Fatores Intervenientes de Resultados no Ensino Remoto: O Dispositivo de Acesso Importa?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18264/eadf.v12i1.1634

Resumo

Este artigo analisa resultados educacionais e avaliativos do ensino remoto em relação ao tipo de dispositivo eletrônico utilizado para assistir às aulas e para resolução de atividades, bem como a forma de se assistir às aulas (síncrona ou assíncrona, velocidade normal ou velocidade aumentada). Foram investigados estudantes de três turmas de dois cursos de formação de professores de uma instituição de ensino superior pública de Minas Gerais. A partir de questionário autoaplicado, foi realizado cotejamento estatístico de resultados educacionais pelo tipo de dispositivo eletrônico utilizado e a forma de se assistir às aulas, controlado pela presença ou ausência de ingresso por cotas (tomadas como proxy de nível socioeconômico). Foi possível evidenciar que, para a amostra, não houve diferença estatística significativa entre notas de estudantes que assistiram às aulas em computadores de mesa e notebooks, mas essa diferença ocorre quanto ao uso de dispositivos para a realização de atividades. Também houve diferença entre as notas dos que assistiram às aulas de maneira síncrona ou assíncrona, mas essa diferença não é percebida entre os que assistiram aulas gravadas em velocidade normal ou aumentada. Sendo assim, foi possível estabelecer admissibilidade de maior adequação para o uso de dispositivos como computadores de mesa e notebooks, e o acompanhamento síncrono das aulas. Houve tendência de melhor resultado para essa situação em relação à utilização de smartphones e tablets, e do acompanhamento de aulas assincronamente.

Palavras-chave: Ensino remoto. Tecnologias digitais. Avaliação da educação. Resultados educacionais. Ensino superior.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Santos Braga, Universidade do Estado de Minas Gerais


Doutorando em Educação - Universidade Federal de Minas Gerais. Docente em cursos de formação de professores da Universidade do Estado de Minas Gerais - Ibirité. Grupo de Pesquisa Política e Administração de Sistemas Educacionais (PASE/UFMG). 

Campus Ibirité -Av. São Paulo, nº 3.996 - Vila Rosário, Ibirité / MG


Amanda Tolomelli Brescia, Universidade do Estado de Minas Gerais

Doutora em Educação - Universidade Federal de Minas Gerais. Professora da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais. Núcleo de Estudos sobre Educação, Comunicação e Tecnologia (NECT/FaE/UEMG). 

Rua Paraíba, 29 - Bairro Funcionários - BH/MG  
Cep: 30130-150




Referências

ARRUDA, E. P. Educação Remota Emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. EmRede - Revista de Educação a Distância, v. 7, n. 1, p. 257-275, 15 maio 2020. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/621. Acesso em: 23. ago. 2021.

BRASIL. Decreto n° 10.282, de 20 de março de 2020. Regulamenta a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, para definir os serviços públicos e as atividades essenciais. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/decreto/D10282.htm. Acesso em: 23 ago. 2021.

CREPALDE, N. J. B. F.; SILVEIRA, L. S. Desempenho universitário no Brasil: estudo sobre desigualdade educacional com dados do ENADE 2014. Revista da Sociedade Brasileira de Sociologia, v. 4, n.7, p. 211-238, jan./jun. 2016. DOI: 10.20336/rbs.155. Disponível em: http://www.sbsociologia.com.br/rbsociologia/index.php/rbs/article/view/186. Acesso em: 23 ago. 2021.

DUTRA, J. L. C.; CARVALHO, N. C. C.; SARAIVA, T. A. R. Os efeitos da pandemia de Covid-19 na saúde mental das crianças. Pedagogia em Ação, Belo Horizonte, v.13, n. 1 (1 sem. 2020), p. 293-301. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/pedagogiacao/article/view/23772. Acesso em: 23 ago. 2021.

GARRIDO, F. A. Z. Docência universitária durante a pandemia da COVID-19: um olhar do Chile. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 10, 2020. DOI: 10.35699/2237-5864.2020.24777. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/24777. Acesso em: 23 ago. 2021.

