utilizada foi entrevistas com perguntas abertas com doze docentes, sendo seis da EaD e seis da modalidade presencial. Os resultados apontaram para a ideia de que a educação presencial é considerada mais eficiente do que a EaD por docentes das duas modalidades.

 

Palavras-chave: EaD, Representações, Pedagogia.

 

Social Representations of Teachers: DE and face-to-face education


Abstract


Distance education has grown in recent years and today it is part of the Brazilian educational system. In this context, it prepares different professionals, including teachers. This article aims to identify the social representations of teachers of the Teacher Education at a Distance (DE) program and the face-to-face program regarding the differences between these modalities. The theme is justified because it allows to analyze teachers actions in the modalities as well as their behavior. The methodology used was open questions interviews with 12 teachers, being 6 of the DE and 6 of the face-to-face modality. The results point to the idea that face-to-face education is considered to be more effective than DE by teachers of both modalities.

 

Keywords: Distance education, Social representations, Teacher Education (Pedagogy).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

David Vieira Carneiro, Universidade de Taubaté

Graduado e especialista em História, Mestrando d programa de Educação da Universidade de Taubaté.

Patrícia Ortiz Monteiro, Universidade de Taubaté

Doutora em Ciências Ambientais (UNITAU). Atualmente é Professora Assistente Doutora vinculada ao Dpto. de Gestão e Negócios (GEN) e professora do Programa de Pós-graduação em Educação e Desenvolvimento Humano (PPGEDH) da Universidade de Taubaté. É docente de disciplinas dos cursos de graduação na modalidade a distância nas áreas de Gestão de Negócios e de Gestão de Recursos Naturais desde 2009. Foi Coordenadora do Polo de Apoio Presencial de Ubatuba (EAD-UNITAU) de 2009 a 2011. Assumiu a Coordenação Geral do Núcleo de Educação a Distância (NEAD-UNITAU), em 2012. É Diretora Executiva da Empresa de Pesquisa, Tecnologia e Serviços (EPTS/UNITAU) que é responsável também pelo Programa de Expansão do EAD-UNITAU. 

Referências

Abed, C. E. (2015). BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2014. Censo EAD-BR. Curitiba: Ibpex.

Abed, C. E. (2017). BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2015/2016. Censo EAD. BR. Curitiba: Ibpex.

Alves, A. J. (2013). O planejamento de pesquisas qualitativas em educação. Cadernos de Pesquisa, 77, 53-61.

Bates, T. (2016). Educar na era digital: design, ensino e aprendizagem. Trad. João Mattar et al. São Paulo: Artesanato Educacional.

Brasil (1996). Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 23/12/1996.

Brasil (2005). Decreto Federal nº 5.622, de 20 de dezembro de 2005. Regulamenta o Art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília.

Chamon, E. M. Q. (2014). Representações sociais da formação docente em estudantes e professores da Educação Básica. Psicologia Escolar e Educacional, 18(2).

Gatti, B. A. (2014). Formação inicial de professores para a educação básica: pesquisas e políticas educacionais. Estudos em Avaliação Educacional, 25(57), 24-54.

Guareschi, P. A. & Roso, A. (2014). Teoria das Representações Sociais - Sua história e seu potencial crítico transformador. Textos em representação social, 17-40.

Kenski, V. M. (2015). Educação e internet no Brasil. Cad Adenauer XVI [online], 3, 133-150.

Moscovici, S. (2007) Representações Sociais: Investigações em Psicologia Social. 5 ed. Petrópolis: Vozes.

Saviani, D. (2010). A expansão do ensino superior no Brasil: mudanças e continuidades. Poíesis Pedagógica, 8(2), 4-17.

Slomski, V., Procópio, A. Camargo, A. & Weffort, E. (2016). Tecnologias e mediação pedagógica na educação superior a distancia.

Jistem: Journal of Information Systems and Technology Management, 13(1).

Publicado

2018-06-15

Como Citar

Carneiro, D. V., & Monteiro, P. O. (2018). Representações Sociais Docentes: EaD e Educação Presencial. EaD Em Foco, 8(1). https://doi.org/10.18264/eadf.v8i1.681

Edição

Seção

Artigos Originais