A precarização do trabalho do tutor a distância na Universidade Aberta do Brasil: Relatos de um tutor a distância

Fabiano Lemos Pereira

Resumo


O texto apresenta uma análise do trabalho do tutor nas universidades públicas Educação a Distância (EaD). Como pressuposto metodológico, foi realizada pesquisa bibliográfica calcada no conceito de ser-humano-genérico de Alves (2013), além de observações empíricas como tutor a distância do curso de Licenciatura em Música da Universidade de Brasília (UnB) através da Universidade Aberta do Brasil (UAB). O foco dado ao trabalho é o da precarização do trabalho docente e modos de intensificação do trabalho. O referencial teórico apresentado é o da problematização da “nova morfologia do trabalho”, precarizada através de otimização dos lucros inserida na docência através de tutoria remunerada através de bolsas de estudos. A relação de trabalho de tutor e a precarização do trabalho vivenciada empiricamente na UAB é comparada com os relatos sobre o CEDERJ. Concluímos que com a falta de regulação e sindicalização do trabalho docente a distância aliado a fragilidade do financiamento da UAB, tal forma de oferta de cursos a distância em instituições públicas pode acarretar em uma súbita interrupção desses serviços se não houver uma política pública de longo prazo capaz de regular e estabilizar tal oferta, sendo fundamental igualar as condições de trabalho docente dos cursos a distância com cursos presenciais.


Palavras-chave: Educação a distância, Precarização do trabalho, Trabalho docente, Formação humana.


The Precariousness of the Work of the Distance Tutor in the Open University of Brazil: Reports of a Distance Tutor


Abstract

This paper presents an analysis of the work of the tutor in public universities Distance Learning (DL). As methodological fundamentals, a bibliographical research based on the concept of human-generic of Alves (2013), as well as empirical observations as a distance tutor of the undergraduate course in Music of the University of Brasília (UnB) through Open University of Brasil (UAB). The focus of taken in this paper is the casualization of the teaching profession and ways of intensification of work. The presented theoretical framework is that of theproblematization the "new morphology of work" precarious through optimization of profits inserted in teaching through tutoring remunerated through scholarships. The relationship of the tutor's work and the precariousness of the work empirically experienced at the UAB is compared with the reports about CEDERJ. We conclude that in the absence of regulation and unionization of the teaching work distance allied with the fragility of the UAB financing, such as offering distance learning courses in public institutions may imply a sudden interruption of these services if there is no long-term public policy able to regulate and stabilize such offer, being fundamental to match the working conditions of teachers of distance learning courses with classroom courses.


Keywords: Distance Learning, Precariousness work, Professor work, Human formation.

 


Palavras-chave


Educação a distância; Precarização do trabalho; Trabalho docente; Formação Humana

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, G. (2013). Dimensões da precarização do trabalho. Bauru: Canal 6. P. 85-113.

Ávila, S. F. O., Mancebo, D., & Vale, A. A. A (2016). Flexibilização, fragmentação e precarização dos processos de trabalho no EAD: o caso CEDERJ. In: Chaves, V.

L. J.; Hage, O. M.; & Hage, S. M. (Org.). Expansão privado-mercantil da educação superior no Brasil. 1ª ed. (pp. 165-187). Campinas: Mercado das Letras, v. 1.

Antunes, R, (2013). A nova morfologia do trabalho e suas principais tendências:informalidade, infoproletariado, (i)materialidade e valor. In: Riqueza e miséria do trabalho no Brasil II. 1ª ed. (pp. 13-27). São Paulo: Boitempo.

Creswell, J. W. (2010). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto.

trad.Magda Lopes. 3.ed. Porto Alegre: Artmed.

Cruz, T. M. (2007). Universidade Aberta do Brasil: Implementação e previsões.

Dissertação de Mestrado não publicada, Programa de Pós-graduação em

Educação, Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

Decreto nº 5.800, de 8 de junho de 2006. (2006). Dispõe sobre o Sistema

Universidade Aberta do Brasil - UAB. Brasília, DF. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/decreto/d5800.htm.

Acesso em 05 Ago. 2015.

Dejours, C. (1999). A banalização da injustiça social. 2ª ed. Rio de janeiro: FGV. 13-36.

Figueiredo, A. M. (2010). Como elaborar projetos, monografias, dissertações e teses:

da redação científica a apresentação final. 3 ed. (pp. 75-112). Rio de Janeiro:

Lúmen Júris.

