Editorial v. 7, n. 1 (2017) - Dossiê: Recursos Educacionais Abertos (REA)

Edméa Santos, Elena Maria Mallmann

Resumo


Este número da revista EaD em Foco acentua o potencial da multidisciplinaridade internacional na produção e do compartilhamento aberto de conhecimentos científicos, tecnológicos, socioculturais e educacionais. São oito artigos escritos a muitas mãos mobilizados pela autoria e coautoria em rede que explicita atos éticos e estéticos congruentes com o movimento internacional alicerçado nos recursos educacionais abertos (REA), nas práticas e na educação aberta.
Cada um dos artigos enfatiza aspectos relevantes que marcam um espaço-tempo contemporâneo mediado pela interatividade e pela interação em redes. São autores e coautores, professores-pesquisadores, atentos às problematizações necessárias e recorrentes sobre o papel das tecnologias, dos recursos educacionais, do tripé ensino, pesquisa e extensão, da cibercultura e da mediação pedagógica tanto no ensino superior quanto na educação básica.
O artigo Recursos educacionais abertos na formação de professor-autor na cibercultura, de Edméa Santos, Tatiana Rossini e Mirian Amaral, trata dos REA sob o enfoque da pesquisa-formação e do professor-autor no contexto da cibercultura. As autoras enfatizam o papel das práticas culturais de intervenção na cultura por meio da reutilização de artefatos e expressões plurais imersas nas redes sociais. É uma contribuição para difusão e consolidação da filosofia da abertura.
O artigo Potencialidades dos REA no ensino-aprendizagem mediado por tecnologias em rede, de autoria de Juliana Sales Jacques, apresenta análises sobre o trabalho docente no ensino-aprendizagem mediado por tecnologias em rede, especialmente quando ocorre integração e/ou produção de REA. A autora destaca o papel das políticas públicas educacionais, como, por exemplo, o Plano Nacional de Educação (PNE) 2011-2020, que prevê a integração das tecnologias em rede na educação a fim de promover a universalização do ensino via democratização de acesso aos recursos educacionais.
Mara Denize Mazzardo, Elena Maria Mallmann e Ana Nobre, no artigo REA: acesso "gratuito" ao conhecimento, problematizam os impactos dos REA na ampliação e democratização do acesso ao conhecimento. Para tanto, explicitam e analisam resultados de pesquisa parametrizada pela abordagem Design-Based Research (DBR) em ciclos iterativos implementados no contexto de um small open on-line course (Sooc) com professores do ensino médio brasileiro. O foco específico do artigo são os desafios e viáveis-possíveis no processo de revisão e readaptação de REA em curso.
O artigo Como criar e manter interações de qualidade em cursos on-line?, de Ana Paula Correia, destaca resultados advindos de um estudo de caso realizado no contexto de um curso on-line de pós-graduação em tecnologia educativa numa universidade nos Estados Unidos. A autora apresenta a curadoria de conteúdos digitais como estratégia inovadora para superar os desafios da interação e colaboração entre os participantes em cursos on-line.
A contribuição dos autores Vilson José Leffa e Alan Ricardo Costa é a discussão sobre o papel da interação entre autores e coautores de REA para o ensino e a aprendizagem de línguas. O artigo intitulado Produzindo REA para o ensino de línguas: da interação à coautoria menciona resultados de pesquisa em que afirmam que a interação potencializa a colaboração em torno dos REA ao permitir debate, crítica e reflexão conjunta sobre determinado material, especialmente em cursos de capacitação de professores.
Maria Augusta Vasconcelos e Miriam Struchinner assinam o artigo Análise da produção de narrativas digitais no ensino superior em saúde. O objetivo do trabalho é analisar narrativas digitais multimídia a partir da utilização de imagens/fotos e vídeos em um blog no contexto de uma disciplina de um curso de Medicina.
O artigo a-REAEDUCA – Revista de Educação para o Século XXI: pensar, desenvolver e criar um REA, de Ana Nobre, Hélder Pereira e Rui Rosa, apresenta um exemplar concreto de iniciativa realizada em Portugal para ampliar e consolidar o movimento REA. No texto, os autores relatam a concepção de uma revista on-line de Educação para o Século XXI – a REAeduca, sustentada na filosofia dos REA. A revista segue o princípio da abertura da informação e do conhecimento na sociedade em rede com destaque especial para três domínios: acadêmico, organizacional e didático-pedagógico.
No artigo REA e Pomar: desdobramentos de uma Educação Aberta na cibercultura, as autoras Adriana Rocha Bruno e Ana Carolina Guedes Mattos apresentam conceitos e a compreensão acerca da educação aberta com destaque para iniciativas como massive open online courses (Mooc) e Percursos On-line Múltiplos, Abertos e Rizomáticos (Pomar). Os estudos das autoras são orientados pelas produções teóricas de Gilles Deleuze e Felix Guattari sobre multiplicidade, devir, plano de imanência e rizoma, que permitem compreender e maximizar a complexidade da educação contemporânea.
Desejamos que cada um dos artigos publicados nesta edição da revista se consolide como REA na disposição como material de apoio ao ensino-aprendizagem, à pesquisa e à extensão capaz de gerar novos produtos disponibilizados sob licença.

Edméa Santos e Elena Maria Mallmann
Organizadoras desta edição


Texto completo:

PDF PDF Completo da Edição


DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v7i1.616



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidades consorciadas