Autorregulação da Aprendizagem na Educação a Distância – Análise das Produções Científicas Realizadas em Brasil e Portugal no Período de 2010 a 2015

Janaína Copello Quintes Monnerat, Maria Teresa Ribeiro Pessoa, Joaquim Armando Gomes Alves Ferreira

Resumo


A sociedade atual, do conhecimento e da informação, requer do ensino superior novas dinâmicas mediadas pelas tecnologias, constituindo-se, nesse contexto, a Educação a Distância como modalidade de ensino privilegiada. Tornam-se relevantes a análise e a compreensão das formas de aquisição de conhecimento nessa modalidade por parte dos alunos, sendo o estudo da variável autorregulação da aprendizagem priorizada dada a sua importância para o sucesso acadêmico dos mesmos. O presente trabalho, após pesquisa guiada pelos atuais e credíveis repositórios português e brasileiro, RCAAP e CAPES, analisou artigos, dissertações de mestrado e teses de doutorado no âmbito da autorregulação da aprendizagem na Educação a Distância publicados no Brasil e em Portugal no período de 2010 a 2015. Os resultados encontrados apontam para quatro abordagens principais: o portfólio, como instrumento com imenso potencial da aprendizagem autorregulada; as estratégias de aprendizagem como extremamente importantes nos processos de autorregulação; estudos centrados no tutor e na forma como estes podem promover a autorregulação nos alunos; e, por último, as TIC, ou seja, as aplicações hipermédia como apoio à aprendizagem autorregulada. São necessários estudos mais aprofundados sobre este tema, incluindo a ampliação das plataformas de busca para um resultado mais abrangente.


Palavras-chave: Autorregulação, E-learning, Educação a Distância.

 


Self Regulation of Learning in the E-Learning Area - Analysis of the Scientific Works Performed in Brazil and Portugal in the Period of 2010 to 2015

Abstract
Higher education includes an integration of various technological tools and distance education is constituted as a privileged mode of education. It is relevant to the analysis and understanding of the ways of acquiring knowledge by the students and the study of self-regulation variable prioritized learning given its importance for academic success thereof. This study analyzed articles, dissertations and theses PhD under the Self-Regulation of Learning in Distance Education published in Brazil and Portugal in the period 2010 to 2015 in RCAAP's and CAPES's databases. The results point to four main approaches: the portfolio as a tool with great potential of self-regulated learning; learning strategies as extremely important in the self-regulation processes; studies centered tutor and how these may promote self-regulation in students; and, finally, ICT, so hypermedia applications like self-regulating support for learning. Further studies are needed on this topic including the expansion of search platforms to a broader result.


Keywords: Self regulation, E-learning, Distance education.


Palavras-chave


Autorregulação; E-learning; Educação a Distância

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, A. P. (2010). Potencial Educativo dos e-portefólios. Revista E-Curriculum, 5(2), 1–12.

Azevedo, R., Johnson, A., Chauncey, A., & Graesser, A. (2011). Use of hypermedia to assess and convey sel-regulated learning. In B. Zimmerman & D. H. Schunk (Eds.), Handbook of Self-Regulation of Learning and Performance (pp. 102–121). New York: Taylor & Francis.

Bates, T. (2015). Teaching in a Digital Age: Guidelines for Designing Teaching and Learning for a Digital Age. (T. Bates, Ed.). E-book.

Carneiro, R., Lefrere, P., Steffens, K., & Underwood, J. (2011). Self-Regulated Learning in Technology Enhanced Learning Environments: An European Perspective. (R. Carneiro, P. Lefrere, K. Steffens, & J. Underwood, Eds.) (1st ed.). Rotterdam: Sense Publishers. http://doi.org/10.1007/978-94-6091-654-0

Carrasco, J. G., López, B. G., Manzano, A. G., & Peris, F. S. (2012). Nuevos Modos de Aprendizaje en el contexto de la Sociedad del Conocimiento. In L. G. Arettio (Ed.), Sociedad del Conocimiento y Educación. (1st ed., pp. 305–340). Madrid: UNED - Universidad Nacional de Educacíon a Distancia.

