Relação Professor-Aluno: Interações Pedagógicas em Ambientes Digitais no Ensino Fundamental em Tempo de Pandemia

Autores

Resumo

Neste artigo, faremos uma apresentação sobre o caminho escolhido pela Secretaria de Educação do município de São Paulo para a realização das atividades escolares na educação básica entre os meses de abril e dezembro de 2020, com o uso de aplicativo e livro impresso enviado ao estudante, tendo em vista o contexto de quarentena e isolamento social da cidade de São Paulo adotada no período. Temos três objetivos, a saber: (i) descrever as ferramentas de interação adotadas pelo munícipio como meiode formação dos estudantes e interação professor-aluno; (ii) verificar se, além da questão de interação educacional, outras medidas foram instituídas com a finalidade de atendimento às famílias; e (iii) discutir sobre as estratégias adotadas pelo município a fim de atender aos estudantes e suas famílias. A metodologia utilizada é a pesquisa documental (GIL, 2002). Os resultados alcançados confirmam que foram adotadas estratégias utilizando plataforma digital e envio de livros aos estudantes pela Secretaria Municipal de Educação. No entanto, faz-se necessário pensar em caminhos alternativos para estudantes e docentes que não possuem acesso à tecnologia digital ou residem em áreas onde o livro não foi entregue, para que seja possível a interação entre professor-aluno, de modo a mitigar desigualdades no acesso à educação. Dessa forma, evidenciamos que estratégias digitais de ensino-aprendizagem adotadas na Educação Básica, quer seja em momento de isolamento social ou de atendimento presencial, devem levar em consideração as diferentes realidades sociais para que tenham efetividade. 

Palavras-chave: Educação básica. Interação digital. Isolamento social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Margarida Coelho, Universidade Santo Amaro / Universidade Metodista de São Paulo

Possui graduação em Letras (Português/Inglês) (1995) e em Pedagogia (2016). É psicanalista formada pela escola "Diálogos Abertos". Possui (i) Especialização em Didática da Língua Portuguesa no Ensino Superior pela Faculdade de Ciências e Letras de Bragança Paulista (1997), (ii) especialização em Neuropsicopedagogia (2019) e (iii) especialização em Educação Inclusiva (2020) ambas pela Faculdade Unificada do Estado de São Paulo (FAUESP). É Mestra em Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2007) e Mestra em Psicanálise pela Escola "Diálogos Abertos" (Curso Livre NÚMERO 9394/96 E 87, Inciso III, Decreto número 5.154/04, Parecer Número 64/2004) (2014). Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2010). Possui Pós-Doutorado pelo (i) Programa de Pós-Graduação em Tecnologias da Inteligência e Design Digital da PUC-SP com bolsa FAPESP, (ii) Pós-Doutora em Comunicação Digital pela Universidade de Murcia, (iii) Pós-Doutorado em Comunicação Digital pela Universitat Autonoma de Barcelona, (iv) Pós-Doutorado no Programa de Educação e Currículo e (v) Atualmente faz Pós-doutorado em Comunicação e Consumo na Universidade de Sevilha. Atuou como professora visitante na Universidade Pompeu Fabra em Barcelona - Espanha e na Universitat de VIC/Espanha de 2012 até 2014. Atualmente é coordenadora e professora permanente no Programa de Mestrado em Ciências Humanas (UNISA desde 2020 - 40 horas semais) e professora permanente no Programa de Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP desde 2018 - 20 horas semais). Foi professora permanente (20 horas) no Programa de Mestrado em Educação, Subjetividade e Psicanálise na Universidade Ibirapuera (UNIB de 2019-2020). Foi professora titular no Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas na Universidade Santo Amaro (UNISA) e coordenadora da Relações Internacionais da mesma Instituição (2016 - 2018) e Professora colaboradora no Curso de Mestrado Profissional em "Educação e Novas Tecnologias" da UNINTER desde 2016-2017. Professora Visitante Permanente na Universidade de Santander - Colômbia e no Programa de Pós-Graduação na Universidade de Guadalajarra. Membro da Academia Contemporânea de Letras cadeira número 28 cujo o patrono é Monteiro Lobato. Atualmente possui Projeto de Pesquisa intitulado "Formação de Professores e Tecnologias digitais aplicada a Educação" financiado pela Fapesp. É coordenadora dos Cursos de Lato Sensu na Universidade Metodista de São Paulo: Educação Especial e Inclusiva e Gestão em Educação: Direção e Coordenação.Foi aprovada em 2009 no Concurso para Professor Adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e no ano de 2010 foi aprovada no Concurso para professor Adjunto da Universidade Federal de Goiás, conforme edital nº 092/2009 para a área de publicidade e propaganda.oi aprovada em 2009 na Prova Escrita e na Prova Didática, no Concurso para Professor Adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, para a Disciplina de "Semiótica Aplicada a Linguagem Publicitária" e no ano de 2010. Tem experiência na área de Comunicação, Mídias Digitais e Tecnologias, Educomunicação e Linguística, com ênfase em Semiótica Francesa. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-1662-1173

Suzana Cristina Andrade Moura, Universidade Metodista de São Paulo

Doutoranda em Educação pela Universidade Metodista de São Paulo, Mestre em Educação pela Universidade Cidade de São Paulo (2015), possui graduação em Letras - Português e Espanhol pela Universidade Paulista (2011). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Administração de Unidades Educativas. Atualmente é técnica em assuntos educacionais do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, atuante na Pró-Reitoria de Pesquisa com atuação na diretoria de pós graduação. Tem experiência na área de Educação, com atuação em gerência educacional e coordenação. Além disso atua como docente de Língua Portuguesa na Educação Básica - Ensino Fundamental II e Médio na Prefeitura de São Paulo.