Foreque, F. (2015, julho). Educação a distância deve ter novas diretrizes e se

aproximar da presencial. Folha de São Paulo. São Paulo. Acesso em 9 de agosto

de 2015, disponível em:

http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2015/07/1661682-governo- debate-

regras-para- aproximar-educacao- a-distancia- da-presencial.shtml.

Fraser, S., & Deane, E. (1997). Why open learning?. (pp. 25-31). Australian

Universities review.

Harvey, D. (2008). O Neoliberalismo: Histórias e implicações. (pp. 1-93). São Paulo:

Edições Loyola.

Harvey, D. (2011). O enigma do capital e as crises do capitalismo. (pp. 101-150). São

Paulo: Boitempo.

Kosik, K. (1986). Metafísica da Cultura. In: Dialética do concreto. (pp. 99-136). Rio de

janeiro: Paz e Terra, 4ª ed.

Lancman, S., & Sznelwar, L. (2001). Christophe Dejours: da psicopatologia à

psicodinâmica do trabalho. (pp.17-36). Rio de janeiro: Editora Fiocruz.

Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (1996). Estabelece as diretrizes e bases da

educação nacional. Brasília, DF. Recuperado em 29 de setembro de 2016.

Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm.

Lei nº 13.429, de 31 de março de 2017 (2017). Altera dispositivos da Lei no 6.019, de

de janeiro de 1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas

urbanas e dá outras providências; e dispõe sobre as relações de trabalho na

empresa de prestação de serviços a terceiros. Brasília, DF. Recuperado em 12

de Abril de 2017. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13429.htm.

Mancebo, D., & Martins, T. B. (2012). Expansão do ensino a distância: Pressupostos

para sua análise e marcos regulatórios. in: Mancebo, D., & Júnior, J. R. S.

Trabalho docente e expansão da educação superior brasileira. (Org.). Rio de

janeiro: EdUERJ.

Mancebo, D., Nunes, D. A. S., Ognibene, C. E. T., Brito, L. D., Braga, J. M. S. (2015).

De que distância se fala quando se analisa o desempenho dos estudantes do

CEDERJ. in: XXIII Seminário Nacional da Rede Universitas/Br. Anais do XXIII

Seminário Nacional da Rede Universitas/Br. Belém: Edufpa, 2015. v. 23, 773-

Mancebo, D., Vale, A. A., Morais, C. C. I., Avila, S. F. O., Meireles, P. A., & Mattos, L

(2014). O trabalho docente no EaD: o caso CEDERJ. In Souza, A. S. Q., &

Camargo, A. M. M. Interfaces da educação superior no Brasil. Curitba: CRV.

Okada, A. (2007). Novos paradigmas na educação online com a aprendizagem aberta.

Revista Challenges. Acesso em 26 de dezembro de 2015, disponível em:

http://kn.open.ac.uk/public/getfile.cfm?documentfileid=11833.

Pereira, F. L. (2014). A aprendizagem de música a distância: Relatos de experiência

discente. Curitiba: CRV.

Pereira, M. C. (2012). O setor da internet no Brasil: Uma análise da competição no

mercado de acesso. Dissertação (mestrado em ciências econômicas) – Instituto

de economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. Disponível

em:

http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000857289&fd=y.

Pimentel, N. M. (2006). Educação aberta e a distância: análise das políticas públicas e

da implementação da educação a distância no ensino superior do Brasil a partir

das experiências da Universidade Federal de Santa Catarina e da Universidade

Aberta de Portugal. Tese de Doutorado não publicado, Programa de Pós

Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa

Catarina, Florianópolis, SC.

Portaria nº. 4.059, de 10 de dezembro de 2004 (2004). Brasília, DF. Recuperado em 4

de janeiro de 2016, disponível em:

http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/nova/acs_portaria4059.pdf.

Ribeiro, D. Ensaios insólitos. 1ª ed. Rio de janeiro: Fundação Darcy Ribeiro, 2013.

Rosso, S. D. (2008). Mais trabalho! A intensificação do labor na sociedade

contemporânea. São Paulo: Boitempo editorial.

Rosso, S. D. (2013). Crise socioeconômica e instensificação do trabalho. in: Riqueza e

miséria do trabalho no Brasil II. 1ª ed. (pp. 28-53). São Paulo: Boitempo.

Santos, A. I. O conceito de abertura em EAD. In Litto, F., & Formiga, M. M. Educação

a distância: O estado da arte. 1º v. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Sisuab (n.d.). Sisuab. Disponível em: http//www.sisuab.capes.gov.br. Acesso em 29 de setembro de 2016.




DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v7i2.519



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

UNIVERSIDADES CONSORCIADAS