Educação sobre Drogas: Possibilidades da EaD na Formação Continuada de Professores

Francisco José Figueiredo Coelho, Simone Monteiro

Resumo


A  partir  de  uma  revisão  exploratória  da  produção  acadêmica  nacional e internacional   e   documental   no   Brasil,   este   artigo   discute   o   potencial   e   as possibilidades da Educação  a  Distância  (EaD)  no  desenvolvimento  de  processos formativos sobre drogas para professores do ensino fundamental e médio. Tal recorte se  justifica  pelo  acesso  e  uso  de  drogas,  principalmente  o  álcool,  entre  estudantes brasileiros na faixa de 13 a 15 anos e pelo despreparo dos educadores para abordar o tema  drogas  no  contexto  escolar.  A  partir  dos  achados  da  revisão,  são  elencados diversos  argumentos  sobre  as  contribuições da formação  continuada  de  professores da  rede  pública  sobre  drogas  na  modalidade  EaD,  que  visam estimular  a  sua implementação nas unidades de ensino do país.


Palavras-chave: Drogas, Educação sobre drogas, Educação a distância, Formação de professores, Formação continuada.


Drug Education: Possibilities of Distance Learning Mode in Teacher Training


Abstract

Based  on  an  exploratory  review  of  national/international  academic  papers  and documentary  production  developed  in  Brazil,  this  article  discusses  both  the  potential and  possibilities  of  Distance  Education  (EaD)  in  the  development  of  drug  training processes  for  teachers  from  elementary  and  middle  school.  Such  perspective  is justified by the access and use of drugs, mainly alcohol, by Brazilian students between 13 and  15 years  and addresses the lack of preparation of the educators to approach the  drugs  theme  in  the  school  context.  Based  on  the  findings  of  the  review,  several arguments  on  the  contributions  of  continuing  education  of  teachers  of  the  public network on drugs in the EaD modality are presented. These results aim to stimulate the EaD implementation in the country's educational units.


Keywords: Drugs, Drug Education, Distance education, Teacher trai


Palavras-chave


Drogas, Educação sobre Drogas, EaD, formação de professores, formação continuada.

Texto completo:

PDF

Referências


ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância. (2016). Censo EAD.BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2015. Curitiba: InterSaberes.

Acselrad, G. (2005). A educação para autonomia: construindo um discurso democrático sobre as drogas. In ACSELRAD, G. (Orgs.). Avessos do prazer: drogas, Aids e direitos humanos. (2.ed., p. 164) Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz.

Adade, M. (2012). A visão de estudantes sobre drogas: subsídios para ações educativas orientadas pela redução de danos. 198 f. Dissertação de Mestrado. Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz.

Adade, M., & Monteiro, S. (2014). Educação sobre drogas: uma proposta orientada pela redução de danos. Educação e Pesquisa, São Paulo, 40 (1), p. 215-230. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ep/v40n1/aop1140.pdf

Almeida, M. D., Iannone, L. R., Silva, M. D., & Villarinhos, M.. Educação a distância: oferta, características e tendências dos cursos de licenciatura em Pedagogia. Fundação Victor Civita, 2012 (Relatório).

BRASIL. (2013). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012. Rio de Janeiro: IBGE.

Brasil. (2006). Lei n. 11.343, de 23 de agosto de 2006. Dispõe sobre o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas.

Brasil. (1998). Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Saúde. Brasília, DF: MEC/SEF.

Cebrid. (2006). II Levantamento domiciliar sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil: estudo envolvendo as 108 maiores cidades do país.

Cebrid. (2010). VI Levantamento nacional sobre o consumo de drogas psicotrópicas entre estudantes do ensino fundamental e médio de redes públicas e privadas de ensino de 27 capitais brasileiras. Brasília.

Coelho, F. J. F. (2014). A gestão do tempo na EaD: do aluno ao tutor. In Coelho, F. J. F., & Velloso, A. (Orgs.). Educação a Distância: história, personagens e contextos (pp. 69-77). Curitiba: CRV.

