REFLEXÕES SOBRE A INOVAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO BRASILEIRO

Simone Aparecida Tiziotto, Edson Walmir Cazarini, Jose Dutra Oliveira, Selma Martins Oliveira

Resumo


O presente artigo tem o objetivo de investigar e apresentar dados que podem contribuir para a identificação da Inovação efetivamente verificada nos últimos sete anos, na EAD (Educação a Distância) brasileira. Propõe uma discussão teórica orientada rumo às necessidades e trajetórias da Inovação na educação e do contexto da Inovação na EAD brasileira, bem como uma pesquisa de campo para conclusão da investigação. Para a obtenção dos resultados, foram analisados cinqüenta artigos apresentados em Congressos organizados pela ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância, nos anos de 2004 a 2010, seguindo os procedimentos metodológicos de uma pesquisa exploratória descritiva, os quais proporcionaram a aquisição de visão global do tipo aproximativo em relação ao fato determinado. Na análise procurou-se identificar as inovações radicais e/ou incrementais dos processos nesta modalidade de ensino-aprendizagem. E ainda, buscou-se identificar os limites, as contribuições deste trabalho e as propostas para pesquisas futuras. Os resultados apontaram as principais inovações e seus respectivos percentuais de incidência, divididas em dezesseis áreas temáticas que variaram inovações pedagógicas e tecnológicas, até administrativas, institucionais e políticas, bem como as características destas inovações, as quais tem se mostrado essencialmente incrementais. Finalmente, observa-se que a capacidade de aprender com a análise reflexiva e com a experiência tornam-se fundamentais para as instituições de ensino brasileiras que pretendem inovar em seus projetos de EAD. Seja como for, os resultados mostraram-se satisfatórios validando a pesquisa apresentada.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v2i1.91



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

UNIVERSIDADES CONSORCIADAS