Delors, J., Al-Mufti, I., Amagi, I., Carneiro, R., Chung, F., Geremek, B., … Nanzhao, Z. (1998). Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Séc. XXI. Unesco. São Paulo.

Gago, S. M. F. (2012). Vale a pena reflectir quando se aprende on-line? Dissertação de Mestrado. Universidade Nova de Lisboa.

Garbelini, V. M. P., & Gonçalves, E. (2015). Educação a Distâncias: Características E Direcionamentos Pedagógicos Na Era Digital. EAD Em FOCO, 5(2), 84–101. http://doi.org/10.18264/eadf.v5i2.265

García, J., Pessoa, T., & Sánchez, J. N. G. (2013). Estudos sobre a utilização da web 2.0 na educação em Portugal (2008-2012). Educação, Formação & Tecnologias, 6(1), 52–67.

Kaminski, C. (2012). O Papel Do Tutor Na Educação a Distância Em Instituição Pública. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Panamá.

Litto, F. M. (1999). O Ensino a Distância no Mundo. 1o Seminário de Ensino a Distância da PUC de Campinas-SP. In Associação Brasileira de Educação a Distância ABED, São Paulo: Universidade Católica de Campinas.

Martins, J. L. (2014). A gestão da aprendizagem em ambiente virtual. Tese de Doutorado. Universidade do Minho.

Martins, L. B. (2012). Aprendizagem em ações educacionais a distância : fatores influentes no desempenho acadêmico de universitários. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo.

Nascimento, T. P. C. (2011). Metacognicão e auto-regulação da aprendizagem em cursos a distância: estratégias de estudo e percepções sobre o contexto de ensino de servidores públicos. Dissertação de Mestrado. Universidade Católica de Brasília.

Pinto, R. M. N. (2014). As aplicações hipermédia podem promover o o sucesso escolar e a autorregulação da aprendizagem? Análise da eficácia de uma aplicação hipermédia. Tese de Doutorado. Universidade do Minho.

Rodrigues, M. da C. (2012). A autorregulação da aprendizagem do Inglês: Um estudo de caso com recurso ao e-portefólio. Dissertação de Mestrado. Universidade do Minho.

Schunk, D. H., & Zimmerman, B. J. (1998). Self-regulated Learning: From Teaching to Self-reflective Practice. (D. H. Schunk & B. J. Zimmerman, Eds.). West Lafayette: Guilford Press.

Severino, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico. (Cortez, Ed.) (23rd ed.). São Paulo: Cortez.

Simão, A. V., & Frison, L. M. B. (2013). Autorregulação da Aprendizagem: Abordagens Teóricas e Desafios para as Práticas em Contextos Educativos. Cadernos de Educação | FaE/PPGE/UFPel, 45(Julho/Agosto), 2–20.

Soeiro, D., Figueiredo, A. D., & Ferreira, J. A. G. (2012). Mediating diversity and affection in blended learning: A story with a happy ending. Electronic Journal of E-Learning, 10(3), 339–348.

Soeiro, D., Figueiredo, A. D., & Ferreira, J. A. G. (2015). Pedagogia da Autonomia e Gestão Pedagógica no Ensino Superior. In F. Gonçalves, S., Almeida, H., Neves (Ed.), Pedagogia no Ensino Supeior (1st ed., pp. 95–123). Coimbra: CINEP/IPC.

Umekawa, E. E. R. (2014). Preditores de fatores relacionados à evasão e à persistência discente em ações educacionais a distância. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo.

Zimmerman, B. J. (2000). Attaining Self-Regulation: a social cognitive perspective. In M. Boekaerts, P. R. Pintrich, & M. Zeidner (Eds.), Handbook of self-regulation (pp. 451–502). San Diego: Academic Press.




DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v6i2.377



Direitos autorais 2018 Revista EaD em FOCO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

UNIVERSIDADES CONSORCIADAS