King´Endo, M. (2015). Behavior disorders related to drug abuse among secondary school students in Kenya. Journal of Education and Practice, 6 (19), 170-178. Disponível em http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1079526.pdf

Midford, R., Cahill, H., Ramsden, R., Davenport, G., Venning, L., Lester, L., Murphy, B., & Pose, M. (2012). Alcohol prevention: What can be expected of harm reduction focused drug education programme? Drugs: Education, prevention and policy, 19(2). Disponível em http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.3109/09687637.2011.639412?src=recsys&journalCode=idep20

Moffat, B., Haines-Saah, R. J., & Johson, J. L. (2017). From didactic to dialogue: Assessing the use of an innovative classroom resource to support decision-making about cannabis use. Drugs: Education, Prevention and Policy, 24(1), 85–95. Disponível em http://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/09687637.2016.1206846

Moreira, F. G., Silveira, D. X., & Andreoli, S. B. (2006). Redução de danos do uso indevido de drogas no contexto da escola promotora de saúde. Ciênc. Saúde Coletiva, 11(3), 807-816. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/csc/v11n3/30995.pdf

Nations unies. (2005). Office contre la drogue et le crime. Réseau mondial de la jeunesse. Écoles: Éducation em milieu scolaire pour la prévention de l´abus de drogues. Publication des Nations unies, New York.

Oliveira, F. S. (2014). EaD E FORMAÇÃO DOCENTE: possibilidade de crescimento pessoal, intelectual e individual. In Coelho, F. J. F., & Velloso, A. (Orgs.). Educação a Distância: história, personagens e contextos (pp. 99-106). Curitiba: CRV.

Placco, V. M. N. S. (2011). Modelos de Prevenção do uso de drogas para adolescentes: concepções e ações de professores. In Silva, E. A.; De Micheli, D. (Orgs.) Adolescência, uso e abuso de drogas: uma visão integrativa. São Paulo: FAP-Unifesp, p. 657 – 678.

Salvador, D. F., Crapez, M. A. C., Rolando, F. R. R., Rolando, L. G. R., & Magarrão, J. F. L. (2010). Um panorama da formação continuada de professores de Biologia e ciências através da EaD no estado do Rio de Janeiro. Revista EaD em foco, 1 (1), 59-158. DOI: http://dx.doi.org/10.18264/eadf.v1i1.19

Santos, C. S. S., & Campos, G. H. B. (2016). Caminhos da Política Nacional de Formação de Professores na Modalidade a Distância. Revista EaD em foco, 6 (1), 69-86. DOI: http://dx.doi.org/10.18264/eadf.v6i1.332

Selles, S. E. (2002). Formação continuada e desenvolvimento profissional de professores de ciências: anotações de um projeto. Revista Ensaio – Pesquisa em Educação em Ciências, 2 (2), 167-181.

Sudbrack, M. F., Conceição, M. I. G., Seidl, E. M. F., & Gussi, M. A. A escola em rede para prevenção do uso de drogas no território educativo: Experiência e pesquisa no PRODEQUI/PCL/IP/UnB nos dez anos de formação de educadores de escolas públicas para prevenção do uso de drogas (2004-2014). Campinas: Armazém do Ipê.

Tardif, M. (2014). Saberes Docentes e formação profissional. (17.ed., p. 325). Rio de Janeiro: Vozes.

Teixeira, N. F.; Almeida, P. V. (2015). Formação de Professores na Educação a Distância e a Prática Reflexiva. Revista EaD em foco, 5(3), 1-14. DOI: http://dx.doi.org/10.18264/eadf.v5i3.281

Valente, J. A. (2011). Educação a distância criando abordagens educacionais que possibilitam a construção de conhecimento. In Arantes, V. (Org.). Educação a Distância: Pontos e Contrapontos. São Paulo: Summus.




DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v7i2.577



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidades consorciadas