HODGES, C.; MOORE, S.; LOCKEE, B.; TRUST, T.; BOND, A.. The difference between emergency remote teaching and online learning. EDUCAUSE Review. 27 mar. 2020. Disponível em: https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remoteteaching-and-online-learning, 2020. Acesso em: 23 ago. 2021.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal 2019. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2018/2019. IBGE: 2021. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101794_informativo.pdf. Acesso em: 23 ago. 2021.

MEDEIROS, L. F. de; VERAS, R. M.; BARBOSA, V. S. de A. “Ouvindo lives enquanto passo a roupa”: relato de experiência de professoras universitárias durante a pandemia de COVID-19. SCIAS – Educação, Comunicação e Tecnologia, Belo Horizonte, v. 2, n. 2, p. 90-104, jul./dez. 2020. DOI: 10.36704/sciaseducomtec.v2i2.5012. Disponível em: https://revista.uemg.br/index.php/sciasedcomtec/article/view/5012. Acesso em: 23 ago. 2021.

PANORAMA Mobile Time. Crianças e smartphones no Brasil – outubro 2020. Belo Horizonte: Opinion Box, 2020. Disponível em: https://www.mobiletime.com.br/pesquisas/criancas-e-smartphones-no-brasil-outubro-de-2020/. Acesso em: 23 ago. 2021.

SOUSA, M. E. A. de. Utilização das tecnologias para defender os direitos das mulheres em tempos de pandemia. SCIAS – Educação, Comunicação e Tecnologia, Belo Horizonte, v. 2, n. 2, p. 105-119, jul./dez. 2020. DOI: 10.36704/sciaseducomtec.v2i2.5038. Disponível em: https://revista.uemg.br/index.php/sciasedcomtec/article/view/5038. Acesso em: 23 ago. 2021.

TOMÁS, M. C.; SILVEIRA, L. S.; D’ALBUQUERQUE, R. W. Fatores associados à percepção de dificuldade da prova do ENADE: uma análise a partir das características dos alunos e das instituições de ensino superior. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 36, n. e223426, 2020. DOI: 10.1590/0102-4698223426. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edur/a/Kh6d4yZDJTmMLYSv7tZkDSr. Acesso em: 23 ago. 2021.

TIZOTTE, T. R. L.; THESING, N. J.; GOMES, F. B. M. Análise bibliométrica dos artigos da base de dados da scopus sobre a produção científica brasileira da COVID-19. Brazilian Journal of Development, São José dos Pinhais, v. 7, n. 7, p.73457-73474 jul. 2021. DOI: 10.34117/bjdv7n7-496. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/33337. Acesso em: 23 ago. 2021.

UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). Educação: da interrupção à recuperação. [site institucional]. Disponível em: https://pt.unesco.org/covid19/educationresponse. Acesso em: 17 nov. 2020.

VASCONCELOS, I. G.; NASCIMENTO, D. A. do. Mapeamento da produção científica sobre COVID-19. Interamerican Journal of Medicine and Health, v. 3, n; e202003044, 2020. DOI: 10.31005/iajmh.v3i0.134. Disponível em: https://www.iajmh.com/iajmh/article/view/134/160. Acesso em: 23 ago. 2021.

VOSGERAU, D.; BRITO, G. da S.; CAMAS, N. PNE 2014-2024: tecnologias educacionais e formação de professores. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 8, n. 14, p. 103-118, 30 jun. 2016. DOI: 10.31639/rbpfp.v8i14.135. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/135. Acesso em: 23 ago. 2021.

Publicado

2022-02-01

Como Citar

Braga, D. S., & Brescia, A. T. (2022). Fatores Intervenientes de Resultados no Ensino Remoto: O Dispositivo de Acesso Importa?. EaD Em Foco, 12(1). https://doi.org/10.18264/eadf.v12i1.1634

Edição

Seção

Artigos Originais

Most read articles by the same author(s)