Referências

ALVES, L. Educação remota: entre a ilusão e a realidade. Interfaces científicas - Educação, v. 8, n. 3, 2020. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/index.php/educacao/article/view/9251. Acesso em: 10 jan. 2021.

BRASIL. Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11947.htm . Acesso em: 17 jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto 9.057, de 25 de maio de 2017. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/D9057.htm. Acesso em: 16 jan. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação - CNE. Parecer CNE - CPN 5/2020. Publicado em 4 mai. 2020 e homologado em 1 jun. 2020. Disponível em: https://www.semesp.org.br/wp-content/uploads/2020/05/Parecer-CNE-CP_5_2020-1.pdf-HOMOLOGADO.pdf. Acesso em: 16 jan. 2021.

CASTRO, E. A.; QUEIROZ, E. R. de. Educação a distância e ensino remoto: distinções necessárias. Revista Nova Paideia - Revista Interdisciplinar em Educação e Pesquisa, v. 2, n. 3, p. 3-17, 14 set. 2020. Disponível em: ojs.novapaideia.org/index.php/RIEP/article/view/40/31. Acesso em: 16 jan. 2021.

COSTA, M. R. M.; COELHO, P. M. F.; TAVARES, Sergio M. N. Potencialidades educacionais do Wattpad: problematizando o conceito de cronotopo. Práxis educativa. Ponta Grossa, v. 15, e2013247, p. 1-21, 2020. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/13217/209209211450. Acesso em: 8 jan. 2021.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MARQUES, R. A ressignificação da educação e o processo de ensino-aprendizagem no contexto de pandemia da COVID-19. BOCA. Boa Vista, v. 3, n. 7, 2020. Disponível em: https://revista.ufrr.br/boca/article/view/Marques. Acesso em: 8 jan. 2021.

REIS, D. dos S.. Coronavírus e desigualdades educacionais: reposicionando o debate. Olhar de Professor. Ponta Grossa, v. 23, p. 1-5, 2020. Disponível em: http://www4.fe.usp.br/wp-content/uploads/coronavirus-e-desigualdades-educacionais-diego-reis.pdf. Acesso em: 8 jan. 2021.

SANCHES, E. M. B. C. C.; PARDIM, Renata Pereira. Fechamento das escolas; entre a necessidade do isolamento social e a essencialidade do serviço educacional – como ficam as crianças? p. 239-244. In: LIBERALI, Fernanda Coelho et al. (orgs). Educação em tempos de pandemia: brincando com um mundo possível. Campinas: Pontes Editores, 2020.

SÃO PAULO. Decreto nº 64.881, de 22 de março de 2020. 2020a. Disponível em: https://www.saopaulo.sp.gov.br/wp-content/uploads/2020/03/decreto-quarentena.pdf. Acesso em: 8 jan. 2021.

SÃO PAULO. Decreto nº 59.298, de 23 de março de 2020. 2020b. Disponível em: http://legislacao.prefeitura.sp.gov.br/leis/decreto-59298-de-23-de-marco-de-2020%20. Acesso em: 14 jan. 2021.

SCHIRATO, M. A. R. Novo normal: entenda melhor esse conceito e seu impacto em nossas vidas. Entrevista realizada em 7 mai. 2020. Disponível em: https://www.insper.edu.br/noticias/novo-normal-conceito/. Acesso em: 8 jan. 2021.

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO – SME-SP. Disponível em: https://educacao.sme.prefeitura.sp.gov.br/coronavirus/. Acesso em: 8 jan. 2021.

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO – SME-SP. Alimentação escolar: valor unitário das refeições. Última atualização, 2019. Disponível em: http://dados.prefeitura.sp.gov.br/dataset/alimentacao-escolar-valor-unitario-das-refeicoes. Acesso em: 18 jan. 2021.

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO – SME-SP. Demanda registrada e matrículas: Educação infantil, Fundamental e EJA. Última atualização, 2021. Disponível em: http://dados.prefeitura.sp.gov.br/dataset/demanda-e-matriculas. Acesso em: 14 jan. 2021.

SOUSA, A. P. R. de; COIMBRA, Leonardo J. Pinho. A educação e as novas tecnologias de informação e comunicação no contexto da pandemia do novo coronavírus: o professor “R” e o esvaziamento do ato de ensinar. Revista Pedagogia Cotidiano Ressignificado, v. 1, n. 4. Disponível em: https://rpcr.com.br/index.php/revista_rpcr/article/view/3/3. Acesso em: 8 jan. 2021.

Publicado

2021-08-13

Como Citar

Coelho, P. M., & Moura, S. C. A. (2021). Relação Professor-Aluno: Interações Pedagógicas em Ambientes Digitais no Ensino Fundamental em Tempo de Pandemia. EaD Em Foco, 11(1). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1397

Edição

Seção

Artigos Originais