O Ensino Remoto Emergencial e o Ensino da Matemática: Percepção dos Estudantes e Professores de Matemática Durante a Pandemia do Novo Coronavírus na Cidade de Desterro-PB

Autores

Resumo

Com a crise sanitária causada pela COVID-19 diversas áreas no mundo foram modificadas. No cenário educacional não foi diferente, entre essas modificações, a necessidade do fechamento das instituições escolares de forma repentina, passando a exigir um novo modelo educacional, a partir de uma maior utilização das tecnologias e o cumprimento de medidas para a prevenção à disseminação do vírus. Nesse cenário, este estudo tem em sua gênese, a percepção dos estudantes e professores sobre o ensino da Matemática durante a pandemia do Novo Coronavírus. Foi baseado em uma abordagem quali-quantitativa, cujo método adotado foi o estudo de caso, a partir da análise de um questionário on-line respondido por 03 (três) professores de Matemática e 69 (sessenta e nove) estudantes, ambos do Ensino Médio da cidade de Desterro-PB, cujo objetivo principal foi apresentar a percepção dos professores de Matemática e dos estudantes do Ensino Médio da referida cidade sobre as aulas remotas de Matemática durante a pandemia. O trabalho teve como fundamentação teórica os estudos dos autores Costa (2020), Cordeiro (2020), Vercelli (2020), Garcia (2020), Motin (2020) entre outros. Os resultados da pesquisa apontam que o ensino remoto emergencial é um desafio para o ensino e aprendizagem, pois este surgiu de maneira inesperada para todos os envolvidos e, embora muitos estudos passaram a abordar esse tema, ainda estamos lhe dando com algo novo, que carece ser revisto e moldado para se tornar acessível a todos.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB. 9394/1996. BRASIL.

CHIMENTÃO, Lilian Kemmer. O significado da Formação Continuada Docente. 4° CONPEF. Congresso Norte Paranaense de Educação Física Escolar. - Londrina, Paraná, 2009.

CORDEIRO, Karolina Maria de Araújo. O impacto da pandemia na educação: a utilização da tecnologia como ferramenta de ensino, 2020.

COSTA, Antônia Erica Rodrigues; NASCIMENTO, Antônio Wesley Rodrigues do; os desafios do ensino remoto em tempos de pandemia no brasil. Maceió – AL. 2020.

D’AMBROSIO, Ubiratam. Educação Matemática. 2 ed. Papirus: Campinas, 1996.

FRIZON, Vanessa; LAZZARI, Marcia De Bona; SCHWABENLAND, Flavia Peruzzo; TÍBOLLA, Flavia Rosane Camillo. A formação de professores e as tecnologias digitais. Formação de professores, complexidade e trabalho docente – EDUCERE – XII congresso nacional de educação – PUC PR, 2015.

GARCIA, Tânia Cistina Meira; MORAIS, Ione Rodrigues Diniz; ZAROS, Lilian Giotto e RÊGO, Maria Carmem Freire Diógenes. Ensino remoto emergencial: orientações básicas para elaboração do plano de aula. Natal: SEDIS/UFRN, 2020.

LOTTENBERG, Cláudio. Volta às aulas presenciais deve ser o objetivo. Veja. 2021. Disponível em

https://veja.abril.com.br/blog/coluna-claudio-lottenberg/volta-as-aulas-presenciais-deve-ser-o-objetivo/. Acesso em 16 de março de 2021.

MORAN, José Manoel. Desafios na comunicação pessoal: gerenciamento integrado da comunicação pessoal, social e tecnológica. 3. ed. São Paulo: Paulinas, 2007b. p. 162-166.

MOREIRA, Maria Eduarda Souza et al. Metodologias e tecnologias para educação em tempos de pandemia COVID-19. Brazilian Journal of health Review, 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/11584. Acesso em: 03 fev. 2021.

MOTIN, Mara Francieli et al. O ensino remoto de disciplinas do eixo da matemática em tempos de pandemia, 2020.

MOURA, Ivan Rodrigues de; AMARAL, Vilani Ferreira Feitosa. Fatores que interferem na motivação para o aprendizado da matemática. Fortaleza – CE. 2019.

OLIVEIRA, Cláudio de; MOURA, Samuel Pedrosa. Tic’s na educação: a utilização das tecnologias da informação e comunicação na aprendizagem do aluno, 2015.

PALÚ, Janete; SCHÜTZ, Jenerton Arlan; MAYER, Leandro. Desafios da educação em tempos de pandemia. Cruz Alta: Ilustração, 2020.

PRODANOV, Cleber Cristiano. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo, RS: Feevale, 2013.

SANTOS, Inês Grasiela Dalmolin dos; SOUZA, José Ricardo. Educação matemática e mídias tecnológicas: uma possibilidade para a ação educativa? Estudo da porcentagem na 6ª série. 2010.

SANTOS, Remilda Porfírio dos; JÚNIOR, José Márcio Martins do Nascimento; DIAS, Marcos Antônio de Araújo. As dificuldades e desafios que os professores enfrentam com as aulas remotas emergencial em meio a pandemia atual. Canedu – VII congresso nacional em educação. Maceió – AL. 2020.

SILVA, Silvio Luiz; SILVA Rutz da; ANDRADE, André Vitor Chaves; BRINATTI, André Maurício. Ensino remoto emergencial. -- Ponta Grossa,PR : Ed. dos Autores, 2020.

SILVA, A. Formação Inicial de Professores de Matemática - Vivências Propiciadas Pelo Projeto PIBID. IV Jornada Nacional de Educação Matemática — XVII Jornada Regional de Educação Matemática — Universidade de Passo Fundo, 2012.

VERCELLI, Ligia de Carvalho Abões. Aulas remotas em tempos de Covid-19: a percepção de discentes de um programa de mestrado profissional em educação. Revista @mbienteeducação. São Paulo: Universidade Cidade de São Paulo, v. 13, n. 2, Mai/Ago 2020.

Publicado

2021-08-24

Como Citar

Gonçalves, F. D. S. L. ., & Cunha , . D. da S. . (2021). O Ensino Remoto Emergencial e o Ensino da Matemática: Percepção dos Estudantes e Professores de Matemática Durante a Pandemia do Novo Coronavírus na Cidade de Desterro-PB. EaD Em Foco, 11(1). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1505

Edição

Seção

Artigos Originais