Perfil Sociodemográfico e Relação com a Tutoria de Alunos de Pedagogia EaD

  • Juliana Gomes Fernandes Instituto Federal do Paraná - IFPR Campus Londrina
  • Luciane Guimarães Batistela Bianchini Universidade Norte do Paraná / UNOPAR Programa de Mestrado em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias
  • Paula Mariza Zedu Alliprandini Universidade Estadual de Londrina Departamento de Educação

Resumo

Com a ampliação da Educação a Distância (EaD) no Brasil e o aumento no número de matrículas nessa modalidade de ensino, surgem reflexões e questionamentos acerca do perfil sociodemográfico e das características relacionadas ao modo de estudo dos alunos matriculados nela. O objetivo desta investigação foi identificar o perfil sociodemográfico dos alunos matriculados no curso de Pedagogia, bem como seus hábitos de estudo e sua relação com a tutoria. Para tanto, foi realizada uma pesquisa de campo descritiva, com abordagem quantitativa, com 1.434 alunos de um curso de Pedagogia ofertado a distância por uma universidade particular do Norte do Paraná. A coleta foi realizada online e os dados foram submetidos à análise estatística descritiva e inferencial. Dos participantes, 1.364 eram do sexo feminino e 70 do sexo masculino; a média de idade foi de 31,2 anos; a maioria (55,5%) era casada e com renda familiar entre R$ 789,00 e R$ 1.576,00. Estavam divididos por todas as regiões do país e 91,2% declararam possuir apenas o ensino médio. A maioria (85,45%) não havia cursado outros cursos em EaD. Os respondentes informaram que preferem solucionar suas dúvidas com o tutor (58,44%) e que este contribui positivamente para a realização das atividades do curso (93,24%). Pretende-se dessa forma auxiliar a coordenação do curso pesquisado a melhorar a articulação dos projetos pedagógicos com o perfil do aluno, bem como favorecer o desenvolvimento de políticas públicas para a modalidade a distância.

Biografia do Autor

Juliana Gomes Fernandes, Instituto Federal do Paraná - IFPR Campus Londrina

Instituto Federal do Paraná / IFPR

Câmpus Londrina

Grupo de Pesquisa Cognitivismo e Educação

Luciane Guimarães Batistela Bianchini, Universidade Norte do Paraná / UNOPAR Programa de Mestrado em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias

Universidade Norte do Paraná / UNOPAR
Programa de Mestrado em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias
Grupo Epistemologia e Psicologia: processos e contextos de desenvolvimento humano
Grupo de Pesquisa Cognitivismo e Educação

Paula Mariza Zedu Alliprandini, Universidade Estadual de Londrina Departamento de Educação

Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Educação

Grupo de Pesquisa Cognitivismo e Educação

Referências

ALVES, L. Educação a distância: conceitos e história no Brasil e no mundo. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, São Paulo, v. 10, p. 83-92, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (ABED). Censo EAD Brasil 2015: relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil. Curitiba: InterSaberes, 2016. Disponível em: http://abed.org.br/arquivos/Censo_EAD_2015_POR.pdf. Acesso em: 11 out. 2016.

______. Censo EAD Brasil 2017: relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil. Curitiba: InterSaberes, 2018. Disponível em: http://abed.org.br/arquivos/CENSO_EAD_BR_2018_digital_completo.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

BELLONI, M. L. Educação a distância. 5ª ed. São Paulo: Autores Associados, 2009.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 20 dez.1996.

______. Lei nº 13.005, de 24 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação: PNE e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 26 jun. 2014.

______. Decreto nº 2.494, de 10 de fevereiro de 1998. Regulamenta o Art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 10 fev. 1998a.

______. Decreto nº 2.561, de 27 de abril de 1998. Altera a redação dos Arts. 11 e 12 do Decreto n.º 2.494, de 10 de fevereiro de 1998, que regulamenta o disposto no Art. 80 da Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 27 abr. 1998b.

______. Decreto-Lei nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o Art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 19 dez. 2005.

______. Decreto nº 6.303, de 12 de dezembro de 2007. Altera dispositivos dos Decretos nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e nº 5.773, de 9 de maio de 2006, que dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior e cursos superiores de graduação e sequenciais no sistema federal de ensino. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 12 dez. 2007.

______. Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o Art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 25 maio 2017.

______. Portaria Ministerial nº 301, de 7 de abril de 1998. Normatiza os procedimentos de credenciamento de instituições para a oferta de cursos de graduação e educação profissional tecnológica a distância. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 09 abril 1998c.

CORTELAZZO, I. B. C. Tutoria e autoria: novas funções provocando novos desafios na educação a distância. EccoS Revista Científica, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 307-325, jul./dez. 2008.]

FANTINEL, P. C. et al. Autorregulação da aprendizagem: uma competência fundamental na formação do licenciado em Matemática a distância. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA, 10., 2013, Belém. Anais... Belém, 2013.

FIUZA, P. J. Adesão e permanência discente na educação a distância: investigação de motivos e análise de preditores sociodemográficos, motivacionais e de personalidade para o desempenho na modalidade. 2012. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2012. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/55089/000855707.pdf?sequence=1. Acesso em: 9 out. 2016.

GODOI, M. A.; OLIVEIRA, S. M. S. S. O perfil do aluno da educação a distância e seu estilo de aprendizagem. EaD em Foco, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, 2016.

GOMES, A. A. A construção da identidade profissional do professor: uma análise de egressos do curso de Pedagogia. In: CONGRESSO PORTUGUÊS DE SOCIOLOGIA, 6., 2008, Lisboa. Anais... Lisboa, 2008. Disponível em: http://www.aps.pt/vicongresso/pdfs/590.pdf. Acesso em: 8 out. 2016.

LESSA, S. C. F. Os reflexos da legislação de educação a distância no Brasil. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, São Paulo, v. 10, p. 17-28, 2011.

MARTINS, R. X. et al. O perfil sociodemográfico de candidatos a cursos de licenciatura a distância e os objetivos da Universidade Aberta do Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA, 9., 2012, Recife. Anais... Recife, 2012. p. 1-12.

MORAN, J. M. A educação a distância no Brasil: cenário atual e caminhos viáveis de mudanças. 2014. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/cenario.pdf. Acesso em: 1 ago. 2016.

NÖRNBERG, N. Os processos educativos e o papel do professor tutor na e para comunicação e interação. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA, 17., 2011, Manaus. Anais... Manaus, 2011. Disponível em: http://www.abed.org.br/congresso2011/cd/192.pdf. Acesso em: 20 set. 2016.

OLIVEIRA, L. A. B. et al. Perfil dos alunos ingressantes no curso de Administração a distância da UFRN. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA: SEGeT, 8., 2011, Resende. Anais... Resende, 2011. Disponível em: http://www.aedb.br/seget/artigos11/29314420.pdf. Acesso em: 20 set. 2016.

PAVESI, M. A. Análise da aprendizagem autorregulada de alunos de cursos à distância em função das áreas de conhecimento, faixa etária e sexo. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação): Universidade Estadual de Londrina. Londrina, 2015.

PRETTI, O. Educação a distância: fundamentos e políticas. Cuiabá: EdUFMT, 2009.

SCHNITMAN, I. M. O perfil do aluno virtual e as teorias de estilos de aprendizagem. In: III SIMPÓSIO HIPERTEXTO E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO. Redes sociais e aprendizagem. NEHTE/UFPE. Anais... Recife, 2 e 3 de dezembro de 2010. Disponível em: http://www.ufpe.br/nehte/simposio/anais/Anais-Hipertexto-2010/Ivana-Maria-Schnitman.pdf. Acesso em: 17 out. 2016.

SILVA, V. L. G. Profissão: professora. In: CAMPOS, M. C. S. de S.;

SILVA, V. L. G. (Orgs.) Feminização do magistério: vestígios do passado que marcam o presente. Bragança Paulista: Edusf, 2002. p. 95-122.

VIEIRA, C. M. S.; ABREU, R. M. A. Educação a distância: uma reflexão sobre a relação professor-tutor e estudante no processo de ensino e aprendizagem. Revista Intersaberes, Curitiba, v. 11, n. 23, p. 284-303, 2016.

Publicado
2019-07-23
Seção
Estudos de Caso