Formação de Professores em Educação Especial na Modalidade EaD: alguns apontamentos sobre seis cursos de especialização

Silvana Galvani Claudino Kamazaki, Vera Lucia Messias Fialho Capellini, Anna Augusta Sampaio de Oliveira, Ketilin Mayra Pedro

Resumo


A formação permanente é um elemento necessário da atividade docente. A parceria com a universidade no provimento dessa formação tem aproximado a academia da educação básica, relação essa tão importante para novas pesquisas, bem como para melhorar a formação inicial. Dentre os diferentes desenhos de formação, um pouco considerado é a formação por área, que foca as especificidades do público-alvo da Educação Especial. Nesse sentido, um curso de especialização de 18 meses na modalidade semipresencial contribuiu para que 600 professores e gestores da rede estadual de ensino de São Paulo acessassem o conhecimento produzido nas áreas das deficiências auditiva, intelectual, física, visual, do transtorno global do desenvolvimento e das altas habilidades ou superdotação. Os participantes avaliaram que o curso contribuiu para suas atividades docentes e para reflexões importantes do cotidiano escolar, como a necessidade dos projetos político-pedagógicos incorporarem em seus textos políticas, culturas e prá- ticas mais inclusivas. Outro aspecto importante apontando foi a necessidade de mudança na organização do trabalho pedagógico para atender com qualidade a singularidade de cada estudante, pois é a escola que precisa se transformar para promover ensino, de tal modo que todos aprendam. Por outro lado, ficou evidenciada a dificuldade leitora e escritora de parte dos cursistas ao elaborar o trabalho acadêmico requerido ao final do curso, algo relevante em se tratando de professores da educação básica.


Palavras-chave: Educação Especial, Inclusão Escolar, Avanços e entraves.

 

Teacher Training in Special Education in Distance Learning Modality: some Notes on Six Specialization Courses

 

Abstract 

Ongoing formation is a necessary element of teaching activity. The partnership with the university in providing this training has approached the basic education, a very important relationship for new research, as well as to improve initial training. Among the different training designs, training by area is hardly considered, specially focusing on the specificities of the target audience of special education. In this sense, a specialization course of 18 months in the semi-presencial modality contributed to 600 teachers and managers of the state education network from State of São Paulo to access the knowledge produced in the areas of hearing, intellectual, physical and visual impairments, global development disorder and high abilities. The participants evaluated that the course contributed to their teaching activities and to important reflections of the daily school life, such as the need for pedagogical political projects to incorporate more inclusive policies, cultures and practices into their texts. The need to change the organization of pedagogical work in order to meet the quality of each student’s singularity was another important aspect pointed, since the school should be transformed to promote teaching in a way that provides learning to everyone. Besides that, participants’ difficulty in reading and writing was evident in their final paper, which was required at the end of the course, and revels a relevant concerning regarding to teachers of basic education.


Keywords: Special education, School inclusion, Advances and obstacles


Palavras-chave


Educação Especial, Inclusão Escolar, Avanços e Entraves

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, O.C.S., Abbad, G., Meneses, P. P. M. & Zerbini, T. (2013). Evasão em cursos a distância: fatores influenciadores. Rev. Bras. Orientac. Prof., 14, n. 1.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bogdan, R. C. & Biklein, S. K. (1992). Qualitative research for education. An introduction to theory and methods. 2nd ed. Boston: Allyn and Bacon.

Brasil. Ministério da Educação (2001). Resolução 2/2001 - Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília, Conselho Nacional de Educação (CNE). Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/diretrizes.pdf

Brasil. Ministério da Educação e Cultura (2005). Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2005/decreto/d5626.htm

Borges, F. V. A., REALI, A. M. M. (2012). Formação de professores e educação a distância: uma parceria na formação de professores-tutores-regentes. In Simpósio Internacional de Educação a Distância e Encontro

de Pesquisadores em Educação a Distância. São Carlos. Disponível em: http://sistemas3.sead.ufscar.br/ojs/Trabalhos/177-898-1-ED.pdf

Buzianaro, M. A. B. (2002). Desenvolvimento da Competência Leitora e Escritora dos Professores. In M. A. Marfan (org.) Painéis [do] Congresso Brasileiro de Qualidade na Educação: formação de professores (p. 34-36) v 2. Brasília, MEC, SEF. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/vol2a.pdf

Capellini, V. L. M. F. & Moriya Schlünzen, E. T. (2016) Análise de um curso de especialização em Educação Especial na modalidade a distância (EaD) em parceria com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (SEE/SP). In III Congresso Nacional de Formação de Professores (CNFP) e XIII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores (CEPFE) (p. 3.166-3.176). Lindoia. Disponível em http://200.145.6.217/proceedings_arquivos/ArtigosCongressoEducadore/5588.pdf

Cunha, M. I. (2012). Diálogo com os resultados do estudo: o que aprendemos sobre a qualidade do ensino de graduação e a relação entre ensino, pesquisa, extensão e o desenvolvimento profissional docente? InM.I. Cunha (org.). Qualidade na graduação: a relação entre ensino, pesquisa e extensão e o desenvolvimento profissional docente (p. 267-280). Araraquara: Junqueira e Marins.

Guedes, P. C. & Souza, J. M. de (2007). Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de Português. In I. C. B. Neves (org.). Ler e escrever: compromisso de todas as áreas (p. 17-22). 8ª ed. Porto Alegre: UFRGS.

Júnior, J. B. S. (2015). Educação a distância: desafios e perspectivas. Revista Educação Pública, v. 1, nov.

Passerino, L. M. (2011). Uma experiência de formação de professores na modalidade EaD. In K. R. Caiado, D. M. Jesus, C. R. Baptista (orgs.). Professores e Educação Especial: formação em foco (p. 75-90) v. 1. Porto Alegre: Mediação CDV/Facitec.

Moriya Schlünzen, E. T. (2015). Abordagem construcionista, contextualizada e significativa: formação, extensão e pesquisa em uma perspectiva inclusiva. Tese de Livre Docência. Unesp/Presidente Prudente.

Rinaldo, R. B. (2014). Evasão em curso multiprofissional de especialização em Saúde da Família: comparação entre modalidade a distância versus presencial. Dissertação de mestrado. Programa de Pós- Graduação em Ensino na Saúde. Mestrado Profissional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Sommer, L. H, Baibichi, T. M., Pinto, M. M., Debald, B.S., Ramos, I.V. & Salami, M.C. (2012). Qualidade de ensino de graduação e os mitos em discursos institucionais. In M. I. CUNHA (org.). Qualidade na graduação:

A relação entre ensino, pesquisa e extensão e o desenvolvimento profissional docente (p. 39-69). Araraquara: Junqueira e Marins.




DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v7i3.549



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

UNIVERSIDADES CONSORCIADAS