Educação de Jovens e Adultos na Modalidade a Distância: Acesso, Permanência e Aprendizagem na Percepção dos Alunos

Autores

Resumo

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) ofertada na modalidade a distância pode consolidar-se como uma alternativa de acesso à escolarização. Diante disso, este estudo analisa o início da oferta da EJA a distância no município de São José em Santa Catarina com o objetivo de identificar os fatores relacionados à oferta da EJA a distância que contribuem com o acesso, a aprendizagem e a permanência dos alunos. Para tanto, realizou-se um estudo de campo qualitativo com 89 alunos da EJA a distância, por meio da aplicação de um questionário. Os resultados revelam que a interação com professores e colegas e as características do próprio processo de ensino a distância são os aspectos mais positivos. As dificuldades de estudar a distância estão relacionadas a algumas características da organização do curso e às condições técnicas de acesso ao ambiente virtual. Apesar disso, destaca-se a avaliação positiva dos alunos em relação ao curso. Conclui-se que a EJA a distância pode ser uma alternativa à democratização da educação ao contribuir com o acesso, a permanência e a aprendizagem.

Palavras-chave: Educação a distância. Ambiente virtual de aprendizagem. Flexibilização. Tecnologias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Karine Ramos, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação e Professora Associada no Departamento de Metodologia de Ensino e no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina

Referências

ALMEIDA, M. E. B. de. Educação, ambientes virtuais e interatividade. In: SILVA, M. (org.) Educação online: teorias, práticas, legislação, formação corporativa. São Paulo: Loyola, 2006.

ARREDONDO, S. C. Acción tutorial en los Centros Educativos: formación y práctica. Madrid: UNED, 1998.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: edições 70, 1997.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei 9.394/96. Brasília: Imprensa Oficial, Diário Oficial, v. 134, n. 248, 1996.

COHEN, Louis; MANION, Lawrence; MORRISON, Keith. Research methods in education. 8th ed. New York: Routledge, 2018.

GABRIEL, V. C. C.; FOFONCA, E.; MACIEL, P. D. Entre os dispositivos móveis interconectados e os processos de comunicação e aprendizagem ubíquas: a Educação de Jovens e Adultos na modalidade EaD. Ação Midiática–Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura, v. 2, n. 12, p. 279-303, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/2238-0701.2016n12p279-303.

GIL, Antonio C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, Andressa Cardoso. Os significados que os alunos da EJA têm em relação à instituição escolar. Interagir: pensando a extensão, n. 20, p. 1-21, 2015.

LOPES, S. P.; SOUSA, L. S. EJA: Uma Educação Possível ou Mera Utopia? Revista Alfabetização Solidária (Alfasol), v. 5, março/2005.

MOORE, M.; KERSLEY, G. Educação a Distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2007.

NEGREIROS, Fauston et al. Análise psicossocial do fracasso escolar na Educação de Jovens e Adultos. Revista Psicologia em Pesquisa, v. 11, n. 1, 2017.

PADILHA, S. Voltando a escola: um estudo da questão com os alunos do curso de Educação de Jovens e Adultos. 2003. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produtos) – Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produtos, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

POZDNYAKOVA, O.; POZDNYAKOV, A. Adult students’ problems in the distance learning. Procedia engineering, v. 178, p. 243-248, 2017.

RAMOS, D. K. Perfil dos alunos de licenciatura a distância e aspectos que contribuem para aprendizagem. Revista Reflexão e Ação, v. 21, n. 2, p. 199-220, 2013.

RIBEIRO, V. M. (org.). Educação para Jovens e Adultos: Proposta Curricular para o 1º segmento do Ensino Fundamental. 3. ed. São Paulo: Ação Educativa; Brasília: MEC, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/EJA/propostacurricular/primeirosegmento/propostacurricular.pdf. Acesso em: 23 abr. 2015.

SANTOS, E. Educação Online para além da EaD: um fenômeno da Cibercultura. In: SILVA, M. et al (org.). Educação online: cenário, formação e questões didático metodológicas. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

SÃO JOSÉ. Lei Ordinária N° 5254/2012. Aprova o Plano Municipal de Educação. Câmara Municipal de São José, 2012.

SETTON, M. G. J. Um novo capital cultural: pré-disposições e disposições à cultura informal nos seguimentos com baixa escolaridade. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 90, p. 77-105, jan./abr. 2005.

TITMUS, C. J. (ed.). Lifelong education for adults: An international handbook. England: Elsevier, 2014.

VILLARDI, R. Educação à distância: entre a legislação e a realidade. In: SOUZA, Donaldo Bello de. Desafios da Educação Municipal. Rio de Janeiro: DP & A, 2002.

WACHOWICZ, L. A. A. Confrontando educação de jovens e adultos (EJA) com a educação à distância (EAD) na legislação brasileira. Revista Intersaberes, v. 13, n. 29, p. 394-407, 2019.

WILSON, S. Adult learning principles and learner diferences. In: DOOLEY, Kim E., LINDNER, J. R., DOOLEY, L. M. Advanced methods in distance education: applications and practices for educators, administrators, and learners. London: IGI Global, 2005.

WOLFSOHN, A. C. EJA digital: um estudo sobre a juvenilização e aplicação da modalidade ead na educação de jovens e adultos. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós Graduação em Educação, Universidade Metodista de São Paulo, São Paulo, 2018.

Publicado

2020-07-14

Como Citar

Ramos, D. K., & Bezerra, A. L. da S. (2020). Educação de Jovens e Adultos na Modalidade a Distância: Acesso, Permanência e Aprendizagem na Percepção dos Alunos. EaD Em Foco, 10(2). Recuperado de https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1014

Edição

Seção

Estudos de Caso